Ressurreição

Como esta é a semana da páscoa cristã, cai bem uma rápida análise do alegado fenômeno da ressurreição de Jesus. A ressurreição é um ponto especialmente saliente — e delicado — na teologia cristã em geral (e católica, em particular) porque, ao contrário de diversos outros eventos “maravilhosos” narrados na Bíblia (como a serpente falante do Paraíso), ela não se presta a uma reinterpretação alegórica: como diz Paulo em uma de suas epístolas, ou a ressurreição ocorreu de fato, ou o cristianismo não se sustenta.
Nesse aspecto, é importante destacar que ressurreição aqui, significa ressurreição mesmo, voltar da morte: explicações naturalistas (o despertar de um coma ou uma lenta recuperação da saúde) ou evasões (como na versão islâmica da história, na qual Jesus fugiu e uma imagem ilusória ficou na cruz) não se aplicam.
Claro, todo mundo é livre para aceitar a narrativa da ressurreição como artigo de fé, ou continuar acreditando apenas porque foi algo que lhe contaram no catecismo e em que não se teve tempo de pensar depois. Mas, pra quem quer pensar, cabe a questão: qual a evidência?
Há os testemunhos, presentes no novo testamento — e . Isso já é um pouco suspeito, mais ou menos como se, daqui a 2000 anos, a única fonte de informação sobre o governo Lula fossem press-releases assinados pela assessoria do Planalto. Nenhum historiador digno do nome levaria essa fonte ao pé da letra.
E agora, como esse relato aparece no novo testamento? Pouca gente sabe, mas os textos mais antigos dessa parte da Bíblia não são os evangelhos, mas as epístolas e os atos dos apóstolos. E tudo ali foi escrito décadas após a morte de Jesus. No caso específico da ressurreição, a mais antiga menção do Cristo ressuscitado é de Paulo, justamente o apóstolo que não havia encontrado Jesus em vida. A narrativa de Paulo fala em aparições, e não fica claro se ele se refere a um homem ressuscitado de carne e osso ou a uma visão mística, como as visões de Maria que algumas pessoas alegam receber até hoje.
Os evangelhos também não ajudam muito: o mais antigo de todos (e, portanto, mais próximo aos eventos) o de Marcos, sequer apresenta a figura do Cristo ressuscitado; o texto original de Marcos termina com a tumba vazia, e as mulheres que tinham ido visitar o túmulo fugindo, aterrorizadas, depois de vê-lo aberto e abandonado.
Esse é um final um tanto chocante, e provavelmente por isso os versículos seguintes foram incluídos mais tarde (existem duas “continuações alternativas”, e o chamado “final longo”, composto pelos versos 9 a 20 do capítulo 16, provavelmente data do século 2 EC).
Os outros dois textos que, com Marcos, compõem os chamados evangelhos sinópticos — Lucas e Mateus — apresentam relatos inconsistentes entre si do que teria ocorrido após a ressurreição. Mateus embeleza um pouco mais a narrativa, falando em terremoto, na presença de um anjo e uma ordem das autoridades para que fosse espalhado um boato de que o corpo havia sido roubado. Lucas é mais elaborado ainda, acrescentando mais novos incidentes. A tendência de contar o conto aumentando um ponto é mantida em João.
O último capítulo atribuído ao autor de João é o 20. Mesmo esse texto é estranho e dá a impressão de ter sido editado por terceiros — por exemplo, Pedro parece entrar na tumba vazia duas vezes. Além disso, há toda uma narrativa do encontro de Jesus ressuscitado com os discípulos no Mar da Galileia, o capítulo 21, chamado epílogo de João, que estudiosos acreditam que não foi escrito pelo autor do restante do texto, tratando-se de uma adição posterior.
A narrativa da ressurreição nos evangelhos, enfim, tem todas as marcas de uma lenda em marcha — começa como uma mera insinuação um mistério em aberto (a tumba vazia de Marcos) e cresce até virar, literalmente, uma história de pescador (Jesus ressuscitado ajudando os apóstolos a pescar na Galileia). Já a narrativa de Paulo assemelha-se mais a um êxtase místico, o que é um fenômeno psicológico, não um milagre.
Claro, nada disso prova que a ressurreição não ocorreu. Mas, até aí, também não existe prova de que Maomé não foi levado, fisicamente, de Meca a Jerusalém pelo anjo Gabriel, como afirmam alguns biógrafos.

