Conscientização através da Música

Madonna e Pharrell Williams produziram especialmente para o mega evento Live Earth a música “Hey You” (tradução). A música, assim como o vídeo, chamam a atenção para os efeitos do aquecimento global de maneira a alarmar, sem ser alarmista. A letra da canção traz esperança e a mensagem bastante positiva de que as alterações devem acontecer primeiro em nós mesmos.
O evento aconteceu dia 07 de julho, como noticiado aqui.
Para saber mais:
Live Earth, site oficial.
Via Saber é bom demais!!

Na Ciência 12/Jul – 18/Jul/2007

O que houve de interessante nas publicações científicas da semana de 12/Jul a 18/Jul de 2007
1) Aviação civil frente ao desafio verde.
2)Erosão costeira causada pelo aquecimento global.
3)Temperatura recorde em 2006 nos EUA foi parte natural, parte causado pelo aumento dos GEE na atmosfera, garantem cientistas.
4)Quanto mais de chuva o aquecimento global trará?
5)Lançamento.
6)Opinião.
7) Outras notícias interessantes.
1) Aviação civil frente ao desafio verde.
A indústria de aviões lança o novo Boeing 787, que segundo a empresa Boeing apresenta 20% a mais de eficiência no aproveitamento do combustível e é o primeiro avião de grande porte a ter estrutura e cobertura de compósito de fibra de carbono, ao invés de ligas metálicas. Estudos de combustíveis mais verdes para aeronaves também estão sendo realizados.
Por sua vez, as companhias aéreas como a EasyJet também buscam alternativas para diminuir a emissão de CO2 e várias delas já estudam soluções, com metas de até 15% de redução. Segundo o IPCC, a aviação civil é responsável por 3,5% do total de gases do efeito estufa (GEE) emitidos no mundo.
Saiba mais:
Civil aviation faces green challenge Nature

2)Erosão costeira causada pelo aquecimento global.
Como predito em dados anteriores, altas latitudes norte apresentam sensibilidade excepcional frente a recente onda de aquecimento. Os pesquisadores JC Mars e DW Houseknecht analisaram dados de mapas topográficos e imagens de satélite de 1955-2005 e documentaram perda de mais de 0,9Km de terra devido a erosão costeira. Segundo os pesquisadores, o aquecimento também está causando danos quanto a expansão e drenagem do lago termocársico local. Os estudos foram realizados em Beaufort Sea, costa do Alaska.
Saiba mais:
Quantitative remote sensing study indicates doubling of coastal erosion rate in past 50 yr along a segment of the Arctic coast of Alaska Geology
3)Temperatura recorde em 2006 nos EUA foi parte natural, parte causado pelo aumento dos GEE na atmosfera, garantem cientistas.
Dificilmente se vê um cientista afirmar: “Isto foi consequência do efeito estufa”. Porém quatro cientistas ligados ao NOAA (National Oceanic and Atmospheric Administration) dos EUA, publicaram recentemente que o efeito estufa esteve por trás de mais da metade dos recordes de altas temperaturas nos EUA. Os cientistas descreveram que 2006 foi o ano mais quente para 48 estados, desde 1895, quando os dados começaram a ser guardados.
Mais informações:
Record U.S. Warmth of 2006 Was Part Natural, Part Greenhouse
Climate of 2007 – June in Historical Perspective – NOAA
4)Quanto mais de chuva o aquecimento global trará?
Modelos para variações climáticas e observações sugerem que as precipitações globais e a quantidade de água na atmosfera aumentarão com a temperatura. Wentz et al. analisaram que as duas variáveis têm aumentado na mesma taxa durante os ultimos 20 anos mas os modelos utilizados predizem diferenças nas taxas de chuva e humidade, o que não reflete a realidade. A razão do porquê os modelos prevêm esta diferença ainda não foi resolvido, mas os resultados sugerem que o potencial de enchentes devido ao aquecimento global pode ser menor do que o anteriormente alardeado.
Saiba mais:
How Much More Rain Will Global Warming Bring?
5)Lançamento.
Six Degrees: Our Future on a Hotter Planet. Leia mais aqui (em inglês).
6)Opinião.
a)Mixed Messages About Climate – Donald Kennedy
b)Critical Assumptions in the Stern Review on Climate Change – William Nordhaus
c)Climate Change: Risk, Ethics, and the Stern Review – Nicholas Stern and Chris Taylor
7) Outras notícias interessantes.
a)POWER GENERATION: Making Dirty Coal Plants Cleaner
b)A Changing Climate for Prediction
c) Reversal of the net dinitrogen gas flux in coastal marine sediments

