Biotecnologia sem fronteiras: o monopólio da inovação está com seus dias contados

O baixo custo dos computadores, a lei de Moore ainda em vigor e o acesso √† internet democratizaram os meios de produ√ß√£o, distribui√ß√£o e educa√ß√£o. Hoje n√£o somos apenas consumidores passivos, mas tamb√©m produtores ativos. E na ci√™ncia, n√£o √© diferente. Vivemos a era ‚ÄúPro-Am‚ÄĚ, em que amadores dedicados, inovadores e conectados trabalham como profissionais, uma realidade na astronomia, na ci√™ncia da computa√ß√£o, e agora da biotecnologia. Basta um computador, conex√£o com a internet e um cart√£o de cr√©dito para encomendar DNA e testar algumas das mais novas t√©cnicas de clonagem e edi√ß√£o de genoma, at√© ent√£o s√≥ acess√≠vel a universidades e grandes empresas.

Em 1987, a luz de uma estrela, que explodiu h√° 168.000 anos chegou a Terra. Foi ent√£o que astron√īmos 1amadores junto com profissionais, confirmaram a teoria do que ocorre quando uma estrela explode, uma das maiores descobertas da astronomia do s√©culo XX. Hoje muito mais gente participa da ci√™ncia que at√© ent√£o dependia de equipamentos sofisticados e caros. Uma dessas tecnologias, foi disponibilizada por John Dobson, respons√°vel por criar um poderoso telesc√≥pio usando materias de segunda-m√£o. Dobson se recusou a lucrar com sua inven√ß√£o, a qual nunca patenteou. Essa democratiza√ß√£o chegou √† biologia com o movimento Do-it-yourself Biology (DIYbio) em 2008, em que profissionais e amadores desenvolvem projetos em laborat√≥rios comunit√°rios, constroem equipamentos por uma fra√ß√£o do pre√ßo e aproximam a comunidade da discuss√£o sobre organismos geneticamente modificados.

Em um desses laborat√≥rios comunit√°rios, o BioCurious, na Calif√≥rnia, s√£o desenvolvidos projetos que envolvem a recente ferramenta de edi√ß√£o de genoma CRISPR, uma bioimpressora capaz de ‚Äúimprimir‚ÄĚ c√©lulas de E. coli, e um projeto do iGEM para a produ√ß√£o de queijo ‚Äúvegan‚ÄĚ, com prote√≠nas do leite produzidas por leveduras, e n√£o vacas.

Sequenciamento e Síntese de DNA РPreço por base

Atualmente √© poss√≠vel comprar ou montar os pr√≥prios equipamentos, como o OpenPCR, um termociclador¬†usado para amplificar DNA, a centr√≠fuga OpenFuge¬†e¬†o rob√ī ¬†OpenTrons, que permite¬†automatizar seu trabalho de bancada. Em breve, o MiniION‚ĄĘ ser√° realidade, um sequenciador port√°til e descart√°vel que pode analisar sua amostra, seja ela de um microrganismo ou sangue, em qualquer lugar do mundo, sem precisar de milhares de dol√°res em equipamentos ou treinamento. Al√©m de aparelhos mais acess√≠veis, o pre√ßo de s√≠ntese por base de DNA (A, T, C, G) j√° custa apenas alguns centavos e tem caido ano ap√≥s ano. No futuro, nada impede que etapas custosas de um projeto sejam terceirizadas, ocupando a capacidade ociosa de laborat√≥rios ou serem realizadas por empresas prestadoras de servi√ßos, como j√° acontece com a s√≠ntese e o sequenciamento de DNA na China.

Projetos como esses v√£o reduzir o custo de se buscar o novo, trazendo solu√ß√Ķes acess√≠veis para a sa√ļde, alimenta√ß√£o e preserva√ß√£o do meio ambiente, quebrando o atual monop√≥lio da inova√ß√£o presente apenas nas grandes institui√ß√Ķes como empresas e universidades. Como em toda abertura democr√°tica, espera-se que muito mais gente se beneficie deste passo da ci√™ncia: a biotecnologia sem fronteiras.

 

Confira a iniciativa acontecendo¬†em S√Ęo Paulo –¬†http://synbiobrasil.org/st/diy/

 

Referências:

The Pro-Am¬†Revolution –¬†How enthusiasts are changing¬†our economy and society – Charles Leadbeater and¬†Paul Miller

Time for new DNA synthesis and sequencing cost curves – Rob Carlson