Ewclipo (hein?, eclipse?) 2009

Pordosol_praiagrande_Arraial.jpg

P√īr-do-sol na Praia Grande – Arraial do Cabo

E acabou o II Ewclipo!

Esse foi o meu primeiro Ewclipo – ano passado algo aconteceu para que eu n√£o pudesse ir. V√°rias palestras interessantes, discuss√Ķes curiosas e, principalmente, local de encontro de pessoas que se l√™em mas n√£o necessariamente se conhecem. Sempre bom “materializar” amigos virtuais.
O que eu mais gostei do Ewclipo?

  • 1) Rever os sciblings Rafael e Gabriel, do RNAm, Atila, nossa Rainha Vermelha, Clau Chow, do blog irm√£o Ecodesenvolvimento (e finalmente entreg√°-la o wombat de pel√ļcia).
  • 2) Conhecer a Maria (uma das √ļnicas que me entendem quando discuto na lista de discuss√£o interna dos sciblings) e o Jo√£o, do Ci√™ncia e Id√©ias, o Luiz Bento, do Discutindo Ecologia e o Mauro, do Voc√™ que √© bi√≥logo, que foi quem organizou tudo para esse encontro e merece parab√©ns de todas as formas.
  • 3) Passar o anivers√°rio do Carlos Hotta perto dele.
  • 4) Ouvir a palestra da Suzana Herculano, a divulgadora cient√≠fica neurocientista de plant√£o. Se eu j√° gostava do trabalho dela, agora virei f√£.
  • 5) Tomar sol, comer iscas de peixe-frito, sentar na areia, comer areia.
  • 6) Encontrar amigos muuuuuuuuuito queridos, que n√£o tem blogs de Ci√™ncia e se mudaram para o Rio.

Amigos_Arraial.jpg

Amigos no Atalaia – Arraial do Cabo

  • 7) Conhecer a fabulosa e fof√≠ssima Dona Neusa, da Pousada Canto da Baleia, que me tratou super bem, mesmo muitas e muitas e muitas horas depois da minha di√°ria ter se expirado. Agrade√ßo a D. Neusa o banho e a internet gr√°tis.

Ah! Tamb√©m agrade√ßo ao senhor de camiseta vermelha que me indicou o ponto de √īnibus no qual eu deveria descer para chegar √† pousada e que segurou o filho da puta [palavr√£o absolutamente permitido nesse caso] que estava me perseguindo desde a rodovi√°ria.

Quer saber um pouco mais do que rolou no Ewclipo? Esse vídeo e texto, produzidos pela Revista Ciência Hoje Online estão muuuuito legais. Vale a pena.

A blogosfera científica por ela mesma from Ciência Hoje on Vimeo.

Blog Action Day 2009

Acabei de receber o email da organização do Blog Action Day!
Eles escolheram o tema desse ano! Adivinha?

Bora l√°? J√° cadastrei o Rastro de Carbono!

Porque livro bom é livro livre

Livro bom √© livro livre. A gente l√™, armazena a informa√ß√£o interessante para n√≥s, e passa pra frente. Algu√©m que n√£o pode comprar livros novos (porque s√£o caros) l√™ e armazena as mesmas informa√ß√Ķes que voc√™, ou outras, que lhe parecem mais interessantes e passa pra frente de novo. Considerando que voc√™ goste de livros de papel (e n√£o ebooks), bibliotecas p√ļblicas s√£o fant√°sticas exatamente porque √© poss√≠vel ler praticamente qualquer livro sem ter que compr√°-lo. Sebos s√£o sensacionais para achar aquela edi√ß√£o antiga daquele livro que ningu√©m publica mais. Trocar, reutilizar, compartilhar, dividir. T√£o legal e sustent√°vel num mundo de tanta compra.
Eu estava h√° tempos com os livros para serem reutilizados em uma caixa l√° em casa. Alguns amigos que foram me visitar nesse per√≠odo sa√≠ram com exemplares pra eles, mas ainda assim sobraram livros. A semana passada resolvi que deveria libert√°-los de uma vez por todas. S√£o livros legais, que eu li, gostei, mas dificilmente vou ler de novo – OK… tem uns que eu n√£o gostei… e esses eu n√£o vou ler de novo mesmo.
Pensei em levar a um sebo, tentar vender ou conseguir créditos para pegar outros livros no sebo mesmo, mas só de pensar em carregar aquele monte de livros para algum lugar (não tem nenhum sebo perto de casa então havia necessidade de uma certa logística), desisti.
Tentei anunciar no Twitter, num esquema “d√™ seu lance, n√£o precisa ser muito” mas n√£o consegui nenhuma resposta.
Tentei registrá-los no site Estante Virtual mas descobri que só pessoas com CNPJ podem vender [UPDATE] Рo Luiz Bento, nos comentários, diz que ele já cadastrou livros pra vender sem CNPJ, eu que não consegui/procurei direito [/UPDATE], embora qualquer um possa comprar Рe de fato é uma excelente alternativa. Já comprei livros através da Estante Virtual e fiquem bem feliz!
estantevirtual.png
Pensei tamb√©m em libert√°-los num esquema mais “libertat√≥rio” ainda, mas a verdade √© que ainda n√£o me acostumei bem com essa ideia e por isso fiquei meio triste e me achei extremamente “loser” “conservadora”. Um dia, quando eu for grande, vou tentar deixar um livro ao relento, sujeito a ventos, chuvas e trovoadas, coco de pombos e afins. (Embora de fato eu acredite que algu√©m vai achar e salvar o livro bem antes de qualquer um desses problemas de origem natural).
livrolivre.png
Qual a solu√ß√£o? Doar para uma biblioteca p√ļblica me ocorreu, mas me lembrei da log√≠stica associada ao sebo e tamb√©m desisti. Tem uma escola p√ļblica DO LADO de casa, mas nenhum dos livros √© exatamente literatura infantil ou infanto-juvenil. Tem livros em ingl√™s, por exemplo, mas n√£o s√£o para iniciantes nos estudos da l√≠ngua estrangeira, ent√£o tamb√©m n√£o adiantaria levar pra escola de ingl√™s DO OUTRO LADO de casa.
Resolvi olhar o site Trocando Livros. Me pareceu uma alternativa interessante. Eu registro o livro, alguém escolhe, eu envio e pago a taxa de envio e ganho um ponto se for uma boa garota. O ponto serve pra eu escolher o livro que alguém registrou.
trocandolivros.png
Sexta feira (menos de uma semana antes de ter registrado os livros) ganhei meu primeiro ponto no Trocandolivros. Recebi o pedido, embrulhei o livro, paguei R$ 3,80 para enviá-lo ao Paraná e agora, com o meu ponto posso escolher qualquer livro Рque eu de fato desejo que esteja em um estado de conservação tão bom quanto estava o que eu mandei. Gostei. Gostei muito. Essa alternativa me serviu muito muito bem.
E aí? Aposto que tem livros pra você libertar na sua casa. Escolha seu método e liberte-o. Livro bom é livro livre!
_________________________________________________
Alternativa para os livros de papel:
Dom√≠nio P√ļblico

Reflex√Ķes sobre o dia mundial sem carro

logodiamundialsemcarro.gifHoje é dia 22 de setembro. Desde a década de 1990, comemora-se nesse dia o Dia Mundial sem Carro

Mais do que o dia das pessoas deixaram (ou tentarem deixar) seus carros em casa, esse √© um dia de reflex√£o sobre a mobilidade urbana, sobre como contribuimos com a cidade onde vivemos. √Č o dia que deixamos (ou tentamos deixar) o universo particular do nosso carro e nos deixamos envolver pelo universo de pessoas, situa√ß√Ķes, coisas boas e problemas da cidade que geralmente passam despercebidos ou n√£o nos incomodam quando estamos parados no tr√Ęnsito, no aconchego do nosso autom√≥vel.

Vamos aos fatos… eu n√£o tenho n√ļmeros, mas posso apostar um bra√ßo que a quantidade de carros nas ruas da d√©cada de 1990 pra c√°, s√≥ aumentou. O que penso sobre isso? Mais do que “as pessoas n√£o est√£o refletindo o suficiente e est√£o comprando carros extras para fugir do rod√≠zio” penso que de l√° pra c√° poucas pol√≠ticas p√ļblicas que buscam melhorar a mobilidade em grandes centros urbanos foram postas em pr√°tica. Penso que deixar √ļnica e exclusivamente a responsabilidade sobre cada um, pessos f√≠sicas, funciona no come√ßo, mas n√£o vai funcionar para sempre. 

√Č hora de investimentos em transporte p√ļblico, ciclovia, carros eficazes para uso de energia renov√°vel. √Č hora de sobretaxarmos carros velhos e poluentes e n√£o fazer o que fazemos,  deixando o IPVA deles gr√°tis. √Č hora de investimentos em seguran√ßa para ciclistas, pedestres e outros meios de transporte alternativos. 

Mas… O que vi por a√≠ ontem e hoje foi isso: (a√≠ vai uma amostra)

diasemcarro_1.png

diasemcarro_2.png
Triste n√©? Triste que as campanhas para Dia sem Carro, Hora do Planeta, ou qualquer outra iniciativa semelhante tenham se reduzido a campanhas chatas e sem prop√≥sito e, por consequ√™ncia sem ades√£o, at√© mesmo para pessoas inteligentes que sempre t√™m v√°rias opini√Ķes legais. 
Triste que n√£o acreditemos que campanhas como a do Dia Mundial sem Carro v√£o fazer prefeitos e governadores, vereadores e deputados refletirem sobre suas pr√≥prias a√ß√Ķes, ou mais, sobre pol√≠ticas p√ļblicas que fa√ßam as a√ß√Ķes pessoais serem melhores. 
Triste que, mesmo que os governos estejam se preparando para que as pessoas fa√ßam ades√£o √† campanha, a gente consiga reclamar que se houver aumento de tr√Ęnsito, vai ser culpa do governo, que aumentou os transportes p√ļblicos dispon√≠veis.
Ano passado eu postei sobre isso. Estava mais otimista, eu acho. Isso porque, pra mim, deixar o carro em casa n√£o √© mais um sacrif√≠cio faz tempo. Mas refleti sobre algumas coisas. Por exemplo: 
1) Acho que a responsabilidade por seu transporte de casa at√© o trabalho, durante o trabalho, e do trabalho at√© em casa √© da empresa e o que quer que seu carro tenha emitido nesse percurso √© responsabilidade dela, portanto, se voc√™ tirou seu carro da garagem hoje S√ď para trabalhar, est√° participando ativamente do Dia Mundial sem Carro.
2) Acho que as opini√Ķes p√ļblicas variam mais do que mar√©. Ora biocombust√≠veis s√£o a solu√ß√£o da energia no futuro, ora o petr√≥leo do pr√©-sal √© que √© sin√īnimo de poder. Ora estamos sendo ouvidos nas confer√™ncias internacionais sobre o clima por nossos exemplos, ora estamos planejando constru√ß√£o de termel√©tricas a carv√£o e carros movidos √† diesel. Por essas e outras que n√£o depositamos cr√©dito nenhum em campanhas de cunho ambiental e ainda chamamos quem levanta a bandeira de xiitas ecochatos.
Nesse momento de reflex√£o, hoje, estou um pouco c√©tica, talvez menos do que eu estava na Campanha da Hora do Planeta, mas ainda assim, c√©tica. Acho que c√° como l√°, falta educa√ß√£o ambiental de qualidade. 
C√° menos que l√°, admito. Tem uma por√ß√£o de coisas sendo feitas por a√≠ hoje. No site Catraca livre, por exemplo, algumas op√ß√Ķes. No site Nossa S√£o Paulo, mais umas tantas, que come√ßaram dia 17 de setembro e v√£o at√© dia 24, quinta-feira pr√≥xima. E a√≠? Voc√™ vai aderir √† campanha hoje? Vai refletir sobre isso?

Troco toalhas por √°rvores

O que voc√™ acha de uma campanha que busca plantar 1 bilh√£o de √°rvores por ano? √Č loucura? √Č imposs√≠vel? N√£o tem lugar? Nem dinheiro? N√£o tem apoio, investimento, vontade pol√≠tica, volut√°rios? Pois bem… A Organiza√ß√£o das Na√ß√Ķes Unidas, atrav√©s do PNUMA (Programa das Na√ß√Ķes Unidas para o Meio Ambiente) lan√ßou a iniciativa mas o objetivo deles n√£o √© mais plantar um bilh√£o de √°rvores… √© plantar SETE bilh√Ķes de √°rvores!

PLANT_LOGO_English.gif

Como? Encorajando crian√ßas, jovens, adultos, idosos, comunidades, cidades, empresas, ind√ļstrias, sociedade civil e governos a assumirem o compromisso de plantar quantas √°rvores conseguirem. Pode ser uma? Pode! As pessoas e institui√ß√Ķes p√ļblicas ou privadas assinantes devem buscar um ambiente a ser reflorestado e estudar esp√©cies nativas daquele ambiente. Tamb√©m se responsabilizam por sair em busca de recursos para colocar a a√ß√£o em pr√°tica! Como faz pra participar? Basta preencher esse formul√°rio de comprometimento e atualizar as informa√ß√Ķes constantemente para o PNUMA monitorar o plantio e o crescimento das √°rvores!

