3 is a magic number, yes it is!

Falar de meio ambiente com a criançada não é fácil. Mas tá aqui uma ótima oportunidade de deixar uma aula mais divertida.
Essa √© para os professores antenados que querem usar as novidades das m√≠dias para usar na sala de aula. Como falar de meio ambiente para os alunos? Como deixar as aulas de reciclagem mais divertidas? Com essa m√ļsica d√° pra fazer uma intera√ß√£o com os professores de l√≠ngua estrangeira e deixar a aula mais leve.
Aproveitem!

Em tempo de um update!
Vi no Movimento Natura.

Blog Action Day 2008

No ano passado, o Rastro de Carbono tinha visto pela blogosfera as primeiras iniciativas para que todos participassem do Blog Action Day 2007, que exploraria o assunto MEIO AMBIENTE.

Obviamente o Rastro de Carbono n√£o poderia ficar de fora, j√° que ele √Č um blog sobre MEIO AMBIENTE! Ent√£o, juntei algumas fotos, fiz um textinho bacana e foi f√°cil. Foi uma das primeiras participa√ß√Ķes em “blogagem coletiva” das quais o Rastro j√° participou.

Eis que esse ano, o Rastro fica sabendo do Blog Action Day 2008 via e-mail, pelo cadastro que eu tinha feito no ano passado. O e-mail chegou faz tempo, mas n√£o parou de cutucar e incomodar desde ent√£o. E, embora eu acredite que tem gente muito melhor do que eu pra falar sobre o assunto, resolvi que n√£o podia ficar de fora.

O Blog Action Day √© dia 15 de outubro e tem como objetivo reunir opini√Ķes, discuss√Ķes, coment√°rios, pensamentos, v√≠deos, fotos, enfim, tudo que a blogosfera for capaz de criar pra discutir um s√≥ assunto: POVERTY, que, traduzindo podem ser duas palavras que pra mim tem pesos diferentes: POBREZA ou MIS√ČRIA. E pra quem acha que isso √© perda de tempo, furada, que ningu√©m vai ver nem se importar, clique aqui (em ingl√™s) para ver o que a ONU disse sobre o Blog Action Day do ano passado.

Abaixo, o vídeo. Quem sabe ele sensibiliza você também.

Blog Action Day 2008 Poverty from Blog Action Day on Vimeo.

Rastro de Carbono no Sucesso!!! news

√Č com grande prazer e orgulho que inicio minha participa√ß√£o no Sucesso!!! news. Pretendo dar uns pitacos por l√° pelo menos uma vez por semana, e, claro, indicarei o link aqui.

Aproveitem e divirtam-se!

Inaugurando Рmudanças climáticas e Brasil

Medalha de ouro? N√£o… de carv√£o!

As Olimp√≠adas acabaram, os atletas da China consagraram o pa√≠s como o recordista em medalhas de ouro dessa edi√ß√£o dos jogos. Todo o investimento nos atletas e na promo√ß√£o das olimp√≠adas bem que poderiam se transformar em outro investimento, para tornar a China l√≠der em desenvolvimento de tecnologias sustent√°veis. Utopia? Espero que n√£o…¬†
O crescimento econ√īmico da China √© indiscut√≠vel. Se ele √© as custas de pessoas e sofrimento individual, baixos sal√°rios e mis√©ria, n√£o posso levar em conta agora. Quero isolar o problema ambiental (se √© que isso √© poss√≠vel).

Já em 2005, a China tinha 80% da matriz energética nacional baseada em carvão, com promessas de crescimento e expansão de termoelétricas (leia aqui, em inglês). Para se ter uma ideia, o consumo de carvão para fins energéticos na China é maior do que o consumo dos EUA e do Japão somados. Isso faz da China o segundo (ou primeiro?) maior emissor de gases do efeito estufa do mundo. (veja a lista completa). 
¬†Os efeitos diretos e indiretos da combust√£o do carv√£o s√£o percept√≠veis. Estima-se que 400.000 mortes prematuras na China sejam efeito da polui√ß√£o do ar. Chuva √°cida e envenanamento de lagos, rios e florestas s√£o previs√Ķes catastr√≥ficas anunciadas pelo The New York Times em 2006 (aqui, em ingl√™s). E, obviamente, os efeitos no clima e no aquecimento global.
O orgulho, o poder e a força de vontade chinesa ficou claramente demonstrada nessas Olimpíadas. E isso só traz aquela vontade de acreditar que com vontade política e administração de qualidade possam ser feitas coisas brilhantes em relação ao meio ambiente.
Mas por enquanto, para o quesito ambiental, a China só merece mesmo uma medalha de carvão.

LaBLOGatórios

Sonho que se sonha só
√Č s√≥ um sonho que se sonha s√≥
Mas sonho que se sonha junto √© realidade ‚Äď Raul Seixas

E nesse sonho de dormindo ou de acordado, sonho em reuni√Ķes intermin√°veis e jantas solit√°rias, sonho de discuss√Ķes acaloradas e de reconcilia√ß√Ķes, de dicas e ‚Äúpux√Ķes de orelha‚ÄĚ que se concretiza o http://www.lablogatorios.com.br/

Visite e sonhe com a gente!

A roda

Das rad” (ou A roda) √© um curta alem√£o indicado para o Academy Award em 2003.

O curta √© a hist√≥ria de Hew e Kew, duas rochas que conversam em ritmo de rocha, ou seja, a hist√≥ria passa por milhares de anos, s√≥ que em oito minutos. Com apenas tr√™s “pausas” que se passam no ritmo de vida humanos a hist√≥ria mostra bem o que se passa quando os recursos naturais do planeta se acabam.
Só um comentário: ainda bem que a vida inteligente permanece.

Dica do √Ātila. O coment√°rio dele foi: “Ser√° que ficou uma camada de pl√°stico?”

Fala Leitor!

Ol√°, achei interessante seu post sobre ciclovias, gostaria de deixar algumas informa√ß√Ķes sobre a minha cidade, Praia Grande (SP). Aqui a popula√ß√£o disp√Ķe de mais de 43 km de ciclovias por entre as principais vias do munic√≠pio, est√£o em constru√ß√£o mais 2 km, aproximadamente, na Av. Mal. Mallet e para os pr√≥ximos dez anos, os projetos s√£o para um total de mais de 100km de ciclovia. Essa √© a melhor sa√≠da para nossas cidades, lute por isso em S√£o Paulo, porque est√°, mais do que qualquer outra no pa√≠s, precisa arrumar o tr√Ęnsito.

Gabriel

_________________________________________________________________________

Que bom Gabriel! Fico feliz por sua cidade! Quem sabe um dia conseguiremos isso nas cidades grandes? J√° estou bem feliz de saber que existem planos para mais biciclet√°rios nas esta√ß√Ķes de trem da CPTM, e que, em determinadas horas do dia, √© poss√≠vel entrar com as bicicletas nos vag√Ķes!

Eu tenho muito medo de andar de bicicleta pelas ruas movimetadas de São Paulo. Quem sabe um dia, com ciclovias e segurança eu perca o medo e consiga. Não vamos desistir!

Obrigada pelo e-mail,

Paula

Tem rastro por aí

O Rastro de Carbono foi convidado para blogar coletivamente. O post est√° no link abaixo

https://secure.kuat.com.br/blojsom/blog/kuat/2008/08/01/O-blog-Rastro-de-Carbono

Mas, se você quiser aproveitar as outras postagens da campanha, tem que clicar AQUI

E, se puder, deixe l√° um coment√°rio… quem sabe o Rastro n√£o √© convidado para postar mais vezes?

________________________________________________________________________________

Antes que macaquinhos comecem a povoar o seu s√≥t√£o: o Rastro de Carbono fez isso por livre e espont√Ęnea vontade, sem ganhar um centavo.

A vez das algas

Afinal, o que as algas tem com o nosso rastro de carbono? Bem, as algas podem ser usadas na alimenta√ß√£o, s√£o o verdadeiro “pulm√£o do mundo” e podem ser mat√©ria-prima para biocombust√≠veis.

Na biologia, classificar as algas √© uma tarefa para poucos. As algas n√£o constituem um grupo √ļnico, mas est√£o no reino dos protistas, no das plantas e no reino das bact√©rias. Todas as caracter√≠sticas que as unem (ou n√£o) como algas √© o fato de realizarem fotoss√≠ntese (como todas as plantas, cianobact√©rias e alguns protistas), n√£o apresentarem caules, folhas ou ra√≠zes verdadeiras (o que tb une as bri√≥fitas)… enfim… √© dif√≠cil mesmo classificar. Mas est√° cada vez mais em pauta saber do que as algas s√£o capazes.

Na alimentação

Algas são alimentos saudáveis, utilizadas a milênios pela comunidade oriental (quem gosta e conhece restaurantes japoneses sabe disso).

Na dieta ocidental, a presença das algas é mais discreta. Temos algas (ou ao menos parte delas),  no sorvete, em iogurtes e na cerveja. (Quer saber onde elas estão escondidas? Clique aqui que Guto e Dadá explicam para você).

Atualmente, a proposta √© de que se use algas para enriquecer outros alimentos, como carnes. A ideia √© bem simples. Ind√ļstrias podem fazer um extrato de algas em p√≥, rico em carboidratos, que n√£o tem cheiro, nem sabor. Esse p√≥ pode ser usado para enriquecer produtos como a carne. Al√©m do aumento da ingest√£o de fibras, essencial para o bom funcionamento dos intestinos, h√° menos consumo de carne vermelha. Fora isso, fibras em geral protegem os intestinos, aumentam a absor√ß√£o de nutrientes, diminuem riscos de c√Ęncer e problemas cardiovasculares (ou√ßa mais aqui).¬† S√≥ vantagens.

O “pulm√£o do mundo” n√£o √© a Amaz√īnia

Muitas pessoas ainda acreditam que a Amaz√īnia √© o “pulm√£o do mundo”, mas n√£o √© exatamente, embora ainda haja algumas esperan√ßas.

Desfaz-se o mito e cria-se a pergunta: Ent√£o, √≥ raios, quem √© o pulm√£o do mundo? Algumas pessoas acreditam que sejam as algas marinhas presentes no fitopl√Ęncton as maiores produtoras de g√°s oxig√™nio da Terra. T√° aqui o Jonny que n√£o me deixa mentir sozinha.

Biocombustíveis

N√£o s√≥ isso, as algas tamb√©m podem ser usadas como biocombust√≠veis! Alguns pa√≠ses estudam a viabilidade de se fazer piscinas gigantes de alga salgada para aumentar a produ√ß√£o das algas. E j√° h√° estudos sobre como transformar essa mat√©ria-prima em combust√≠vel. (Leia mais aqui e aqui em ingl√™s). √Č a era dos biocombust√≠veis 2.0.