Anivers√°rio do Blog!

O Ciência РUma Vela no Escuro está comemorando 1 ano de existência hoje, dia 28/04/2011!

A experi√™ncia de manter esse blog tem sido muito enriquecedora, desafiadora e gratificante. Conheci pessoas muito legais na blogosfera e aprendi demais por aqui lendo textos, coment√°rios, vendo v√≠deos e participando de discuss√Ķes. Gostaria de compartilhar um pouco da hist√≥ria da cria√ß√£o do blog e da minha experi√™ncia com ele.

Me considero ainda um amador no ramo, mas h√° um ano atr√°s eu era mais amador ainda, quando resolvi come√ßar a escrever um blog sobre ci√™ncia, ainda muito inexperiente na arte de escrever e ignorante quanto ao conhecimento; sem saber direito aonde ia dar, mas muito empolgado depois de ler um certo livro. O livro era O mundo assombrado pelos dem√īnios: A ci√™ncia vista como uma vela no escuro de Carl Sagan. Foi dai principalmente que veio a id√©ia do t√≠tulo do blog e a inspira√ß√£o para cri√°-lo. Continue lendo…

Inato x Aprendido (Parte 2)

Autores: André Rabelo e Felipe Novaes

Texto também publicado no Blog NERDWORKING

A rejei√ß√£o contempor√Ęnea da natureza humana tem a ver com o medo da desigualdade, do racismo, da guerra e da viol√™ncia, visto que durante o s√©culo XX algumas explica√ß√Ķes biol√≥gicas foram (mal) forjadas por pessoas para justificar id√©ias eugenistas e racistas.

Portanto, tais receios n√£o s√£o totalmente injustific√°veis, visto que movimentos como o nazismo, por exemplo, ficaram conhecidos por fazer uso de explica√ß√Ķes supostamente biol√≥gicas (como a no√ß√£o de ra√ßa superior que deveria dominar), de uma forma totalmente deturpada para cometer atrocidades.

O problema √© que estas preocupa√ß√Ķes que se pautam exageradamente no passado acabam ignorando a proposta atual da utiliza√ß√£o de explica√ß√Ķes biol√≥gicas, que √© diferente da que foi feita, de forma distorcida e desonesta, no passado por certas figuras pol√≠ticas.

A pr√≥pia biologia se encarregou de demonstrar que somos todos primos, unidos pela mesma √°rvore da vida, sendo que diferen√ßas superficiais como a cor da pele ou o formato dos olhos n√£o podem dizer quais s√£o os nossos potenciais nem as nossas caracter√≠sticas fundamentais, muito menos a nossa fun√ß√£o social. Dois avan√ßos importantes na teoria gen√©tica ajudaram a desmisitifcar o determinismo gen√©tico (Gould, 1991): a id√©ia de heran√ßa polig√™nica e a falta de diferencia√ß√£o gen√©tica entre humanos. Essas duas id√©ias podem ser resumidas, respectivamente, da seguinte forma: as caracter√≠sticas humanas s√£o o resultado da participa√ß√£o de v√°rios genes juntamente com um “ex√©rcito de efeitos interativos e ambientais” (Gould, 1991); as diferen√ßas gen√©ticas entre indiv√≠duos das diversas ra√ßas humanas s√£o extremamente pequenas, ou seja, n√£o existem “genes raciais” que diferenciem uma ra√ßa da outra.

A antipatia √† explica√ß√Ķes biol√≥gicas, ironicamente uma ‚Äúheran√ßa‚ÄĚ do debate entre o que era inato ou aprendido, surgiu principalmente por conta de id√©ias como o darwinismo social, o determinismo gen√©tico e a frenologia. Continue lendo…

O que é a consciência?

Eu e Rodrigo Véras traduzimos um texto que foi publicado hoje no Bule Voador. Deem uma olhada!

Fonte: Psychology Today

Autor: Paul Thagard*

Tradução: Rodrigo Véras e André Rabelo

 

im100Pessoas experimentam percep√ß√Ķes como azul, sensa√ß√Ķes como dor, emo√ß√Ķes como ¬≠felicidade, e pensamentos como acreditar que a primavera finalmente chegou. Ser√° que a psicologia e a neuroci√™ncia ser√£o um dia capazes de explicar como as pessoas t√™m esses tipos de consci√™ncia?

A psicologia e a neuroci√™ncia t√™m feito grandes progressos na explica√ß√£o de muitos processos mentais, como resolu√ß√£o de problemas, aprendizagem e uso da l√≠ngua. Mas muitas pessoas ainda t√™m a intui√ß√£o de que, n√£o importa o quanto a ci√™ncia cognitiva progrida, ela ainda ser√° incapaz de lidar com o mist√©rio da consci√™ncia. Nesta vis√£o, todos n√≥s temos uma compreens√£o b√°sica da experi√™ncia consciente atrav√©s de nossos pr√≥prios epis√≥dios de percep√ß√£o, sensa√ß√£o, emo√ß√£o e reflex√£o. Mas existe um abismo explanat√≥rio intranspon√≠vel que impede a ci√™ncia de trazer a consci√™ncia para dentro do seu √Ęmbito.

A ci√™ncia seria de fato incapaz de explicar a consci√™ncia se as experi√™ncias mentais fossem propriedades de almas imateriais, cujas opera√ß√Ķes permaneceriam totalmente misteriosas a partir da perspectiva dos mecanismos que os f√≠sicos, qu√≠micos, bi√≥logos e psic√≥logos utilizam para explicar o que acontece. Mas existem insuficientes evid√™ncias que sustentem a vis√£o de que mentes s√£o qualquer coisa al√©m de c√©rebros, desta maneira a perspectiva n√£o-materialista n√£o parece gerar uma barreira para a explica√ß√£o da consci√™ncia. Continue lendo…

Inato x Aprendido (Parte 1)

Autores: André Rabelo e Felipe Novaes

Texto também publicado no Blog NERDWORKING

Desde a Gr√©cia antiga at√© os dias de hoje, uma id√©ia tem tido grande influ√™ncia na discuss√£o acerca da natureza humana ‚Äď a dicotomia entre comportamentos inatos e aprendidos ou explica√ß√Ķes biol√≥gicas e culturais do comportamento, o que ficou conhecido com o debate nature or nurture, natureza ou cria√ß√£o, inato ou aprendido.

Este debate acalorado teve seu auge na metade do s√©culo passado e seu per√≠odo mais cr√≠tico durou cerca de 20 anos, apesar de muitos ambientes acad√™micos ainda enfrentarem este fantasma, fruto de uma antiga disputa que misturou posi√ß√Ķes ideol√≥gicas e pol√≠ticas com cient√≠ficas.

De um lado, sociobi√≥logos e et√≥logos afirmavam que grande parte dos comportamentos eram inatos; do outro, pesquisadores das ci√™ncias sociais e psic√≥logos behavioristas defendiam que a maior parte dos comportamentos (ou todos) eram aprendidos. Continue lendo…

Kindle

O Kindle √© um dispositivo de leitura digital desenvolvido pela Amazon. Hoje em dia j√° √© poss√≠vel encontrar uma grande variedade de op√ß√Ķes desse tipo de dispositivo, apesar dele ter sido pioneiro ao usar uma nova tecnologia de visualiza√ß√£o, o E-ink ou Pearl.

Essa tecnologia da a sensa√ß√£o de, ao ler a tela do dispositivo, estar lendo uma folha de papel. Uma folha de papel um pouco cinza, mas ainda assim muito mais pr√≥ximo de uma folha do que de uma tela de computador. Continue lendo…

A Fronteira Estava em Toda Parte

O pessoal do Bule Voador legendou o primeiro epis√≥dio da S√©rie Sagan, uma bela produ√ß√£o¬†internacional¬†visando resgatar mensagens de Carl Sagan em v√≠deos pequenos. Este primeiro epis√≥dio, dispensa qualquer coment√°rio (apenas recomendo ver com o volume alto). Continue lendo…

Bebês Gêmeos Tagarelas

ResearchBlogging.org √Č no m√≠nimo desconcertante assistir o v√≠deo em que dois beb√™s g√™meos com menos de 17 meses de idade conversam e gesticulam como se estivessem estabelecendo uma comunica√ß√£o intelig√≠vel entre eles. O v√≠deo em quest√£o vem fazendo tanto sucesso que ja possui mais de 9 milh√Ķes de visualiza√ß√Ķes.

Os beb√™s tem sido muito estudados por psic√≥logos do desenvolvimento mas tamb√©m por psic√≥logos evolucionistas e cognitivos, que hoje em dia se sobrep√Ķem muitas vezes no estudo do ser humano visto que seus conhecimentos t√™m sido fundamentalmente complementares. Continue lendo…