Últimas Notícias III

O que jornais, revistas e internet noticiaram relacionado a mudanças climáticas esta semana.
1)Ano Nacional do Desenvolvimento Limpo.
2)Mitigação preventiva.
3)Aconteceu
1) Ano Nacional do Desenvolvimento Limpo.
Os ministérios da Ciência e Tecnologia, do Meio Ambiente, do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, além da CNI, Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Rede de Informação Tecnológica Latino Americana (RITLA), Rede de Inovação e Prospecção Tecnológica para o Agronegócio (Ripa), Instituto Brasileiro de Siderurgia (SIB), Sociedade Brasileira de Silvicultura (SIB), Associação Brasileira de Celulose e Papel (Brascelpa), entre outras entidades assinaram um protocolo de intenções com o objetivo de estimular e conscientizar a sociedade civil sobre o papel do Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL) e do mercado de carbono.
O principal objetivo do protocolo é aumentar o número de projetos em MDL. Atualmente, 61% dos projetos do Brasil são do setor energético, seguido pela suinocultura (17%) e pelos projetos em aterros sanitários, com 11%.
Saiba mais:
Agência CT – Governo federal e sociedade discutem Mecanismo de Desenvolvimento Limpo

2)Mitigação preventiva.
Para Luiz Pinguelli Rosa, coordenador-geral do Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas, reduzir ou a evitar a emissão de gases do efeito estufa faz parte de uma mitigação preventiva, uma vez que a grande contribuição brasileira para a emissão não ocorre por conta do consumo de energia, mas pelo desmatamento. Leia mais sobre a palestra proferida pelo professor na 59ª SPBC aqui.
3)Aconteceu
5º Simpósio Internacional e Mostra de Tecnologia de Agroindústria Sucroalcooleira.
Palestras sobre produção de etanol. Leia mais:
Aperfeiçoamento da produção de etanol a partir do bagaço da cana-de-açúcar por meio do processo de hidrólise enzimática.
Conversão de biomassa em etanol pelo processo de gaseificação.

Conscientização através do Esporte

O nadador britânico Lewis Gordon Pugh, de 37 anos, completou domingo (13 de julho) o desafio de percorrer um quilômetro a nado no Pólo Norte para inspirar líderes globais a tratarem o aquecimento global com mais seriedade.

Conscientização através da Arte


Até o mês de setembro o projeto CoolGlobes – Hot Ideas for a Cooler Planet promove exibição em Chicago. A exposição conta com mais de uma centena de esculturas do globo terrestre, todas produzidas por artistas de diferentes países. Os objetivos são conscientizar as pessoas sobre o problema do aquecimento global, inspirar organizações a atuarem mais positivamente sobre o tema e gerar debates sobre soluções. Tem até uma escultura do brasileiro Romero Britto. Como não é todo mundo que vai conseguir ir até Chicago ver a exposição, vale dar uma conferida na galeria de imagens.

Na Ciência 05/Jul – 11/Jul/2007

O que houve de interessante nas publicações científicas da semana de 05/Jul a 11/Jul de 2007
1)Aquecimento global não é provocado pelo Sol, diz estudo.
2)Icone do aquecimento global sob ataque.
3)Novo compósito de látex e argila para produção de pneus reprocessáveis.
4)Valorização florestal.
1)Aquecimento global não é provocado pelo Sol, diz estudo.
Os pesquisadores Mike Lockwood, do Laboratório Rutherford-Appleton, na Grã-Bretanha e Claus Froehlich, do World Radiation Center, na Suíça analisaram dados de até 100 anos atrás e afirmam que, pelo menos desde 1985, o aquecimento global não é provocado nem por aumento da radiação solar, nem por diminuição do fluxo de raios cósmicos. Estas duas dúvidas ainda persistiam em alguns meios de comunicação e entre alguns cientistas, mas os estudos de Lockwood e Froehlich devem por um basta nesta discussão.
Saiba mais:
No solar hiding place for greenhouse sceptics
Aquecimento global não é provocado pelo Sol, diz estudo

