Sobre a cegueira.

Peguei-me relendo anotações que fiz quando li o “Auto-de-fé”, do Elias Canetti. E, na mesma página, grifei dois trechos: “Detestava-a, porque ela jamais cessava de amá-lo” e “ (…) Um homem como você (que se finge de cego) tem de agüentar que a gente o engane desse jeito.(… ) Vem um sujeito e lhe atira um botão, mas tem de dizer ‘obrigado’. Se não disser ‘obrigado’, adeus cegueira e adeus freguesia.(…) Enganar assim uma pessoa é uma sujeira.” O primeiro trecho não necessita de explicação. Já o segundo, é impagável, pois, afinal, quem é o pior: o que se finge de cego ou aquele que, ao doar, substitui uma moeda por um botão?

Discussão - 5 comentários

  1. Paulo Lima disse:

    Penso: ambos e nenhum, depende!No direito, a intencão (dolo) pode determinar a prisão. A intenção do doador era desmascarar o falso cego ou, de fato, enganá-lo?Cruel…aquele abraço

  2. A intenção era enganá-lo, pois não sabia que se tratava de um falso cego.Abraço!

  3. Ou: o que é pior, o Bolsa-Família perpetuando e clientelizando a miséria ou um obrigado em forma de 60 milhões de votos?Abs.

  4. Mas a diferença é que há um cego de verdade: o povo.

  5. É, Amigo: a maioria é cega, mesmo, mas também tem aqueles que se fazem de cegos pra ver se faturam alguma coisa.Nem que seja uma consciência pretensamente limpa…

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Categorias

Skip to content

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM