Babel: a big mistake?

Na última sexta-feira, em meio a uma semana muito atribulada, tive a rara oportunidade de jantar com duas das maiores autoridades do mundo no que diz respeito às ciências cognitivas – leia-se, basicamente, linguagem e memória. Foi interessante notar as posições divergentes entre os dois “experts”. Um deles, do qual discordei e permaneço ainda irredutível, defendeu a tese de que “Babel was a big mistake”. De acordo com os seus argumentos, um planeta sem barreiras linguísticas seria mais justo, mais humano, uma vez que a língua seria o mais poderoso elemento aglutinador de pessoas – algo como a teoria da revolução permanente de Trotsky, o tal comunismo sem barreiras. Já o outro eminente pesquisador disse exatamente o contrário: as diferentes línguas aglutinam homens que compartilham uma cultura própria, com valores sociais, morais e humanos particulares, e, a partir dessa diversidade cultural, nós podemos aumentar o nosso repertório mental (cognitivo) quando entramos em contato com essas diferenças. Essa última visão é muito próxima do que defendeu Nietzsche, ainda que de maneira muito peculiar: declarando o seu ódio ao idioma alemão. A discussão não foi decidida, mas o colega que defendeu o fim de Babel – e que cuja língua pátria é o idioma de Shakespeare- , instantes antes de entrar na discussão aqui descrita, perguntou para mim como é que ele poderia dizer “métier” em inglês, pois não estava conseguindo achar palavra melhor…

Discussão - 11 comentários

  1. Anonymous disse:

    QUERIDO MESTRE CONSELHEIRO MARCELO QUE TEMA MARAVILHOSO ESTE ESCOLHIDO POR VOCÊ, O TÍTULO TUDO A VER COM FIM E SE NÃO FOSSE A BAGUNÇA DA MINHA CABEÇA NESTES TEMPOS , IRIA ESCREVER UM DISCURSO.

  2. ped paulo disse:

    Amigo, e o Chomsky?

  3. Anonymous disse:

    ped paulo, não sou oamigo,mas sou o anônimo e adoro o chomsky!fale sobre ele . o que quer falar? saber?

  4. Anonymous disse:

    AMIGO DE M, EU NÃO POSSO SABER QUEM SÃO ESTAS AUTORIDADES ENM CIÊNCIAS COGNITIVAS?OU SEJA ,A GALERA QUE VC JANTOU?

  5. amigo de montaigne disse:

    Infelizmente, não. Sinto muito.

  6. Paulo Lima disse:

    belo post…para mim a riqueza reside nas diferenças, sejam elas culturais, sociais e/ou lingüísticas.

  7. Anonymous disse:

    AMIGO DE M ,ENQUANTO VC ME NEGAVA A INFORAMAÇÃO E “POSTAVA” A NEGATIVA,EU POR OUTRO LADO ESTAVA SOB O SOL E FELIZ AO LADO DA PISCINA ,ENTÃO FAZ-DE-CONTA QUE EU BJUSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS

  8. Anonymous disse:

    eu não me importei.esqueci-me,eis o motivo de outro e tbm para fazer “baguncinha” no AMIGO DE M.

  9. luiz damasceno disse:

    você achou palavra em inglês?

  10. Anonymous disse:

    TENHO CERTEZA QUE NÃO, AINDA QUE DIGA :SIM

  11. amigo de montaigne disse:

    Caro Luiz, não achei palavra melhor, embora houvesse? Você tem alguma sugestão?

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Categorias

Skip to content

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM