Eletr√īnicos ecologicamente corretos

Na linha dos produtos ecologicamente corretos, fico feliz ao encontrar, na ind√ļstria de eletrodom√©sticos, atrav√©s de legisla√ß√£o pertinente do Minist√©rio de Minas e Energia, uma preocupa√ß√£o com a efici√™ncia energ√©tica.
Segundo a ELETROS ‚Äď Associa√ß√£o Nacional de Fabricantes de Produtos Eletroeletr√īnicos, 100% dos produtos das linhas de refrigeradores, freezers e condicionadores de ar fabricados j√° est√£o totalmente enquadrados nas novas exig√™ncias de efici√™ncia energ√©tica desde o in√≠cio de 2007. Mas existem tecnologias cada vez mais limpas dispon√≠veis por a√≠.
Em recente pesquisa do Instituto Akatu (“Como e por que os brasileiros praticam o consumo consciente?“), 37% dos consumidores brasileiros aceitam pagar entre 25 a 35% a mais pelos produtos que tenham um selo verde, que d√£o cr√©dito aos produtos que est√£o de acordo com a legisla√ß√£o ambiental vigente.
Com a ind√ļstria aberta aos desafios de se produzir produtos ecologicamente corretos e os consumidores, dispostos a pagar pelo desenvolvimento das pesquisas, encontramos alguns produtos realmente muito bons, por exemplo:
Ar condicionado que usa em seu processo de refrigeração água, no lugar de gás. O aparelho economiza até 95% da energia consumida por um modelo tradicional.
Máquina de Lavar Roupas que possui sensores que identificam a quantidade de roupa na máquina e calcula o volume de água necessário para cada ciclo, evitando o desperídicio.
Refrigerador que utiliza o gás isobutano, ao invés de HFCs para refrigeração.
Saiba mais:
+ Instituto Akatu
+ Revista Veja (para assintantes Veja e UOL)

A sopa de plástico do Giro do pacífico Norte

Eu fiquei sem palavras. Então vou deixar que imagens, vídeos e textos falem por mim.
Imagens

 
Vídeo (em inglês)
Parte I:

Parte II:

Texto (com excelentes referências)
Brontossauros em meu Jardim
N√ÉO USE SACOLAS PL√ĀSTICAS PARA CARREGAR COMPRAS DO SUPERMERCADO
PREFIRA PRODUTOS SEM EMBALAGENS PL√ĀSTICAS
CONSUMA REFRIGERANTES QUE UTILIZEM GARRAFAS DE VIDRO RETORN√ĀVEIS
ENCAMINHE SEU LIXO PARA RECICLAGEM

Rastro de Carbono no Repórter Eco

Hoje o Rastro de Carbono foi ao ar pela primeira vez! E entrou em cena com estilo, numa reportagem do Repórter Eco, exibido pela TV Cultura.
Basicamente, falei sobre o que penso sobre o papel deste blog. Para quem chega agora, o Rastro de Carbono √© uma tentativa de desassociar a causa ambiental, principalmente relativa √† mudan√ßas clim√°ticas, de um pensamento negativista e catastrofista – que na minha opini√£o s√≥ traz inseguran√ßa, desconforto e uma sensa√ß√£o de impot√™ncia para mudan√ßas de padr√Ķes de vida e de consumo, principalmente.
Sendo assim, nestes posts o leitor deve encontrar informa√ß√Ķes cient√≠ficas sobre √†s causas e consequ√™ncias das emiss√Ķes de gases do efeito estufa, divulga√ß√£o cient√≠fica, com as recentes discuss√Ķes travadas nas melhores revistas cient√≠ficas do mundo e algumas dicas de a√ß√Ķes pessoais que, sem danos grandes √† comodidade da vida, podem ajudar a reduzir o consumo pessoal de carbono equivalente de cada um de n√≥s.
Se voc√™ √© novo por aqui, divirta-se comigo nestes posts. Se voc√™ √© um leitor antigo, deve encontrar um Rastro de Carbono ainda mais ousado e amplo daqui pra frente, com temas como sustentabilidade, empreendimentos no setor, den√ļncias de falsos “ecologicamente corretos” e muito mais.
Aí vai o link do vídeo da matéria exibida hoje, APROVEITE!
http://www.tvcultura.com.br/reportereco/materia.asp?materiaid=768
√Č s√≥ clicar em “ASSISTA AO V√ćDEO”. Devo dizer que apare√ßo s√≥ nos minutos finais!

Maluh Barciotte, uma diva!

O que √© bom merece propaganda. E como estou marketeira hoje, publico tamb√©m o link para acesso aos excelentes v√≠deos protagonizados pela querida Maluh Barciotte. Quer saber mais sobre sacolas pl√°sticas, lixo “invis√≠vel”, os 3 R¬īs e reciclagem?
Acesse Reciclagem РLixo invisível, Reciclagem РSacos plásticos, Reciclagem РOs 3 erres e Reciclagem РReciclar é simples (desconsidere as propagandas da multinacional) e assista aos vídeos.
Parabéns Maluh!

Os Clubes da Cidade

Novata em São Paulo, descobri recentemente os Clubes da Cidade. Tenho o imenso privilégio de morar do lado de um deles. Para mim, os clubes da cidade refletem o que uma prefeitura pode fazer de admirável, numa administração. Se um dos tripés da sustentabilidade é o respeito ao cidadão, nos clubes da cidade vemos esse respeito levado a sério.
Primeiro. Os Clubes da Cidade s√£o inteiramente gr√°tis. Desde a inscri√ß√£o, at√© os exames m√©dicos, tudo √© gr√°tis. Como se n√£o bastasse, os clubes da cidade oferecem cursos como de hidrogin√°stica, nata√ß√£o, v√īlei, futebol, capoeira, gin√°stica localizada, alongamento e h√° quem diga que alguns deles ainda fornecem cursos de gar√ßons, baristas e artesanatos em geral.
Segundo. Depois das atividades f√≠sicas, os inscritos ganham “lanchinhos” para recobrar as energias. Para a crian√ßada que faz nata√ß√£o por aqui, barras de cereal e achocolatados!
Terceiro. Os professores s√£o de qualidade. Por vezes, muito melhores do que de muita academia que eu j√° tive o desprazer de frequentar.
Quarto. A administra√ß√£o do clube da cidade fica respons√°vel por fazer pedidos de material para a prefeitura. E, pelo menos da √°rea da piscina, que √© o que mais me interessa, os materiais s√£o muito bons. Pranchas, bast√Ķes para hidrogin√°stica, tudo de √≥tima qualidade.
O bom √© saber que o dinheiro dos impostos √©, em parte, direcionado para uma iniciativa t√£o saud√°vel como esta. E, engana-se quem acha que √© imposs√≠vel conseguir uma vaga. Infelizmente vivemos num pa√≠s onde nossas experi√™ncias passada nos alertam, √†s vezes erroneamente, de que, o que √© p√ļblico, √© ruim. No clube da cidade aqui pertinho de casa sobram vagas para os mais diversos esportes.
E antes de me chamarem de “Poliana”, eu sei sim que a Cidade de S√£o Paulo, como exemplo para todo o Brasil, tem problemas. Mas fazer propaganda do que √© bom, n√£o custa nada. Pelo menos pra mim.

Agenda Р7 a 9 de março

O que: 3ª Conferência Estadual do Meio Ambiente
Onde: Belém, Pará
Quando: de 7 a 9 de março
Tema do encontro: ‚ÄúAmaz√īnia e as mudan√ßas clim√°ticas globais‚ÄĚ.
Objetivo: Fortalecer as políticas ambientais e o uso sustentável dos recursos naturais do Estado do Pará.
Mais informa√ß√Ķes: www.sema.pa.gov.br

