Estrela tira embalagem de pl√°stico de brinquedos

Até que enfim! A Brinquedos Estrela está extinguindo as embalagens de plástico shrink Рaquele fininho e elástico que envolve os jogos Рa partir de agosto. Segundo Brasil Santiago da Silva, especialista técnico em plástico do Projeto Prumo do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), ele demora mais de 70 anos para se decompor na natureza.
“Temos responsabilidade pelas influ√™ncias que passamos para as crian√ßas. O pl√°stico n√£o tem fun√ß√£o para o jogo. Apenas prote√ß√£o”, diz Aires Leal Fernandes, diretor de marketing da marca. De acordo com a TNS, empresa de pesquisas de mercado, 74% das crian√ßas brasileiras est√£o preocupadas com a√ß√Ķes que possam ajudar a natureza. √Č por meio da escola, 90%, e da televis√£o, 86%, que elas mais aprendem sobre o tema.
As embalagens de papel√£o da linha tamb√©m ser√£o reformuladas, feitas com papel mais resistente. Elas ganhar√£o uma plastifica√ß√£o especial que dar√° brilho e viscosidade. Assim, os lojistas poder√£o colar e retirar etiquetas sem danificar as embalagens. “Haver√° selos de prote√ß√£o para o jogo n√£o ser aberto no ponto de venda”, afirma o executivo. Os pl√°sticos internos que acondicionam as pe√ßas dos jogos ser√£o trocados por outros com zip. A ideia √© permitir que seja aberto e fechado quantas vezes necess√°rio.
Agora, é relevante os fabricantes de bolachas embalar uma a uma dentro de um pacote? As lojas de calçados e bolsas precisam usar tantos papéis e plásticos para forrar e preencher os produtos? Não seria tudo isso um grande desperdício?

Eu vi tucanos em S√£o Paulo

N√£o, n√£o estou falando dos pol√≠ticos. Hoje, eu acordei feliz, alegre e contente. Ainda meio sonada, abri a janela da sala para verificar o tempo chuvoso e cinzento. Quando, de repente… o dia ficou mais colorido! Vi um tucano-de-bico-verde voando de uma √°rvore para outra em frente ao meu pr√©dio!
H√° dias ou√ßo um gritinho diferente. Maritaca n√£o era… Papagaio tamb√©m n√£o… Desconfiei de tucanos. E era mesmo! Fiquei emocionada. Gritei para minha m√£e ir ver. Quando pasmamos na janela, descobrimos que n√£o era apenas um tucano, mas um bando. Cerca de cinco voavam de √°rvore em √°rvore todas em frente ao meu pr√©dio.
Ai que gracinhas… Tentei tirar foto para registrar o bonito momento. Mas como moro no √ļltimo andar e eles ficavam escondidos entre os galhos, n√£o deu certo. Da√≠ fiquei plantada o tempo que pude – pouco, infelizmente – para tentar filmar os voos. O melhor v√≠deo √© esse:

Fiquei ainda mais apaixonada por essas aves… A primeira vez que vi um tucano em pleno v√īo – sem ser dentro de uma gaiola – foi em Bonito, no Mato Grosso do Sul. Est√°vamos indo ao Buraco das Araras – uma depress√£o na terra que forma um buraco gigantesco de 65 metros de altura onde as araras fazem ninhos – quando o bicho atravessou o ar da estrada. Inesquec√≠vel.
Minha tia disse que há mais de dez anos viu um tucano nessa árvore que filmei. Fiquei na esperança desses pássaros voltarem a habitar a região. Por sorte, não sei qual a explicação, o pedido se realizou. Agora, espero que observar o voo dos tucanos seja rotina na capital paulista. Saiba mais sobre a ave aqui e ali.

Tudo sobre rinite alérgica

‚ÄúAi meu nariz, ai meu nariz. Ele parece muito mais um chafariz‚ÄĚ. Essa m√ļsica √© da minha √©poca de Bal√£o M√°gico… E resume minha dica de site. O m√©dico Jo√£o Ferreira de Mello J√ļnior, chefe do Grupo de Alergia em Otorrinolaringologia do Hospital das Cl√≠nicas de S√£o Paulo, elaborou o conte√ļdo de um site com informa√ß√Ķes sobre a rinite al√©rgica. Ele se chama… ‚ÄúO Meu Nariz‚ÄĚ.
A doen√ßa afeta cerca de 30% da popula√ß√£o mundial, segundo dados da Organiza√ß√£o Mundial da Sa√ļde (OMS). Eu, Isis, acredito que atinge 90% dos moradores da capital paulista. O portal sobre a rinite al√©rgica re√ļne o funcionamento da doen√ßa, seus mitos e tratamentos. Tamb√©m possui jogos e links para comunidades sobre o tema. Os pap√©is de parede s√£o irrelevantes, mas a ideia de desmistificar a doen√ßa mostrando como control√°-la √© interessante.

O homem pisou na Lua ou é Photoshop?

A-h√°. H√° poucos dias publiquei que seria poss√≠vel ver as geringon√ßas que o homem, supostamente (!), deixou na Lua ‚Äď leia aqui. Agora, a Nasa divulgou as tais imagens. Trata-se da primeira vez que os equipamentos deixados l√° pelos astronautas das miss√Ķes Apollo s√£o fotografados.
As fotos foram feitas pela sonda LRO, responsável pelo mapeamento do nosso satélite. Ela irá passar novamente pelo mesmo local e fazer mais cliques. Só que com resolução de imagem até três vezes melhor. Daí, hoje participei de uma discussão.
Quem n√£o acredita que o homem pisou na Lua jura que as imagens foram photoshopadas. Para os incr√©dulos, a Nasa colocou essas ‚Äúpintinhas‚ÄĚ e “rabiscos” na superf√≠cie afirmando que s√£o os restos dos¬† m√≥dulos de descida lunar, suas sombras alongadas e pegadas de astronautas na superf√≠cie. Clique na foto para ampliar:

A imagem mostra o local de pouso da Apollo 14. Em sentido horário, estão indicados os instrumentos científicos, as pegadas dos astronautas, a sombra e o módulo lunar. E aí? O homem foi ou não à Lua? Para saber mais sobre as fotos tiradas pela sonda, veja aqui.
ESTE POST FOI PUBLICADO NO BLOG RODA DE CIÊNCIAS. POR FAVOR, COMENTE AQUI.

Brasileira faz tratamento com células-tronco na China

Mais um brasileiro recorre aos tratamentos chineses. A menina pernambucana Clara Pereira, com um ano e nove meses de idade, recebeu seis inje√ß√Ķes com c√©lulas-tronco para curar a paralisia cerebral. Ela possui o problema desde o nascimento. A fam√≠lia de Clara, uma das primeiras crian√ßas brasileiras com essa condi√ß√£o a se tratar na China, foi ao pa√≠s asi√°tico por n√£o encontrar terapia semelhante no Brasil.
“As propriedades das c√©lulas-tronco s√£o importantes tamb√©m para doen√ßas raras que necessitem de regenera√ß√£o”, conta o pediatra Carlos Alexandre Ayoub, do Centro de Criogenia Brasil (CCB). De acordo com o m√©dico, a cada dia surgem novas t√©cnicas e aplica√ß√Ķes para as c√©lulas-tronco. Mas eleconta que √© necess√°rio fazer pesquisa antes de us√°-las como tratamento. “N√£o concordamos com tratamentos sem base cient√≠fica e sem comprova√ß√£o √©tica de resultados”, afirma Ayoub.
Alguns m√©dicos, inclusive brasileiros, discordam dos tratamentos chineses. Justamente por afirmarem que n√£o h√° comprova√ß√£o cient√≠fica de resultados. Agora, se o pai da crian√ßa v√™ uma chance para curar o filho e possui condi√ß√Ķes financeiras para tal, √© de se entender que arrisque.
A paralisia cerebral de Clara foi causada pela falta de oxigena√ß√£o das c√©lulas cerebrais durante o nascimento. Ela possui uma intelig√™ncia ‚Äúnormal‚ÄĚ, por√©m perdeu parte dos seus neur√īnios respons√°veis pela coordena√ß√£o motora. Clara n√£o caminha, engole ou fala. No caso dela, os m√©dicos esperam que as c√©lulas-tronco criem novos neur√īnios na √°rea afetada do c√©rebro, para que a menina¬† possa desenvolver habilidades motoras.
Atualmente, mais de 300 doen√ßas est√£o em fase final de testes, com resultados positivos. Para o futuro espera-se reconstituir √≥rg√£os inteiros com c√©lulas-tronco, n√£o dependendo mais de transplante. “√Č por isso que cada vez mais casais buscam coletar e armazenar as c√©lulas-tronco do cord√£o umbilical de seus beb√™s”, diz o m√©dico.

Mata Atl√Ęntica: site com a maior fonte de dados

Segundo e com apoio da Petrobras e das ONGs Conserva√ß√£o Internacional e The Nature Conservancy, foi criada a mais completa base de dados online sobre a Mata Atl√Ęntica. Ela est√° dispon√≠vel na p√°gina chamada… GeoAtl√Ęntica! O site possui informa√ß√Ķes de mais de 50 fontes p√ļblicas e privadas sobre as atividades humanas e os recursos naturais no bioma.
Em desenvolvimento desde 2006, o GeoAtl√Ęntica √© administrado pelo Instituto BioAtl√Ęntica – organiza√ß√£o da sociedade civil sem fins lucrativos. Naveguei no site para checar as informa√ß√Ķes. Apesar do bioma cobrir 17 estados brasileiros, ele apenas disponibiliza dados de S√£o Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Esp√≠rito Santo e Bahia. Melhor do que nada…

Passarela para macacos


São Paulo tem de tudo. E esse é um dos charmes da metrópole. Há um tempinho a prefeitura instalou uma passarela para macacos, mas acho que serve para preguiças também. Ela cruza a Av. Miguel Stéfano, ao lado do Zoológico de São Paulo. Liga os dois trechos cortados pela via no Parque Estadual das Fontes do Ipiranga (PEFI). Toda vez que passar por lá, dê uma olhadinha para cima. Quem sabe tem a sorte de ver um macaquinho feliz, alegre e contente. Segundo fontes confiáveis, a passarela foi instalada porque os animais atravessavam a rua entre os carros.
Dica valiosa: Na quinta-feira passada, dia 9, o congestionamento para chegar ao Zool√≥gico come√ßava na Av. 23 de Maio. Isso d√° cerca de 10 km de transtorno! Imagine, voc√™, ficar duas horas com as crian√ßas no carro parado no tr√Ęnsito. Ent√£o, jamais tenha a bel√≠ssima ideia de visitar o Zool√≥gico aos domingos e feriados, principalmente, ensolarados. Prefira os s√°bados ou os dias nublados. S√©rio. Observe o caos pela foto que tirei no √ļltimo feriado.

Não abandone seu animal de estimação

Um amigo tinha um d√°lmata invocado. ‚ÄúNa √©poca que o filme ‚Äė1001 D√°lmatas‚Äô fazia sucesso, muitos cachorros dessa ra√ßa foram abandonados porque, de modo geral, eles n√£o s√£o pacientes com crian√ßas‚ÄĚ, contou. No Jardim Bot√Ęnico de S√£o Paulo, antigamente, o lago central possu√≠a anf√≠bios e peixes. H√° cerca de 10 anos, ele est√° repleto de tartarugas de √°gua. Elas foram deixadas l√° pelos donos.
A Prefeitura de S√£o Paulo lan√ßou uma campanha para mostrar a crueldade que √© abandonar bichinhos de estima√ß√£o. Tamb√©m para facilitar a ado√ß√£o de c√£es e gatos sadios ‚Äď clique aqui. No ano passado, o munic√≠pio recebeu 14.701 pedidos para recolhimento de animais rejeitados. Este ano, o n√ļmero j√° √© de 5.705.
N√£o quero escrever aqui apenas sobre os bichinhos ‚Äď fofinhos – de estima√ß√£o. Mas sobre o meio ambiente geral de uma metr√≥pole. T√°, a flora e fauna da cidade foi praticamente toda destru√≠da, rios e ar est√£o polu√≠dos, existe o inc√īmodo das luzes e do barulho exagerados. No entanto, saiba que um gatinho e um cachorrinho s√£o esp√©cies ex√≥tica em Sampa ‚Äď e na maioria das cidades brasileiras. Exceto gatos e c√£es selvagens nativos das regi√Ķes.
O que isso significa? Que, quem tem bicho de estima√ß√£o, jamais deve abandon√°-los. Ao fazer isso, ele est√° prejudicando ainda mais o resto que nos resta de Mata Atl√Ęntica, Cerrado, Pantanal, seja o bioma que for. Est√° praticando um ‚Äúcrime‚ÄĚ ambiental. Para se ter um exemplo desse problema, um lindo gatinho exterminou uma esp√©cie de passarinho que vivia apenas na Nova Zel√Ęndia. Leia mais sobre essa hist√≥ria e os riscos que esses animais apresentam para, em quest√£o, a Mata Atl√Ęntica nesse post que fiz para o Blog do Planeta.
Veja o vídeo da campanha do Programa de Proteção e Bem-Estar de Cães e Gatos (Probem), prefeitura de Sampa.

Olhe o passarinho espacial!

N√£o sei se voc√™ viu por a√≠, mas v√°rios sites est√£o noticiando fotos tiradas pelos astronautas que temporariamente ‚Äúmoram‚ÄĚ na Esta√ß√£o Espacial Internacional (ISS, em ingl√™s). Eu queria saber como eles conseguiam essas imagens. Porque, onde tem uma, deve haver mais. Como quem procura acha, passo o link em primeira m√£o: veja as 10 melhores fotos selecionadas pela Nasa.

Obs.: A imagem acima, do vulc√£o Etna em erup√ß√£o, √© de autoria do astronauta Leroy Chiao que j√° tirou mais de 24 mil fotos em suas viagens espaciais! E, eu, sequer pisei em uma nave…

Letra ecológica

ecofontSeja qual for o porquê, você tem que imprimir certo texto. Mesmo sentindo dor no coração por poluir o meio ambiente com papel e tinta. Mas não se preocupe. A Isis e o Puto em Maputo dão uma solução. O site Ecofont disponibiliza, de graça, uma letra que economiza tinta. Basta clicar aqui para baixá-la.
A invenção é da agência de comunicação holandesa Spranq. Ela testou o quanto é possível reduzir a tinta das letras desde que elas se mantenham legíveis. Após checar vários tipos, chegou ao resultado que ilustro ao lado. Segundo a empresa, essa fonte economiza até 20% de tinta.
Adorei. Una o papel reciclado √† ‚Äúecofont‚ÄĚ e seja feliz, como profere todo dia o querido jornalista Salom√£o Schwartzman.