Por que as pessoas se importam com a opinião dos outros? (vídeo)

245_thumb_reputação

Voc√™ j√° se sentiu mal depois de ouvir uma cr√≠tica de algu√©m ou se sentir ignorado nas redes sociais? Hoje vamos falar sobre como o passsado evolutivo da nossa esp√©cie e as circunst√Ęncias atuais em diferentes culturas podem te ajudar a entender porque essas coisas s√£o t√£o desconfort√°veis para tanta gente. Voc√™ pode ver o v√≠deo de hoje abaixo ou clicando aqui.

[youtube_sc url=”https://youtu.be/tp-H1i_nOak”]

A reputação funciona como um sinal que informa as outras pessoas sobre a propensão de alguém agir de uma certa forma. Hoje vamos falar especificamente da reputação enquanto um sinal de que uma pesssoa é cooperativa e tende a retribuir as ajudas que recebe. Nesse sentido, a reputação costuma ser fundamental para a harmonia e a estabilidade de um grupo, já que tende a incentivar a cooperação entre os membros e a reduzir comportamentos egoístas de aproveitadores ou trapaceiros. Ao que tudo indica, essa preocupação com a própria reputação e a dos outros é uma herança que herdamos da vida em grupo que os primeiros humanos caçadores-coletores levavam. Durante cerca de 95% da existência da nossa espécie, nós vivemos como grupos de caçadores-coletores. As pessoas que vivem em grupos assim são altamente dependentes da cooperação entre os membros para conseguir sobreviver e se reproduzir.

Referências recomendadas

Consulte a seguir diferentes materiais discutindo reputação, cooperação, evolução e trapaceiros: link, link, link, link, link, link, link, link, link, link, link, link, link, link, link, link, link, link, link.

 

Fim dos likes no Instagram: Qual será o impacto psicológico? (vídeo)

242_thumb_instagram

O Instagram ocultou a quantidade de likes que aparece publicamente. Que consequências psicológicas podem ser esperadas a partir de agora dentro dessa rede social? Duas teorias psicológicas podem ajudar a entender isso: a teoria do sociometro e da comparação social. Você pode ver o vídeo de hoje abaixo ou clicando aqui.

[youtube_sc url=”https://youtu.be/5AIvqK19pJA”]

Aqui vai um pouco do come√ßo do v√≠deo:¬†Likes nas redes sociais s√£o interpretados por muita gente como feedbacks sobre a pr√≥pria reputa√ß√£o. Mas por que ser√° que esses feedbacks podem fazer voc√™ se sentir bem ou mal? A teoria do sociometro ajuda a entender isso. Ela prop√Ķe que a autoestima √© um tipo de term√īmetro social que reflete o quanto voc√™ percebe que √© bem visto e querido por outras pessoas. Se voc√™ se sente apreciado pelos outros, sua autoestima tender√° a ser maior. Uma das principais fun√ß√Ķes da autoestima ent√£o seria a de sinalizar o qu√£o bem voc√™ est√° indo nas suas rela√ß√Ķes sociais. Esse seria um dos motivos pelos quais as pessoas costumam se sentir mal quando s√£o criticadas, rejeitadas ou ignoradas por outros. Antes das redes sociais, as pessoas recebiam esses feedbacks durante suas intera√ß√Ķes presenciais com outros e de maneira mais privada. O advento das redes sociais levou isso para um novo patamar muito mais regular e p√ļblico.

Referências recomendadas

Você vai poder encontrar várias referências sobre Instagram, Facebook, a psicologia por detrás das redes sociais e algumas outras coisas nos links a seguir: link, link, link, link, link, link, link, link, link, link, link, link, link, link, link, link, link, link, link, link, link, link, link.

Inveja e redes sociais (vídeo)

225_thumb_inveja

As redes sociais são lugares muito propícios para estimular a inveja e veremos hoje os possíveis impactos disso, além de como as redes sociais te condicionam para permanecer dentro delas. Você pode ver o vídeo de hoje abaixo ou clicando aqui.

[youtube_sc url=”https://youtu.be/qMx9grUxNb4″]

Referências recomendadas

Seguem algumas referências boas sobre o assunto do vídeo de hoje: link, link, link, link, link, link, link, link, link, link, link, link, link, link, link, link, link, link, link, link, link, link.

Polarização política, internet e nossa vocação tribal (vídeo)

200_thumb_polarização

Tem muita gente irritada com política e tendo dificuldade de lidar com pensamentos diferentes. Falaremos hoje um pouco sobre polarização política, qual é a influência da internet nisso e o que nossa vocação tribal tem a ver com todas essas brigas. Você pode ver o vídeo de hoje abaixo ou clicando aqui.

[youtube_sc url=”https://youtu.be/nIZpirQki6c”]

Referências recomendadas

Aqui vai uma tonelada de links sobre pol√≠tica, polariza√ß√£o pol√≠tica, ideologia, redes sociais, m√≠dia, grupos e por ai vai (tamb√©m recomendo muito assistir os v√≠deos que aparecem nos cart√Ķes do v√≠deo de hoje como sugest√Ķes): link, link, link, link,¬†link, link, link, link,¬†link, link, link, link,¬†link, link, link, link,¬†link, link, link, link,¬†link, link, link, link,¬†link, link, link, link,¬†link, link, link, link,¬†link, link, link, link,¬†link, link, link, link,¬†link, link, link, link,¬†link, link, link, link,¬†link.

 

Crenças persistentes e bolhas sociais (vídeo)

195_thumb_crenças

Suas cren√ßas captam o que voc√™ entende da realidade, mas esse processo est√° longe de ser perfeito. Mesmo com imprecis√Ķes, cren√ßas tendem a ser resistentes √† mudan√ßas e facilmente fortalecidas por informa√ß√Ķes concordantes. Por conta disso, a internet oferece amea√ßas √†s nossas mentes e rela√ß√Ķes. Voc√™ pode ver o v√≠deo de hoje abaixo ou clicando aqui.

[youtube_sc url=”https://youtu.be/zomu0Spkd0E”]

Referências recomendadas

Mais uma vez citarei como principal refer√™ncia¬†o¬†manual de psicologia social de Aronson, Wilson e Akert (8a edi√ß√£o). O foco deles √© descrever o que s√£o cren√ßas e a perseveran√ßa da cren√ßa. Em outros trabalhos que linkaremos aqui, v√°rias pondera√ß√Ķes s√£o feitas sobre como a internet tem enviesado o processamento de informa√ß√Ķes sociais por meio de bolhas e potencializado a perseveran√ßa de cren√ßas. Vejam os seguintes materiais: link, link, link, link,¬†link, link, link, link,¬†link, link, link, link,¬†link, link, link, link,¬†link, link, link, link,¬†link, link.

Facebook (vídeo)

32_teaser_facebookQuem são as pessoas que mais usam o Facebook? Quais são os efeitos (se é que existe algum) do Facebook na mente e no comportamento das pessoas? Será que o Facebook está nos aproximando ou afastando das outras pessoas? Veja algumas respostas para essas perguntas no vídeo de hoje (veja abaixo ou clicando aqui)!

[youtube_sc url=”http://youtu.be/GWY0VrUXhlE”]

Referências recomendadas

Usamos como base para escrever o roteiro várias referências de pesquisas citadas nesse texto aqui em um post do recomendadíssimo blog Research Digest. Lá são descritas muitas outras pesquisas sobre o Facebook.

Obs 1 (24/02/2015):¬†Complementando os estudos citados no v√≠deo, outra pesquisa sobre o Facebook foi publicada ontem! Os pesquisadores encontraram que n√£o apenas o uso, mas especificamente o “uso passivo” do Facebook pode reduzir o bem-estar afetivo das pessoas e que a inveja tem um papel importante nesse efeito. Vejam abaixo o t√≠tulo, o resumo e o link da pesquisa:

Passive Facebook Usage Undermines Affective Well-Being: Experimental and Longitudinal Evidence.

Prior research indicates that Facebook usage predicts declines in subjective well-being over time. How does this come about? We examined this issue in 2 studies using experimental and field methods. In Study 1, cueing people in the laboratory to use Facebook passively (rather than actively) led to declines in affective well-being over time. Study 2 replicated these findings in the field using experience-sampling techniques. It also demonstrated how passive Facebook usage leads to declines in affective well-being: by increasing envy. Critically, the relationship between passive Facebook usage and changes in affective well-being remained significant when controlling for active Facebook use, non-Facebook online social network usage, and direct social interactions, highlighting the specificity of this result. These findings demonstrate that passive Facebook usage undermines affective well-being.

http://psycnet.apa.org/psycinfo/2015-08049-001/