Atividade solar, aerossóis, cientistas e outros bichos

Duas matérias que eu li hoje e que são absolutamente contraditórias.
A primeira, publicada na FolhaOnline sob o t√≠tulo: “Grupo contraria teorias sobre o aquecimento global e critica IPCC“, fala sobre a visita de um grupo de cientistas brasileiros ao Ministro S√©rgio Rezende (MCT) para entregar um documento questioando a influ√™ncia da a√ß√£o humana no aquecimento global. Segundo a FolhaOnline, os dados apresentados no documento fazem parte de um estudo internacional, o Cloud, que se concentra nas an√°lises da influ√™ncia de raios c√≥smicos na atmosfera terrestre. Segundo os dados do Cloud, a temperatura m√©dia do planeta Terra estar√° mais baixa em 20 anos. Por estes dados, as modelagens clim√°ticas que consideram v√°rios fatores e os cen√°rios de eleva√ß√£o de temperatura (n√£o s√≥ raios c√≥smicos), propostos pelo IPCC estariam todos equivocados e as emiss√Ķes antr√≥picas seriam uma fal√°cia.
A segunda mat√©ria v√™m do Ag√™ncia FAPESP, sob o t√≠tulo: “Contram√£o clim√°tica“, que aborda os estudos feitos pelo Cloud (uia! o mesmo l√° do primeiro artigo!), que, como j√° dito, defende o resfriamento do planeta nos pr√≥ximos anos, devido √† influ√™ncia dos raios c√≥smicos sobre a concentra√ß√£o da poeira c√≥smica, que por sua vez altera a concentra√ß√£o de aeross√≥is na atmosfera, que por sua vez aumenta a probabilidade de ocorr√™ncia de nuvens baixas, com consequente diminui√ß√£o na temperatura do planeta (uma vez que mais nuvens significa menos radia√ß√£o incidindo sobre a superf√≠cie terrestre). ‚ÄúNos pr√≥ximos 50 anos o n√ļmero de raios dever√° aumentar consideravelmente, elevando a produ√ß√£o de nuvens baixas. Isso dever√° gerar um resfriamento da Terra que n√£o apenas vai compensar o aquecimento causado pela a√ß√£o antropog√™nica, mas que dever√° super√°-lo, podendo levar a um efetivo resfriamento global‚ÄĚ, disse Stozhkov, um dos autores do estudo.
Destaque meu vai para a parte em que Stozhkov reafirma a participa√ß√£o antropog√™nica num prov√°vel aquecimento global, obtido pela an√°lise de v√°rios modelos matem√°ticos para o clima. E a√≠ vem a quest√£o: D√° pra acreditar nos cientistas brasileiros que foram at√© o MCT hoje? √Č o velho h√°bito de tentar dar mais valor ao seu pr√≥prio estudo do que a um estudo grande, feito por v√°rios cientistas, como no caso do IPCC. Este h√°bito, acompanhado daquele que n√£o analisa as reais conclus√Ķes de um estudo e extrapola resultados e pronto!, est√° feita a confus√£o.
Fora tudo isso, sabe-se que h√° grande controv√©rsia em rela√ß√£o a participa√ß√£o dos aeross√≥is na forma√ß√£o de nuvens e consequente resfriamento da superf√≠cie terrestre, como j√° publiquei AQUI e AQUI e pode ser lido com mais detalhes AQUI. Como se n√£o bastasse, ainda existem os estudos de Lockwood e Froehlich que mostram a diminui√ß√£o da atividade solar nos √ļltimos 20 anos, pelo menos, reiterando a n√£o participa√ß√£o dos raios solares no fen√īmeno do aquecimento global, AQUI. Agora, se a atividade solar est√° diminu√≠da nos √ļltimos 20, como pode haver aumento da incid√™ncia de raios c√≥smicos.
Sento e espero o resultado desta luta.

Agenda – 19 de fevereiro

O que: Uma verdade incoveniente
Onde: Audit√≥rio da Prefeitura de S√£o Paulo. Viaduto do Ch√°, 15 – 7¬ļ andar
Quando: HOJE! 19 de fevereiro
Tema do encontro: Juan Negrillo, organizador da Campus Party Brasil 2008 e diplomado pelo “The climate project USA”, pelo pr√≥prio Nobel da Paz Al Gore, apresenta os √ļltimos dados cient√≠ficos que cooroboram os dados apresentados no filme “Uma Verdade Inconveniente
Confirme sua presença: smri@prefeitura.sp.gov.br ou pelos telefones 3113-8544, 3113-8514 ou 3113-8535.

Ascher X Antunes, se √© que d√° pra competir…

Li, boquiaberta assim como Arnaldo Antunes (leia a r√©plica do poeta e compositor aqui), as opini√Ķes de Nelson Ascher (“Quente ou Frio?“), publicadas na Folha de S√£o Paulo do dia 04 de fevereiro. Tais concep√ß√Ķes, como “plastificaram as genit√°lias alheias para limitar a produ√ß√£o de beb√™s” e “criminalizaram a obesidade, o fumo, etc.” n√£o s√≥ me parecem err√īneamente ligadas a ecologia e meio ambiente, como mostram a imensa falta de conhecimento do poeta (???) que largou a faculdade de medicina (Ah! Agora est√° explicado), para fazer administra√ß√£o na GV (afinal, o que este cara entende de meio ambiente?).
Como um adulto que ensina uma crian√ßa explico: usar camisinha √© mais uma tentativa de diminuir as taxas de transmiss√£o de doen√ßas sexualmente transmiss√≠veis e promover o sexo seguro do que “limitar a produ√ß√£o de beb√™s” (para isso existem p√≠lulas anticoncepcionais, laqueaduras e vasectomia, DIU, diafragma, etc.). Do mesmo modo, “criminalizaram a obesidade, o fumo, etc.”, mais como uma tentativa de aumentar a sobrevida da popula√ß√£o do que ser preconceituoso com quem fuma e com quem gosta de comer. Fora que “criminalizaram” n√£o √© exatamente o que se prop√Ķem, uma vez que n√£o se v√™ fumantes nem obesos indo pra cadeia por terem prazer em fumar e comer, ou simplesmente por terem uma disfun√ß√£o hormonal.
Ascher parece uma criança com raivinha da educação dos pais. Veja a cena:
– “Manh√™√™√™, “baniram bifes” e “proscreveram os v√īos internacionais”. E, dando de ombros, “N√£o estou nem a√≠! Sou vegetariano e j√° conhe√ßo a Europa”.
Ego√≠sta, n√£o? – Isso sem falar que existe carne no supermercado e os v√īos internacionais continuam saindo (ou estou enganada?).
Tudo bem, eu entendo que Ascher pode ter uma vis√£o muito deturpada das preocupa√ß√Ķes que a maioria das pessoas tem com rela√ß√£o a causa ambiental. √Č mesmo de irritar tais panor√Ęmas de devasta√ß√£o total que alguns eco-chatos teimam em impor a maioria da popula√ß√£o (como j√° critiquei um pouco aqui). Mas existem v√°rios pensadores muito centrados que observam atentamente os problemas do ambientais do mundo e tem opini√Ķes muito positivas sobre o que podemos fazer para evitar o caos ambiental (alguns dos que eu quase sempre concordo AQUI, AQUI e AQUI. Talvez por conta de experi√™ncias ruins, Ascher n√£o consiga enxergar que “fanatismo religioso e conflitos inter√©tnicos, terrorismo e banditismo internacionais, contrabando de armas e narcotr√°fico, migra√ß√Ķes descontroladas, ditaduras genocidas em vias de adquirir armamentos nucleares” podem piorar muito caso os cen√°rios clim√°ticos devidos ao aquecimento global se concretizem. Guerras por √°gua, competi√ß√£o por recursos, migra√ß√Ķes por falta de comida, ditaduras e pol√≠ticas p√ļblicas que privilegiem alguns segmentos da popula√ß√£o mundial, descontentamento e rebeli√Ķes das camadas mais pobres de popula√ß√Ķes que vivem em pa√≠ses ainda mais pobres n√£o s√≥ podem ocorrer como por vezes j√° ocorrem.
Por outro lado, Ascher pode estar simplesmente mal informado e por isso acha que tudo n√£o passa de “f√© apocal√≠ptica”. Espero que ele esteja certo, mas prefiro agir agora pra n√£o correr o risco do pior.

Nota de Agradecimento

O Campus Party acabou. Pena, eu estava gostando. Ainda bem, eu estava bem cansada. Seria injusto n√£o agradecer a todas as pessoas que me ajudaram, deram dicas, trocaram id√©ias, cart√Ķes de visita, horas de boa conversa e risadas.
Dos blogueiros presentes na CP, meus agradecimentos especiais à GabrielaBia, Netto, JonnyKen, Kriz, Fugita, ClauChow, GuilhermeFelitti, Débora, CarlosHotta que postaram comentários e links do Rastro de Carbono. Por favor, se eu me esqueci de alguém, mande o link que eu faço o update.
N√£o poderia deixar de agradecer o Planeta Sustent√°vel pelo convite e oportunidade de comparecer ao evento.
Aos novos amigos blogueiros, às oportunidades oferecidas, aos novos e antigos leitores e comentaristas do Rastro de Carbono, OBRIGADA!
UPDATE: Não poderia, mas esqueci, do JoãoMalavolta. Espero que a correção tenha vindo em tempo.