2)Icone do aquecimento global sob ataque.
Cientistas da Universidade de Washington põe em dúvida predições feitas pelo IPCC. Simulações feitas utilizando os 14 diferentes modelos para prever as consequências das mudanças climáticas não têm se mostrado eficientes quando dados levantados no século XX são testados frente aos modelos. Sendo assim as consequências futuras do aquecimento podem ser tanto piores quanto melhores do que as predições feitas pelo IPCC, dizem os cientistas.
O IPCC se defende dizendo que as predições refletem a quantidade de incertezas presentes nos estudos prévios sobre clima e concordam que simulações feitas com dados do século XX ajudarão a aperfeiçoar os modelos.
Saiba mais:
CLIMATE CHANGE: Another Global Warming Icon Comes Under Attack
3)Novo compósito de látex e argila para produção de pneus reprocessáveis.
Professor Fernando Galembeck da Unicamp fala sobre o compósito na 59º SBPC. Com o novo material o professor diz poder fazer borrachas de qualquer característica (mole, dura, que deformam pouco e agüentam esforços), todas elas termoplásticas e reprocessáveis, diminuindo o lixo causado por pneus velhos, (1 bilhão de pneus descartados por ano, no mundo). A equipe está agora desenvolvendo o processo de fabricação.
Saiba mais:
Rumo ao pneu ecológico
4)Valorização florestal.
“Segundo o Ministério do Meio Ambiente (MMA), o Produto Interno Bruto (PIB) da Amazônia gira em torno de R$ 114 bilhões anuais, ou cerca de 6% do PIB brasileiro. Desse total, a atividade agropecuária é responsável por R$ 16,6 bilhões e os produtos e serviços originários da biodiversidade da região respondem por R$ 9 bilhões.”
Saiba mais:
Amazônia em pé vale muito mais Revista Pesquisa FAPESP
Valorização florestal Revista Pesquisa FAPESP

Últimas Notícias II

O que jornais, revistas e internet noticiaram relacionado a mudanças climáticas esta semana.
1)Aquecimento solar de água obrigatório.
2)Entenda mais sobre o mercado de créditos de carbono.
3)59º Reunião Anual da SBPC. Tema: Amazônia: desafio nacional.
4)Lula diz que não aceita cartel dos poderosos contra desenvolvimento do país.
1) Aquecimento solar de água obrigatório.
O prefeito Gilberto Kassab sancionou um projeto de lei (Lei nº 14.459 de 3 de julho) que obriga novas construções a aquecer pelo menos 40% da água com energia solar. A nova legislação vale para os edifícios comerciais, residenciais e casas com mais de três banheiros.
Saiba mais:
Conversa Afiada
Carbono Brasil

2) Entenda mais sobre o mercado de créditos de carbono. Entrevista com a advogada Roberta Danelon Leonhardt, especialista em Meio Ambiente e em créditos de carbono.
3) 59º Reunião Anual da SBPC. Tema: Amazônia: desafio nacional, traz informações científicas e opiniões de especialistas nas mais diversas áreas, incluindo políticas públicas regionais, mudanças climáticas e aquecimento global.
Saiba mais:
Jornal da Ciência
59º SBPC
4) Lula diz que não aceita cartel dos poderosos contra desenvolvimento do país.

Inventário Brasileiro de Emissões Antrópicas de Gases de Efeito Estufa – Parte I

Parte I – Emissões de Dióxido de Carbono por Queima de Combustíveis – Abordagem Top Down
O primeiro inventário brasileiro das emissões de CO2 por queima de combustíveis – Abordagem Top Down – faz referência ao período de 1990-1994, baseado nos dados de energia por fonte, obtidos do BEN (Balanço Energético Brasileiro), do Ministério das Minas e Energia. Uma vez que as metodologias propostas pelo IPCC (1996) não refletem as realidades nacionais, modificações metodológicas foram introduzidas e são explicadas no documento.
De 1990 a 1994 houve um aumento de 15,6% do consumo aparente de combustíveis fósseis, o que significou um aumento de 16,6% nas emissões de CO2 (55,2 TgC para 64,4 TgC). Neste período, a energia hidráulica supria 96% da eletricidade e representava a principal fonte de oferta bruta de energia, com 33%. O petróleo e seus derivados ocupavam o segundo lugar (29%) enquanto lenha e carvão vinham na terceira posição (11,6%).
Atualmente, a OIE (Oferta Interna de Energia), tem como principal representante o petróleo e seus derivados com 37,9% de participação, em segundo lugar biomassa com 30,1%, seguido pela energia hidráulica e eletricidade, com 14,8%.
Só com estes dados é possível concluir que o primeiro inventário brasileiro das emissões de CO2 por queima de combustíveis – Abordagem Top Down já não retrata a realidade nacional e seriam necessários estudos mais atuais para que políticas públicas e tomadas de decisão fossem mais efetivas no sentido de diminuir ou estagnar as emissões antrópicas de GEE.
Saiba mais:
Emissões de Dióxido de Carbono por Queima de Combustíveis – Abordagem Top Down – Ministério da Ciência e Tecnologia.
Balanço Energético Nacional Ministério das Minas e Energia.

Uma verdade inconveniente

O documentário já é bastante conhecido, mas não pode faltar neste blog. Em DVD, An Inconvenient Truth (EUA, 2006), do Davis Guggenheim.
Tirando as claras alfinetadas contra o presidente G.W.Bush e alguns lances pessoais, Al Gore faz uma apresentação sobre aquecimento global. O tema é atual, os números são impressionantes e assustadores, assim como a falta de vontade do atual governo dos EUA. An Inconvenient Truth (Uma verdade inconveniente) ganhou dois Oscars, documentário em longa-metragem e canção original.
Opiniões:
Com Ciência
An Inconvenient Truth – Site oficial (em inglês)

Neutralização de Carbono

A neutralização de carbono é uma ferramenta que permite que haja compensação de emissões de carbono, gerada pelas atividades de uma empresa, indústria, evento, viagem, etc., através do plantio de árvores ou pela compra de créditos de carbono do mercado voluntário, onde instituições que ainda não têm metas a cumprir negociam reduções certificadas de carbono.
Os cálculos de neutralização de carbono são feitos por empresas de consultoria especializadas que atuam em parceria com outras empresas ou individualmente. Vale ressaltar que o cálculo de neutralização vale mais como sugestão, uma vez que ainda não podem ser considerados como cálculos científicos por falta de bases metodológicas aprovadas pelos conselhos técnicos da ONU.
Mesmo assim, eventos internacionais como a Copa do Mundo da Alemanha e as Olimpíadas de Inverno de Turim tiveram suas emissões neutralizadas. No Brasil, várias empresas como a Volkswagen caminhões e o Banco Bradesco tiveram suas emissões de carbono calculadas (com base em suas emissões relativas a transporte, eletricidade, gás, despejo de resíduos, promoção de eventos, entre outros) e coube ao Programa Florestas do Futuro da SOS Mata Atlântica plantar as árvores em áreas de reflorestamento, com mudas nativas, privilegiando regiões de mata ciliar.
Na área de turismo, a Ambiental Expedições oferece aos clientes a possibilidade de neutralizar o carbono produzido em suas viagens. O cálculo de cada viagem e o plantio das árvores são de responsabilidade do Programa Florestas do Futuro.
Pelo mesmo programa, todos nós podemos calcular nossas emissões anuais e plantar pelo menos 3 árvores, pelo custo de R$ 30,00.
As iniciativas referentes a neutralização de carbono são volutárias portanto, há necessidade de avaliar bem a intenção da empresa responsável. Na Inglaterra, a empresa Equiclimate foi acusada de vender compensações sem nenhum valor ambiental ou financeiro. Fique de olho!
Mais sobre neutralização de carbono neste blog aqui.
Saiba mais:
Programa Florestas do Futuro
Carbono Brasil
Carbon News

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM