Fuck Yeah Fatores Extracientíficos!

Olha só que interessante.

No início de maio, a colaboração do experimento XENON100 para a detecção de Matéria Escura soltou no arXiv (o principal repositório de pré-prints de Fìsica) um artigo com resultados que invalidavam o que outros dois experimentos, CoGeNT e DAMA, haviam encontrado: sinais dos chamados WIMPs (Partículas Massivas Fracamente Interagentes, em inglês) de determinada massa. O que o XENON100, que supostamente seria mais sensível que os outros, encontrou foi que não há evidência para essas partículas.

Dois dias depois veio um coment√°rio discutindo a suposta sensibilidade do experimento e apontando diversas fontes de incertezas nos dados.

Já no dia 14, a colaboração subiu uma resposta esclarecendo a analise estatística do grupo e comentando as críticas.

E ontem, dia 20, uma nova contestação à resposta da colaboração foi feita.

N√£o tenho conhecimentos experimentais nem sobre mat√©ria escura para avaliar a sutileza das discuss√Ķes, mas estou achando essa pequena guerra no arXiv muito divertida e com certeza o que move os dois lados n√£o √© simplesmente a busca pela verdade cient√≠fica. Cada um deles deve ter um alinhamento muito claro com determinadas vertentes te√≥ricas da hip√≥tese de Mat√©ria Escura e inclusive o interesse de defender seus pr√≥prios experimentos frente aos financiadores. 

O primeiro a gritar “Meu Kuhn” nos coment√°rios, perde. =P

“F√≠sica Te√≥rica √© bobagem”, diz ex-diretor do IFUSP

A morte s√ļbita de todos os F√≠sicos Te√≥ricos do instituto, na semana passada, n√£o ter√° grandes conseq√ľ√™ncias segundo o ex-diretor, j√° que a F√≠sica Te√≥rica era de “quinta categoria”. Mesmo depois do ocorrido, defendeu a f√≠sica experimental do Instituto.

“F√≠sica Te√≥rica √© bobagem esot√©rica. A fun√ß√£o do instituto √© discutir o sexo dos anjos do in√≠cio do universo ou descobrir materiais novos e fazer avan√ßar a tecnologia?”

As investiga√ß√Ķes apontam como causa da morte o Aquinoruthismo Cavalar, uma s√≠ndrome relacionada a crises de falsa dicotomia cr√īnica. A fonte da infec√ß√£o pode ter origem nos Diretores e ex-Diretores do Instituto, talvez por isso a rea√ß√£o estranha do referido.

Mais sobre o caso aqui.

A fant√°stica Cura Qu√Ęntica

Os verdadeiros m√©todos de Cura Qu√Ęntica, muito melhores que os do Deepak Chopra (seja l√° como isso se escreve…), s√≥ que se limitam √† cura qu√Ęntica pra burrice [1]:

  1. Enfia o misticuzinho numa caixa com um
    frasco de veneno que √© quebrado quando e se um n√ļcleo radiativo decair;
  2. Lança o misticuzinho em alta velocidade contra uma
    parede com fendas e espera o padrão de interferência do outro lado.
  3. Lança dois misticuzinhos ao mesmo tempo para dois cantos
    separados no espaço e espera se comunicarem por telepatetia [2];
  4. Lança um monte de misticuzinho um a um contra uma
    parede até algum aparecer intacto do outro lado.

Mr. Google, send me some trolls.

[1]: Segundo @joeysalgado
[2]: Sugest√£o do @LFelipeB

A controvérsia de não existir controvérsia

N√≥s, divulgadores de ci√™ncia – posso me colocar na categoria? Digam que sim! – sejamos blogueiros, jornalistas, escritores, estamos t√£o imersos na luta contra os agentes auto-iludidos da desinforma√ß√£o que mal ouvimos a palavra controv√©rsia ser usada contra alguma teoria que pulamos de nossas cadeiras para esbravejar “N√£o h√° controv√©rsia”!

√Č claro que, na maioria das vezes, o que o mentecapto semi-analfabeto clamar√° como controv√©rsia √© algo que n√£o o foi, n√£o o √© e muito menos o ser√° num futuro pr√≥ximo. Ainda que as verdadeiras controv√©rsias cient√≠ficas sejam muito mais sutis que qualquer afirma√ß√£o do doido varrido √© bastante arriscado dizer que elas n√£o existem ou que n√£o s√£o importantes para o panorama geral. Escond√™-las n√£o poderia nos fazer perder o pouco de credibilidade que nos resta com o cidad√£o comum?

Aliás, esqueçam isso. Pensando melhor, se estamos falando de defensores alucinados do incoerente, tanto esconder como admitir as controvérsias sutis da ciência é pavimentar o caminho para a merda. Não importa o que se diga ou o que se explique. A tática do inimigo é muito mais poderosa. Apelam para os sentimentos enquanto apelamos para a razão.

N√£o importa se o modelo de universo c√≠clico com bounce √© uma alternativa para se enfrentar a singularidade que aparece no modelo cl√°ssico do Big Bang. Se dissermos que h√° essa teoria cient√≠fica alternativa para o in√≠cio do Universo logo vir√£o aqueles que dir√£o que essa teoria devolve o Criador ao seu lugar (nem a pau). Se dissermos que n√£o h√° teoria alternativa vi√°vel (ainda) vir√£o dizer que n√£o se pode pesquisar fora dos “dogmas” cient√≠ficos.

E se nesses quatro par√°grafos n√£o fiz muito sentido ou discorri sobre uma opini√£o muito clara, √© porque √†s vezes penso que somos grandes masoquistas que damos o mote e batemos palma pros doidos dan√ßarem nos coment√°rios, nas revistas de variedade, nas cartas dos leitores, nos livros de mistic√≥ides aleat√≥rios…

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Pol√≠tica de Privacidade | Termos e Condi√ß√Ķes | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


P√°ginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM