Viva a evolução!

Nesta terça-feira faz 150 anos que Charles Darwin e Alfred Russell Wallace apresentaram a primeira comunicação científica da teoria da evolução das espécies or meio da seleção natural.
Nos 150 anos que se seguiram √† apresenta√ß√£o, a teoria gestada por ambos e desenvolvida, em sua forma mais bem acabada, por Darwin s√≥ fez acumular evid√™ncias a seu favor, seja por meio do surgimento de bact√©rias resistentes a antibi√≥ticos, seja por meio do registro f√≥ssil e, principalmente, por meio do maior teste a que uma teoria cient√≠fica pode passar: o de se mostrar compat√≠vel com (e, mais importante, capaz de explicar) fatos que ainda eram desconhecidos quando de sua formula√ß√£o — no caso da evolu√ß√£o, esses fatos s√£o, principalmente, a exist√™ncia e o funcionamento do c√≥digo gen√©tico.
(Compare isso com a teologia e todos os fatos novos que ela nunca foi capaz de prever ou explicar — do valor de pi √† estrutura do sistema solar e √† pr√≥pria evolu√ß√£o).
√Č prov√°vel que a evolu√ß√£o repouse, hoje, sobre uma base de evid√™ncias mais s√≥lida do que, digamos, a exist√™ncia de buracos negros. Curiosamente, n√£o se v√™em negacionsitas da Relatividade Geral tentando convencer escolas a ensinar “explica√ß√Ķes alternativas” para as explos√Ķes c√≥smicas de raios gama.
Por que ser√°?

James Randi faz palestra no Google

O grande showman do ceticismo n√£o deixa a peteca cair, mesmo depois de uma ponte de safena.

Terapias alternativas e Dunga

N√£o entendo lhufas de futebol, mas arriscarei uma previs√£o: a sele√ß√£o brasileira voltar√° ganhar em breve, quer continue ou n√£o sob o comando de Dunga. Por qu√™? Por causa de um fen√īmeno estat√≠stico conhecido como regress√£o para a m√©dia.
O exemplo mais conhecido da regress√£o talvez seja o do instrutor de v√īo que acredita piamente que xingar um piloto que faz uma manobra muito ruim sempre leva a uma melhora de performance, enquanto que elogiar um piloto que faz uma manobra brilhante n√£o tem efeito nenhum.
Por que o instrutor acredita nisso? Experi√™ncia: o piloto xingado melhora, o elogiado n√£o volta a repetir o brilhantismo. A verdade, no entanto, √© que ambs os pilotos provavelmente t√™m um n√≠vel m√©dio de desempenho, que pode at√© melhorar ou piorar, dependenmdo da aplica√ß√£o de cada um. Mas esses ganhos ou perdas s√£o graduais. Manobras muito boas ou muito ruins que ocorrem sem aviso s√£o aberra√ß√Ķes, e a tend√™ncia √© de que, no v√īo seguinte, o piloto que teve a aberra√ß√£o negativa pare√ßa melhorar (porque est√° voltando para sua m√©dia normal) e o que teve o lance genial, pare√ßa piorar (pelo mesmo motivo).
No caso de Dunga, tomei a liberdade de montar uma planilha com os n√ļmeros de seus 31 jogos √† frente da sele√ß√£o, e tenho o prazer de informar que o resuldao dos tr√™s √ļltimos (duas derrotas e um empate de zero a zero) est√£o um pouco abaixo de sua m√©dia: o resultado que se deve esperar, estatisticamente, do t√©cnico √© vit√≥ria por um gol de diferen√ßa (1,16 de saldo de gols m√©dio; pontua√ß√£o m√©dia, 2,13 — mais que emparte, enfim, mas menos que vit√≥ria).
O que isso tudo tem a ver com terapias alternativas? Simples: toda pessoa tem um n√≠vel m√©dio de sa√ļde e bem-estar. Exceto em caso de doen√ßas mais graves, deteriora√ß√Ķes nesse estado tendem a retornar para m√©dia espontaneamente. Assim, tomar floral ou homeopatia √© como trocar o t√©cnico da sele√ß√£o depoisde duas derrotas e um empate: pode at√© dar a impress√£o de que a vit√≥ria seguinte foi provocada pela mudan√ßa, mas…

Censura judici√°ria e uma nova fal√°cia

Muito engraçada a postura da Associação dos Juízes Federais do Brasil diante da censura imposta aos veículos do Grupo Estado por um de seus pares.
Primeiro, abra√ßa de vez o esp√≠rito de corpo, incorrendo no que batizarei de Fal√°cia dos Tr√™s Mosqueteiros (“um por todos, todos por um”), ao tratar uma cr√≠tica a ato de um membro da categoria (“o juiz X, no caso Y, ao emitir a decis√£o Z, pisou na bola”) como uma amea√ßa √† institui√ß√£o do Poder Judici√°rio como um todo.
Achei que só congressistas tinham o tipo de estofo intelectual necessário para achar que esse raciocínio torto poderia ser levado a sério.
Segundo, os merit√≠ssimos se saem com essa: ”√Č imprescind√≠vel que a magistratura seja forte e respeitada. Se for diferente, ao cidad√£o n√£o haver√° nenhum tipo de recurso contra o arb√≠trio do Estado ou a viol√™ncia de seu semelhante.”

Esqueceram-se, por acaso, que “a magistratura” √© tamb√©m parte do aparato do Estado, e t√£o propensa a cometer arb√≠trios quanto seus parceiros dos demais Poderes?
Ora, ora, ora.

Bill Gates faz mais bem que a Igreja Católica

O fundador da Microsoft, Bill Gates, um agn√≥stico e prov√°vel ateu, anunciou sua aposentadora do mundo dos neg√≥cios para dedicar-se √† Funda√ß√£o Bill e Melinda Gates, criada originalmente com uma dota√ß√£o de US$ 126 milh√Ķes e que hoje conta com um capital, para aplica√ß√£o em projetos filantr√≥picos, de quase US$ 40 bilh√Ķes. Tem cerca de 500 funcion√°rios, ou seja, um n√≠vel de efici√™ncia de US$ 80.000.000/funcion√°rio. A funda√ß√£o segue padr√Ķes internacionais de transpar√™ncia na aplica√ß√£o de seus fundos.
J√° o √ďbolo de Pedro, um fundo formado por doa√ß√Ķes de caridade feitas diretamente ao papa por fi√©is cat√≥licos, somou US$ 102 milh√Ķes em 2006, o que foi saudado como um acr√©scimo surpreendente. A Igreja Cat√≥lica tem cerca de 400.000 sacerdotes ordenados, o que d√° uma efici√™ncia de uS$ 255/funcion√°rio. N√£o segue nenhum padr√£o de transpar√™ncia conhecido (nem √© preciso lembrar do Banco Ambrosiano: tente pedir ao padre da sua par√≥quia para ver um balan√ßo detalhado).
A compara√ß√£o entre o √ďbolo de Pedro e a dota√ß√£o da Funda√ß√£o Bill e Melinda Gates pode parecer injusta, j√° que a Igreja Cat√≥lica recebe doa√ß√Ķes de forma descentralizada, muitas destinadas a dioceses espec√≠ficas, e mant√©m uma organiza√ß√£o internacional de caridade, a Caritas Internationalis, mas tente voc√™ descobrir quanto dinheiro isso tudo mobiliza. Desejo-lhe muito boa sorte.
Mas vamos fazer umas estimativas: a renda per capita anual dos EUA √© US$ 44 mil; a do Burundi, US$ 100. A renda per capita m√©dia mundial deve estar entre esses dois valores. Tirando a m√©dia geom√©trica, d√° uns US$ 2000. J√° que h√° um bilh√£o de cat√≥licos no mundo, a renda global do catolicismo deve ser US$ 2.000 bilh√Ķes, ou US$ 2 trilh√Ķes (uau! isso empata com o PIB da It√°lia). Supondo que 10% dos cat√≥licos paguem o d√≠zimo (10% da renda pessoal), a arrecada√ß√£o global anual da Santa Madre Igreja deve ser de uns US$ 20 bilh√Ķes. Criada em 2000, a Funda√ß√£o Gates acumulou uma dota√ß√£o de US$ 40 bilh√Ķes at√© agora, ou US$ 5 bilh√Ķes ao ano. Por 500 funcion√°rios, d√° US$ 10 milh√Ķes/funcion√°rio/ano. J√° os US$ 20 bilh√Ķes anuais dos cat√≥licos, divididos por 400.000 padres, d√° US$ 50.000/padre/ano. Ainda fica abaixo do n√≠vel de efici√™ncia da funda√ß√£o do casal Gates.
(Seria melhor medir efici√™ncia por n√ļmero de pessoas antendidas satisfatoriamente, mas essa estimativa fica para outra postagem.)
Numa nota paralela, a hieraquia cat√≥lica nos EUA desembolsou US$ 1 bilh√£o para cobrir os danos do abuso sexual cometido por padres. Da onde se conclui que, (a) eles tinham o dinheiro e (b) o tal do dinheiro n√£o estava sendo usado para socorrer os necessitados (a menos que se enquadrem bispos amea√ßados de ir para xilindr√≥ por cumplicidade com ped√≥filos na categoria “necessitado”).

Dawkins: ateus, saiam do arm√°rio!

Jornalismo e medicina

A cobertura de temas m√©dicos nos jornais poderia ir um pouco mais fundo em certos assuntos. Um exemplo √© esta reportagem de O Estado de S. Paulo sobre o uso de acupuntura para al√≠vio dos sintomas negativos da quimioterapia: ficamos, por exemplo, sem saber se foram usados controles, como a chamada “falsa acupuntura” — em que as agulhas n√£o penetram o corpo do paciente, ou s√£o aplicadas em pontos aleat√≥rios.
Sem esse tipo de controle, é impossível saber se a acupuntura funcionou mesmo ou se se trataou apenas de efeito placebo.
Embora o m√©dico entrevistado ofere√ßa uma explica√ß√£o naturalista para o efeito detectado — “Provavelmente os est√≠mulos ou a press√£o nos pontos liberam subst√Ęncias neuroqu√≠micas, que tornam n√£o-sens√≠vel a zona gatilho do quimioreceptor no c√©rebro, prevenindo esses efeitos colaterais” — a reportagem, do modo como foi publicada, acabar√° dando muni√ß√£o para os bons e velhos papos de “meridianos de energia” ou “for√ßa Qi”.

Lei Seca

A proibição draconiana do consumo de álcool antes de dirigir é o tipo de lei que, de tão severa, já nasce desmoralizada, e ainda gera o risco de jogar uma boa causa no descrédito, por conta do exagero e do ridículo.
Primeiro, porque num pa√≠s onde quem quer dirige at√© sem carteira de motorista, sem documento do carro e comete barbaridades √† vontade — exceto excesso de velocidade e passar sinal vermelho, porque a√≠ tem radar autom√°tico — algu√©m realmente acredita que haver√° fiscaliza√ß√£o eficiente para impor a nova norma?
Claro que o motorista que se envolver em acidentes ou que praticar direção perigosa sob os efeitos do álcool deve ser punido de modo severo, com cadeia, até; claro que estar alcoolizado deve ser um agravante na pena imposta nesses casos. Até acho que lesão ou morte provocadas por condutor embriagado têm mesmo de ser tratadas como crime doloso.
Mas uma coisa é punir o dano efetivamente provocado; outra, ameaçar (em vão) punir a possibilidade do dano.
E a√≠ chegamos ao meu segundo ponto: ser√° que a correla√ß√£o entre √°lcool e mortes no tr√Ęnsito justifica a medida? Andei fazendo umas contas…
De acordo com dados do segundo semestre do ano passado, o Brasil acumulava 254 mil mortes no tr√Ęnsito em oito anos, o que d√° uma m√©dia de 32 mil mortes ao ano (supondo que morram cerca de 3 milh√Ķes de brasileiros a cada ano – 1/71 avos da popula√ß√£o, propor√ß√£o que tirei da atual expectativa de vida do brasileiro – o tr√Ęnsito responde por 1% do total de mortes).
J√° de acordo com o sindicato dos fabricantes de cerveja, o consumo basileiro anual √© de 47 litros per capita. Sendo a popula√ß√£o brasileira de cerca de 200 milh√Ķes, isso d√° por volta de de 10 bilh√Ķes de litros.
Dividindo o n√ļmero de mortes pelo de litros de cerveja consumidos, a raz√£o √© (valei-me, calculadora do Windows!) de 0,0000032 morte por litro. Ou, uma morte a cada 32o.000 litros de cerveja consumidos.
Falando assim, parece que n√£o tem nada uma coisa a ver com a outra. Mas √© claro que esse n√ļmero n√£o faz l√° muito sentido: trata-se de uma m√©dia ampla demais. Mas, a√≠ est√°: a lei tamb√©m √© ampla demais.
Olhando por outro √Ęngulo: o Minist√©rio da Sa√ļde estima que 290 mil motoristas alcoolizados saiam √†s ruas todos os dias (alcoolizados mesmo, n√£o gente que tomou meio chope duas horas atr√°s). Num ano, isso totaliza 100 milh√Ķes. A 32 mil mortes ao ano, √© 0,00032 morte por bebum, ou um motorista embriagado para cada 3 mil mortes. Ou ainda, a chance de um b√™bado ao volante acabar matando algu√©m √© de 0,o3%.
Pode n√£o parecer muito, mas √© uma morte a cada 30.000 viagens de autom√≥vel feitas por gente b√™bada. Voltando ao n√ļmero anterior de 290 mil b√™bados ao volante a cada dia, isso s√£o dez mortes di√°rias causadas por motoristas embriagados. Repito: Dez ao dia.
Ou ainda: supondo que três amigos saiam bêbados do happy hour todo dia e guiem para casa, 300 dias por ano (descontando férias e finais de semana), isso garante que, em 30 anos de carreira, um deles acabará tirando pelo menos uma vida.

RIP George Carlin

QI alto leva ao ateísmo!

Peralá, não é bem assim: uma pesquisa que compara nível de religiosidade com o QI médio de vários países conclui que há uma correlação entre baixa crença em Deus e altainteligência média da população.
O que se conclui disso? Muito pouco, acho.
Por mais que seja um resultado divertido e um fait divers interessante para mencionar na happy-hour e ajudar a conquistar gatinhas(os) — se voc√™ e a gatinha forem ateus, claro — aqui cabem todos os caveats usuais: correla√ß√£o n√£o √© causa√ß√£o, pesquisas que usam m√©dias amplas n√£o dizem nada sobre casos individuais, e ningu√©m sabe l√° muito bem o que pr√≥prio teste de QI est√° medindo, afinal. Somando-se a tudo isso, vem o fato de que o principal autor do estudo, Richard Lynn, √© uma figura um tanto quanto pol√™mica.
Mas esse coment√°rio me parece perto do alvo:
De acordo com o professor de psicologia da London School of Economics, Andy Wells, v√°rios estudos j√° demonstraram que pessoas com n√≠veis de QI altos tendem a ter n√≠veis de educa√ß√£o mais altos. “E quanto mais educa√ß√£o as pessoas t√™m, √© mais prov√°vel que elas tenham acesso a teorias alternativas de cria√ß√£o do mundo, por exemplo”, afirma Wells.

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Pol√≠tica de Privacidade | Termos e Condi√ß√Ķes | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


P√°ginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM