Arquivo mensais:abril 2016

Réptil permiano

Quando foi a √ļltima vez que voc√™ fez algo pela primeira vez?

Este √© o primeiro posto deste blog. √Č tamb√©m o meu primeiro post em um projeto de extens√£o, com objetivo de divulgar, difundir e discutir sobre Ci√™ncias, Geoci√™ncias e Paleontologia.

Como uma feliz coincid√™ncia este blog surge quase um ano ap√≥s a divulga√ß√£o do resultado que me fez entrar para o corpo de docentes da UNICAMP. E quase seis meses ap√≥s a primeira ‚Äúpalestra‚ÄĚ que assisti, j√° como docente, dentro da Institui√ß√£o. Uma apresenta√ß√£o que est√° muito relacionada ao blog, a minha ideia sobre o papel da ci√™ncia e tamb√©m sobre o papel de um professor universit√°rio, na minha vis√£o.

A palestra a que me refiro era sobre o livro ‚ÄúA utilidade do in√ļtil, um manifesto‚ÄĚ do professor e fil√≥sofo italiano Nuccio Ordine. Por coincid√™ncia eu j√° havia ouvido falar do livro, e j√° estava interessada quando soube que ele ministraria a aula magna de abertura da UFRGS, este ano. Senti orgulho por ter sido aluna da UFRGS (onde fiz toda a minha p√≥s-gradua√ß√£o) na ocasi√£o. E foi por pura conting√™ncia que acabei descobrindo que no mesmo dia da aula Magna, o prof. Nuccio viria √† Unicamp para falar sobre seu livro. E apesar da chuva, est√°vamos, eu e mais umas 40-50 pessoas, ansiosos por ouvi-lo. Com maestria, o professor Nuccio foi capaz de transmitir sua paix√£o sobre arte, cultura e, em especial para mim, sobre as ci√™ncias puras, aquelas que n√£o tem aplica√ß√£o direta, ou que tenham como produto imediato uma aplica√ß√£o ou o lucro. A paleontologia √© uma ci√™ncia pura. Quando usada para prospec√ß√£o de petr√≥leo e g√°s natural tem a sua aplica√ß√£o. No entanto, grande parte dos estudos paleontol√≥gicos no Brasil e no mundo, s√£o puros.

‚ÄúA √ļnica coisa que n√£o se pode ser comprada √© o saber‚ÄĚ diz Nuccio quando fala sobre sua produ√ß√£o.

Qual o motivo para se estudar algo que n√£o d√° lucro? Por que algu√©m teria interesse em saber sobre paleontologia? Perguntas comuns para quem resolveu viver estudando paleonto, em meio a uma sociedade que est√° tomada pela l√≥gica utilitarista. A discuss√£o apresentada pelo prof. Nuccio trata tamb√©m de justi√ßa, solidariedade, toler√Ęncia, direito √† cr√≠tica e at√© mesmo de amor. Mas a sua rela√ß√£o com as ci√™ncias n√£o aplicadas e tamb√©m com as artes √© inquestion√°vel: o conhecimento, e n√£o o lucro, √© a base para uma sociedade que valoriza a cultura, a igualdade e a √©tica; ele constr√≥i os nossos valores.

Acredito que todos os profissionais que trabalham com ci√™ncias puras t√™m em si um grande amor e dedica√ß√£o pelo que fazem. Alguns conseguem extrapolar esta extrema rever√™ncia pelo conhecimento para al√©m dos termos cient√≠ficos e se transformam em grandes divulgadores de ci√™ncias, tais como Carl Sagan, S.J. Gould, Neil de Grasse Tyson… a maioria, por√©m (como eu) vivem da ci√™ncia e realizam a difus√£o do seu conhecimento para pessoas de sua pr√≥pria √°rea; constroem o que o fil√≥sofo da ci√™ncia, Thomas Kuhn, considera ‚Äúci√™ncia normal‚ÄĚ. Divulgando ci√™ncia ou n√£o, criando dados dentro de paradigmas ou derrubando-os, as ci√™ncias puras, a paleontologia e a paix√£o por se fazer o que se gosta andam lado-a-lado. A constru√ß√£o do conhecimento, a descoberta do novo, a explica√ß√£o de fatos cotidianos ou rar√≠ssimos est√° no √Ęmago dos estudos cient√≠ficos. √Č como quando fazemos algo pela primeira vez. A repeti√ß√£o √© algo mon√≥tono. Tente experimentar pequenos h√°bitos diferenciados e perceba o qu√£o prazeroso √© aprender algo novo, conhecer algu√©m diferente, criar algo √ļnico, e que te simplifique a vida. A ci√™ncia est√° a√≠ para isso. E √© a paix√£o por ela e seus desdobramentos que me move.

Sejam bem-vindos ao Paleomundo. Toda semana teremos um post diferente. Conhe√ßa mais sobre os colaboradores do blog na aba ‚Äúcolaboradores‚ÄĚ.

Fique à vontade para comentar e compartilhar.