Discussão - 13 comentários

  1. Mestre Cretinas, beleza?
    Excelente post, mas tenho dois quibbles. Atos não é um dos textos mais velhos do NT — ele também foi escrito por “Lucas” (o autor anônimo do Evangelho) e, portanto, é no mínimo posterior a Marcos e talvez a Mateus. O Evangelho de Lucas e Atos são uma “obra em duas partes”, inclusive com remissões mútuas.
    Segundo, Marcos tem uma teologia toda especial em seu texto que talvez não se preste à simples interpretação da ressurreição como insinuação. Parece que para ele era importante a ideia do “segredo messiânico”, ou seja, de que ninguém entendia picas quem era Jesus e qual era sua missão, principalmente os apóstolos (apóstolos que Marcos normalmente critica fortemente). Daí o fato de, na narrativa dele, eles não presenciarem o túmulo vazio nem virem Jesus. Parece até haver algo político aí — a comunidade marcana (que puta nome feio…) teria algum conflito com os apóstolos originais.
    Abraço!

  2. Prezado! sugiro uma leitura mais aprofundada do livro: Evidências que exige um veredito vol. II, Autor: Josh MacDowell.

  3. Prezado! sugiro uma leitura mais aprofundada do livro: Evidências que exige um veredito vol. II, Autor: Josh MacDowell.

  4. Blog Mallmal disse:

    Acho que antes de provar esse mito da ressureição, os católicos deveriam resover a hipocrisia de seu politeísmo disfarçado (com anjos, santos e três deuses) e o paradoxo de uma entidade totipotente, onisciente e onibenevolente…

  5. Walterson disse:

    Bem, se considerarmos que a divindade de Jesus Cristo só foi “homologada” 300 anos depois da sua morte, no Concílio de Nicéia, devemos creditar a ressurreição à Igreja Católica. Os objetivos são dúbios mas é muito mais fácil propagar uma religião baseada no “filho de deus” que em um simples ser humano.

  6. Jk disse:

    Trazer esse tipo de assunto a tona, penso eu, é chutar cachorro morto.
    Todos já estão cansados de saber que a bíblia foi editada, e sucessivas vezes traduzidas de forma “livre”. Não dúvido que existiu um grande homem naquela época, mas que ele tinha poder de cura… imortalidade…. pqp, acredito mais nos duendes da Xuxa.

  7. Carlinhos disse:

    Amigo, isto é uma questão de interpretação.
    Ao lermos com cuidado percebemos que os textos em questão são bastante vagos, palavras cujo sinônimos se perdem na tradução da tradução.
    São lacunas que nosso cérebro preenche e organiza de maneira que se adapte a nossa realidade que acreditamos ser verdadeira.
    Exemplos de 2000 anos depois:
    06/04/2009 Presidente Lula inaugura terceira usina de biodiesel da Petrobras em MG*
    Aqui obviamente sabemos que em algum ponto do passado cefalópodes construíram crematórios em homenagem a alguém chamado Petrobras em MG.
    04/03/2009 Temporão fala sobre mobilização contra a rubéola no Bom Dia Ministro*
    Alguém retardado, possivelmente outro cefalopode, desta vez sabemos que estes animais são capazes de comunicação verbal, está convocando algum tipo de genocídio contra algum animal menor que se esconde em dentro de um tipo de hospedeiro matinal.
    E por aí vai.
    Cabe ainda salientar que o conceito de vida após a morte, levando tanto a ressurreição e reencarnação, assim como a hipótese dos falecidos permanecerem vivos em algum outro mundo e se comunicarem, vem da idéia de que as aparições dos mortos nos sonhos representa que eles continuam existindo em sua essência biológica, e não apenas em lembranças.
    Abraços.

  8. cretinas disse:

    Oi, Reinaldo! Bem-vindo ao SciBlogs!
    Grato pelos reparos. Eu sabia da dobradinha Lucas/Atos, mas por algum motivo isso me escapou na hora de compor a postagem…

  9. gildo disse:

    A Verdadeira ressureição é feita através do estudo da Obra universo em desencanto. a Imunização Racional, a energia racional desmaterializa o terceiro olho, a glândula pineal, tambem chamada sede da alma ou terceira visão e sétimo sentido. Este sim é o órgão máximo do corpo é um habitante do Mundo Racional, materilizado em forma de máquina do raciocinio. o MESSIAS CHEGOU. É O AUTOR DA OBRA UNIVERSO EM DESENCANTO.MANUEL JACINTO COELHO O RACIONAL SUPERIOR.

  10. Clarissa disse:

    Olá! Sou a Clarissa e trabalho na Edelman, agência de comunicação do site HowStuffWorks. É a primeira vez que comento no blog…Sempre damos uma passada pelo Scienceblogs pra buscar pautas e assuntos atuais.
    Sobre a ressurreição, graças a ela que temos o Domingo de Páscoa, que é considerada uma das datas mais antigas e jubilosas do calendário cristão.
    Um abraço!

  11. cretinas disse:

    Oi, Clarissa! Bem-vinda, e obrigado pela audiência. Fico feliz em saber que minha postagem estimulou seu comentário primeiro comentário em blog… Espero que você curta o hábito!

  12. Liliane Catone disse:

    Caríssimo Cretinas,
    Visito freqüentemente o scienceblogs mas é a primeira vez que visito este blog e esse post me chamou a atenção. Uma coisa que sempre me intrigou era como alguns colegas meus acreditavam fielmente na ressurreição de Cristo… às vezes eu gostaria de dizer “ow, isso é fisicamente e biologicamente impossível!”. Uma coisa é uma pessoa voltar de um coma ou sofrer de catalepsia patológica (aquela doença que horroriza quem tem medo de ser enterrado vivo, acabei de descobrir que existe até um nome para essa fobia “tafofobia”) mas ressurreição? Depois de dias? Aff… Provavelmente, a interpretação que deve ser feita dessa história de ressurreição é em nível mental/intelectual/social/espiritual. Para não ser muito repudiada, eu apenas digo (até hoje) “Adoro Páscoa porque eu sempre ganho muitos ovos de chocolates!!!”

  13. Carlos Antunes de Oliveira disse:

    Sou católico.Acredito em Deus, que para mim é dono do universo, criador de tudo.Um ser que existe desde sempre, fato que não cabe e jamais caberá em nossa mente, de tão grande.E para mim, nada do que podemos imaginar é impossível para Ele.A Bíblia foi escrita por mãos humanas, mas ditada por Ele, para que saibamos por todo sempre o que Ele realmente quer de nós, o que Ele realmente sonha para nós, para o mundo, em todos os tempos e lugares.
    Para Deus, nada é impossível, inclusive a Ressurreição.Ele faz o que quer, e faz tudo o que é preciso para que o entendamos, porque Ele é um Pai que dá o perdão, o amor, a paciência e tudo o mais de que nós na nossa infinita limitação não conseguimos, porque Ele é Deus.Tenho pena, e peço a Deus, sinceramente, que tenha piedade de quem O troca por duendes, propagado por um mito, cheio de vaidades, da televisão.
    Até mais.Felicidades a todos vocês deste blog que permite essa troca de opiniões, tão necessárias nesse nosso mundo de hoje.
    Obrigado.
    Carlos.

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Categorias

Skip to content

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM