Você vai decidir ver esse video? (vídeo)

10_teaser automaticidade

Ser√° que voc√™ veio parar nesse v√≠deo por causa do t√≠tulo dele? Ou por que voc√™ estava de bom humor hoje e saiu clicando em todos os links que viu? Ou por causa da imagem que voc√™ viu do v√≠deo?¬†O tema do v√≠deo de hoje √© como processamos informa√ß√Ķes de maneira autom√°tica ou controlada e como isso impacta as nossas a√ß√Ķes, desde a nossa simples percep√ß√£o de linhas at√© como dirigimos de volta para casa.

[youtube_sc url=”http://youtu.be/sFJPEjAN2pk”]

A sua pr√≥pria decis√£o de ver esse v√≠deo pode ter sido influenciada pelo processamento autom√°tico da imagem do v√≠deo, j√° que ela √© considerada um tipo de imagem que chama mais a aten√ß√£o das pessoas. Embora isso talvez n√£o seja surpreendente para voc√™, normalmente n√£o estamos totalmente conscientes desses fatos nos influenciando antes de tomarmos uma decis√£o – n√≥s simplesmente realizamos as a√ß√Ķes e temos quase sempre a impress√£o de que nossas decis√Ķes s√£o tomadas de maneira racional, embora muitas vezes isso n√£o seja verdade.

Referências recomendadas

Mlodinow, L. (2012). Subliminar: Como o inconsciente influencia nossas vidas. Rio de Janeiro: Zahar.

Nesse livro, o autor descreve como o processamento automático influencia muitos outros aspectos de nossas vidas. Além de descrever os estudos sobre provadores de vinho, ele também fala sobre a automaticidade envolvida na percepção visual (algo que ilustramos no início do vídeo). Eu publiquei aqui no blog uma resenha que fiz desse livro.

Kahneman, D. (2012). R√°pido e devagar: Duas formas de pensar. S√£o Paulo: Objetiva.

Quando o assunto é processamento automático e controlado, esse deve ser o livro mais recente e importante sobre o assunto. Um dos maiores nomes da psicologia que se debruçou por anos sobre essa questão descreve a sua trajetória profissional e as descobertas científicas sobre como a nossa mente funciona.

Psicologia Cognitiva

A psicologia cognitiva surgiu formalmente entre 1950 e 1970, na tentativa de investigar os processos mentais subjacentes ao comportamento humano (Anderson, 2004). A Segunda Guerra Mundial, o computador e a ling√ľ√≠stica foram as tr√™s principais influ√™ncias para o desenvolvimento posterior desse campo de pesquisa. A Segunda Guerra Mundial proporcionou financiamento para pesquisas envolvendo desempenho humano e aten√ß√£o, uma pesquisa de natureza pr√°tica que n√£o era atraente para os behavioristas naquele momento.

O desenvolvimento dos computadores e da Intelig√™ncia Artificial forneceu um modo de pensar metaf√≥rico sobre nossa intelig√™ncia, sendo o c√©rebro um “hardware” e a mente um “software” nessa id√©ia (Anderson, 2004). As analogias e utiliza√ß√Ķes de conceitos de computa√ß√£o s√£o facilmente constat√°veis na produ√ß√£o de conhecimento que surgiu desse novo campo de estudo. Continue lendo…