A id√©ia √© da Professora Wangari Maathai, queniana, bi√≥loga, Pr√™mio Nobel da Paz em 2004 e fundadora do Movimento Cintur√£o Verde. A funda√ß√£o da Professora Maathai j√° plantou mais de 30 milh√Ķes de √°rvores em 12 pa√≠ses africanos desde 1977 e agora serve de exemplo para o plantio de 7 bilh√Ķes de √°rvores no mundo todo.

Tem iniciativa acontecendo no Brasil? Tem! A Accor Hospitality, sob as marcas Sofitel, Pullman, Novotel, Mercure, Suitehotel, Ibis, all seasons, Etap Hotel, Formule 1 e Motel 6 contribuir√° para o plantio de 3 milh√Ķes de √°rvores em sete diferentes regi√Ķes florestais do mundo e uma delas √© o Brasil, na regi√£o da Bacia do S√£o Francisco, atrav√©s da Nordesta Reflorestamento e Educa√ß√£o! Outros locais contemplados s√£o o sudoeste da Fran√ßa, com o Programa Forestavenir da Forestour no Senegal, na zona de Le Niayes, na Tail√Ęndia, atrav√©s do Plant a Tree Today (PATT).

Em Minas Gerais, na região próxima ao Parque Nacional da Serra da Canastra, na cidade de Vargem Bonita, por exemplo, o trabalho da Nordesta já começou. Já foram plantadas mais de 3.000 árvores em propriedades como a da Pousada da Limeira, antigamente área de mineração intensa. Até o final desse ano, serão 90.000 árvores. O plantio deve acontecer em dezembro e janeiro, época de chuva, quando a terra está apta para receber as mudas. Atualmente, as mudas habitam o viveiro da Universidade Federal de Lavras.

Mas, de onde a Accor está tirando os investimentos para esse projeto? Essa é a parte mais legal e que dá nome a esse post. Os clientes dos hotéis são convidados a não disporem suas toalhas para lavar todos os dias (como já acontecem em vários lugares) e assumem eles próprios o compromisso da ação. A cada cinco toalhas não lavadas, 50% do dinheiro economizado vai para o plantio das árvores lá, do ladinho de uma das nascentes do Velho Chico. O Plant for the Planet fica inserido dentro do Programa Earth Guest que a Accor desenvolve desde 2006, buscando a preservação dos recursos naturais da Terra.

______________________________________________

A Accor me convidou para ver o local onde as √°rvores ser√£o plantadas e para conhecer um pouco mais da Serra da Canastra e da nascente do S√£o Francisco. A viagem foi espetacular, as pessoas, ainda mais. Espero poder voltar l√° em dezembro para ajudar no plantio.

Rastro de Carbono ganha prêmio de divulgação científica

ABC_logo.jpg

Ontem foi divulgada a lista dos ganhadores do Pr√™mio ABC para blogs cient√≠ficos. O Rastro de Carbono ficou em primeiro lugar na categoria “Ambiente e Ci√™ncias da Terra”. O an√ļncio foi feito pelo Professor Osame Kinouchi em seu blog, o Sem Ci√™ncia.

O Prêmio ABC é idealizado pelo Laboratório de Divulgação Científica da USP Ribeirão Preto. Os concorrentes aos prêmios pertencem ao Anel de Blogs Científicos e os votos são abertos somente para a própria comunidade.

O Anel de Blogs Científicos é composto por blogs de excelente qualidade, mantidos por pessoas incríveis, com conhecimento profundo sobre o que escrevem. Ficar em primeiro lugar em uma lista de blogs tão bons com eleitores tão críticos me deixa extremamente feliz.

A premiação ocorrerá no próximo final de semana, no II Ewclipo РEncontro de Weblogs Científicos em Língua Portuguesa.

As categorias e ganhadores s√£o:

Ambiente e Ciências da Terra
1) Rastro de Carbono (BR) – 26 votos
2) Geófagos (BR) Р16 votos
3) Ecodesenvolvimento (BR) – 13 votos

Ciência Geral, Política Científica e Tecnologia
1) 100nexos (BR) – 20 votos
2) 42 (BR) – 14 votos
3) SemCiência (BR) e Xis-Xis (BR) Р11 votos

Ciências da Vida
1) Brontossauros em Meu Jardim (BR) – 23 votos
2) Rainha Vermelha (BR) – 16 votos
3) RNA Mensageiro (BR) – 12 votos

Química, Física e Astronomia , Matemática e Computação
1) Chi Vó Non Pó (BR) Р21 votos

2) Ars Physica (BR) – 12 votos
3) Big Bang Blog (BR), F√≠sica na Veia (BR), Desafios Matem√°ticos (PT) e [UPDATE] Caf√© com Ci√™ncia (BR) [/UPDATE] – 6 votos

Ciências Sociais e Humanidades , Educação e Blogs Didáticos
1) Chapéu, Chicote e Carbono-14 (BR) Р22 votos

2) Tubo de Ensaios (BR) – 10 votos
3) Vídeos para o Ensino da Física e da Química (PT) Р7 votos

Mente e C√©rebro, Sa√ļde e Medicina
1) Ecce Medicus (BR) – 22 votos
2) A Neurocientista de Plant√£o (BR) – 17 votos
3) Blog da Revista Mente e Cérebro (BR) e Bala Mágica (BR) Р10 votos

UFA! Espero não ter me esquecido de linkar ninguém! Parabéns a todos!

Destino: Porto de Galinhas

Eu vou pra Maracangalha eu vou 
Eu vou de uniforme branco eu vou 
Eu vou de chap√©u de palha eu vou 
Eu vou convidar An√°lia eu vou

Se Anália não quiser ir eu vou só
Eu vou só eu vou só
Se Anália não quiser ir eu vou só
Eu vou só
Eu vou só sem Anália
Mas eu vou

Maracangalha – Dorival Caymmi

Pois √©… n√£o √© exatamente para Maracangalha que o Carlos Hotta vai. √Č para Porto de Galinhas, convidado pelo pessoal do Porto cai na rede. A a√ß√£o – na minha opini√£o, uma das poucas na blogosfera que eu achei inteligente de fato – pretende promover Porto de Galinhas como destino tur√≠stico. O projeto √© uma parceria da Secretaria de Turismo de Ipojuca, a Associa√ß√£o de Hot√©is de Porto e Galinhas, a EMPETUR e a SETUR/PE. 

Simples e eficiente. Depois da a√ß√£o, vai ser colocar no buscador “porto de galinhas” que qualquer cidad√£o vai dar de cara com pelo menos 45 man√©s posts falando sobre as belezas do lugar, dicas, passeios interessantes, compras, comida, etc, etc, etc.

A An√°lia aqui que vos fala vai. Claro. TOTALMENTE penetra. O Carlos podia levar um acompanhante e, por alguma conjun√ß√£o dos astros que n√£o posso explicar, ele me escolheu! Vou ter que comer alface, fazer reciclagem, tomar banho gelado e andar a p√© o resto do ano para compensar a emiss√£o de carbono dessa viagem? Fato (mas n√£o vai adiantar nada porque eu j√° fa√ßo essas coisas – aparte do banho gelado – merda. Mas √© Porto de Galinhas. De gra√ßa. Com mergulho, paintball, passeio de jangada… Entende o dilema?

Dizem por a√≠ que vai ter mais gente. Mas quem se importa? Repito. √Č Porto de Galinhas.

probloggerstomandosol.png

Do site IMDb. , o que eu imagino que seja o comportamento estranho dos pro-bloggers ao tomar “sol”- “Mas, tem Wi-fi?” – pena que nenhum deles deve se parecer com o Bill Compton. .

A ação pretende, claro, que cada blogueiro dê sua opinião acerca do assunto que domina escreve. Supostamente, eu não teria que me preocupar com isso, mas, quem disse que eu resisto? Vou dar meus pitacos como bióloga e eco-consciente, CLARO.

Antes da viagem, tudo o que eu e os outros viajantes precisarão saber é como ser um viajante consciente. Para isso, sugiro a todos a leitura atenta desse guia, que está lá no blog dos amigos Viajantes Conscientes que, por um motivo bem pequeninho, fofinho e que deve estar pintando na área por esses dias, não vai poder comparecer, nem pelo sorteio (Ah, sim! Tem mais cinco vagas na história).

galinhas.artesanato3.jpg

Do blog Porto Cai na Rede. “Valorize o artesanato produzido por pessoas da comunidade local” √© uma das dicas para ser um viajante consciente.

Vou mandar notícias de lá. Porto de Galinhas deve ser um destino excelente para quem deseja conhecer um local preocupado com turismo de qualidade, sem deixar de lado o cuidado com o meio ambiente e as beleza naturais do lugar. Observarei e contarei. Ao que tudo indica, recomendarei.