Arquivo da tag: Mauritiidites

√Āgua de coco desde o Cret√°ceo acalmando a sede?

http://www.vix.com/pt/bdm

Na semana passada estive estudando fósseis no Ceará e estava quente, mas nada que uma refrescante água de coco gelada não ajudasse a acalmar, como no verão de Campinas quando, em janeiro, a temperatura chega próximo aos 40oC. Assim, enquanto bebia minha água de coco em Fortaleza, fiquei pensando na origem das palmeiras: quando foi mesmo que elas surgiram? Será que tem fósseis de coco da Bahia? Onde?

Ap√≥s pesquisar descobri, que os registros mais antigos de palmeiras datam do per√≠odo Cret√°ceo. S√£o gr√£os de p√≥len sulcados, com uma ou mais aberturas longitudinais (por exemplo Mauritiidites), como os hoje encontrados na Fam√≠lia Arecaceae, √† qual pertencem todas as palmeiras. Atualmente esta fam√≠lia possui uma distribui√ß√£o cosmopolita, com aproximadamente 2.000 esp√©cies agrupadas em 90 g√™neros, dentro dos quais se destacam √°rvores, ervas com rizomas e alguns cip√≥s. A maioria das Arecaceae hoje habita em regi√Ķes quentes e √ļmidas do planeta. No final do Cret√°ceo (70 milh√Ķes de anos no passado) eram plantas muito comuns nos hemisf√©rios norte e sul, tanto que seus p√≥lens s√£o os elementos caracter√≠sticos da ‚ÄúProv√≠ncia Flor√≠stica Palmae‚ÄĚ, constituindo um 50% dos p√≥lens encontrados nas assembleias. Assim, as palmeiras est√£o entre as monocotiled√īneas mais antigas conhecidas. Os dom√≠nios da Prov√≠ncia Palmae se estendiam desde o Sul da Argentina (d√° para imaginar a Patag√īnia com um clima quente?) at√© o norte da Am√©rica do Sul (hoje a Venezuela) e por grande parte da √Āfrica, √ćndia (que no Cret√°ceo estava pr√≥xima do leste da √Āfrica), e as costas do Mediterr√Ęneo.

Pólen atual de uma palmeira.

Esta Prov√≠ncia era caracterizada por uma vegeta√ß√£o diversificada e tropical. Al√©m de p√≥lens de palmeiras tamb√©m foram encontrados folhas, frutos, folhas, lenhos e at√© flores. Como exemplo de fruto, foi descrito um exemplar de coco no estado de Pernambuco, encontrado associado com rochas da Forma√ß√£o Maria Farinha do Paleoceno. Outros cocos f√≥sseis foram descritos nessa mesma idade na √ćndia, Argentina e Col√īmbia.

J√° no in√≠cio do Paleoceno (65 a 55 milh√Ķes de anos no passado) os f√≥sseis de palmeiras s√£o encontrados por todo o planeta. Eles s√£o uma das evid√™ncias de que durante esse per√≠odo do tempo geol√≥gico a Terra experimentou um regime clim√°tico quente e √ļmido, conhecido como √ďtimo Termal, pois as palmeiras s√≥ podem habitar em climas onde a temperatura do m√™s mais frio n√£o cai abaixo dos 5 a 7oC. Por exemplo, para Alberta, no oeste do Canad√°, foram descritas grandes folhas de palmeiras que poderiam ter habitado em um clima mais ameno que o hoje encontrado nessa regi√£o do planeta. Dessa forma, acredita-se que durante o Paleoceno a temperatura ca√≠a pouco at√© os 50¬ļ de latitude.

Sim, como voc√™s est√£o pensando, as palmeiras foram contempor√Ęneas dos dinossauros, inclusive tem sido encontrados locais nos quais foram preservados pequenos coquinhos associados a ossos desarticulados de dinossauros ceratops√≠deos. Assim, vemos que as palmeiras sobreviveram a uma das maiores extin√ß√Ķes do planeta Terra (aquela do limite Cret√°ceo ‚Äď Pale√≥geno) e chegaram at√© os dias de hoje, ajudando a acalmar a sede… ser√° que o mesmo aconteceu com os dinossauros ou com os mam√≠feros que surgiram no Pale√≥geno?