Arquivo da tag: esporte

Pedalando até o Horto Florestal de Campos do Jordão

Fiquei t√£o viciada em andar de bicicleta que descartei a possibilidade de passar minha folga do trabalho longe dela. Fiz duas viagens – e trouxe de ambas v√°rios aprendizados para compartilhar neste blog, aguarde. Na primeira, fui para Campos do Jord√£o bregamente intitulada “Su√≠√ßa Brasileira” e marketing que, ali√°s, acaba desmerecendo a belezinha de munic√≠pio. Lindinho, n√£o pela sua arquitetura inspirada “nas Europas”, mas porque est√° inserido no meio da Serra da Mantiqueira. As paisagens s√£o inspiradoras.

Apesar dos morros que encontramos na cidade e no entorno dela Рcomo era de se esperar de uma Serra -, o lugar é fantástico para quem gosta de pedalar. Possui uma ciclovia plana, uma pequena estrutura Рmelhor do que o quase nada de São Paulo Рpara estacionar a bicicleta em frente aos estabelecimentos, ruas calmas no verão, estradinhas de terra e muito ciclista. Vou abordar tudo isso nos posts que veem por aí. Bom, além disso, li que um dos passeios imperdíveis para quem está começando a pedalar era andar de bicicleta no Horto Florestal do município. E aí fui eu.

 

A curiosa teve a bel√≠ssima ideia de ir de bicicleta at√© o Horto. Antes de ir, perguntei para um morador como era o caminho: “Tranquilo, uma reta plana”. Para quem est√° de carro, n√©? A avenida – parece rodovia, mas n√£o √© – at√© o parque possui uma leve subida, impercept√≠vel. Como ainda sou caf√©-com-leite na pedalada, penei nos dez quil√īmetros. Afinal, ainda havia mais trilhas no Horto. Escolhi a trilha da¬†Cachoeira da Galharada¬†– ao final chega-se a ela com direito a estacionamento para bicicletas (foto) – e uma trilha especialmente para bicicletas. As outras s√£o mais indicadas para caminhada.

 

O Horto Florestal vale o passeio: bem cuidado, sinalizado e com atividades para todas as idades. Ele está localizado entre Minas Gerais e São Paulo, se intitulando a maior extensão contígua de pinheiros brasileiros no Sudeste distribuído em vales e morros com altitudes que variam de 1030 a 2007 metros. Agora, se você levar a bicicleta até Campos do Jordão vá pedalando para o parque. O caminho se revelou uma atração à parte. Saiba mais no vídeo acima!

Pensou em subir o morro do bondinho a pé?

Este post √© para quem gosta de apreciar mar, montanha, p√°ssaros, flores, esp√©cies em extin√ß√£o, tudo junto e misturado. A Pista Cl√°udio Coutinho, mais conhecida como Trilha da Urca, √© um dos meus pontos preferidos no Rio de Janeiro – outros s√£o o Arpoador, Museu da Ch√°cara do C√©u, Parque das Ru√≠nas, Aterro do Flamengo, Prainha, Grumari, Lagoa, afe, lista extensa. A trilha une pr√°tica de esportes ao ar livre, caminhada ou corrida, com a contempla√ß√£o de paisagens de tirar o f√īlego. O melhor: tudo com a seguran√ßa de um terreno do ex√©rcito.

Seus 2.500 metros podem ser feitos a p√© por pessoas de todas as idades, pois o caminho ligeiramente √≠ngreme possui ch√£o de asfalto. Durante o agradabil√≠ssimo passeio, √© poss√≠vel ver pau-brasil rec√©m-plantado e esp√©cies em extin√ß√£o como, por exemplo, orqu√≠dea-da-g√°vea, brom√©lia-da-urca, vel√≥zia-branca e roxa. Entre os p√°ssaros, podem ser avistados: ti√™-sangue, gavi√£o-carij√≥, sa√≠-azul, sanha√ßos e tesour√£o. Claro que os saguis tamb√©m d√£o pinta por l√° – veja o v√≠deo com mais informa√ß√Ķes clicando na primeira imagem deste post.

 

Agora, a cereja do bolo é a trilha que dá acesso ao topo do Morro da Urca, onde fica a primeira parada do bondinho. Sim, é possível subir os cerca de 220 metros do Morro da Urca com seus próprios pés! O caminho que dá acesso ao topo está sinalizado à esquerda nos primeiros metros da Pista Рfique atento. Alguns degraus de madeira improvisados são o começo da árdua subida. Prepare-se.

O caminho exige do corpinho – em alguns trechos, usei at√© as m√£os para me equilibrar devido √† inclina√ß√£o… Para piorar ou aumentar a adrenalina, quando fui tinha acabado de chuviscar. A terra estava molhada e escorregadia. Como o clima entre as √°rvores √© sempre √ļmido, talvez essa seja uma condi√ß√£o constante do solo.

Durante a subida, estava ansiosa para ver a paisagem. O que não foi possível porque a mata fechada impedia, inclusive, a entrada dos raios solares. De certa maneira, não poder apreciar a Baía de Guanabara aumentou ainda mais a ansiedade, a inquietação, a euforia. O que viria à frente?

Apenas ao chegar quase no topo da trilha √© poss√≠vel avistar parte da Praia de Botafogo (foto ao lado) – o outro lado do Morro, j√° que o acesso √† Pista se d√° pelo cantinho da Praia Vermelha, no bairro da Urca (foto √† esquerda). Bom, seguindo trilha adentro alguns metros para a esquerda… Tcha-nan! Um port√£o √© a dica de que chegou a primeira parada do bondinho! Cerca de uma hora e pouco de subida, voc√™ est√° na primeira parada do bondinho! Do bondinho!

√Č emocionante atingir o topo com seu pr√≥prio esfor√ßo. L√° em cima, a t√£o almejada vista √© de tirar o f√īlego – se √© que sobrou algum. Vale cada gota de suor. Suspiro.

Obs.: Quem preferir, pode fazer o caminho inverso. Descer o Morro da Urca pela trilha. Ou subir e descer. No meu caso, voltei usando o bondinho como meio de transporte – voc√™ pode comprar a passagem s√≥ de descida l√° em cima, mesmo. H√° mais de 15 anos n√£o passeava nele…