Reflex√Ķes sobre o dia mundial sem carro

logodiamundialsemcarro.gifHoje é dia 22 de setembro. Desde a década de 1990, comemora-se nesse dia o Dia Mundial sem Carro

Mais do que o dia das pessoas deixaram (ou tentarem deixar) seus carros em casa, esse √© um dia de reflex√£o sobre a mobilidade urbana, sobre como contribuimos com a cidade onde vivemos. √Č o dia que deixamos (ou tentamos deixar) o universo particular do nosso carro e nos deixamos envolver pelo universo de pessoas, situa√ß√Ķes, coisas boas e problemas da cidade que geralmente passam despercebidos ou n√£o nos incomodam quando estamos parados no tr√Ęnsito, no aconchego do nosso autom√≥vel.

Vamos aos fatos… eu n√£o tenho n√ļmeros, mas posso apostar um bra√ßo que a quantidade de carros nas ruas da d√©cada de 1990 pra c√°, s√≥ aumentou. O que penso sobre isso? Mais do que “as pessoas n√£o est√£o refletindo o suficiente e est√£o comprando carros extras para fugir do rod√≠zio” penso que de l√° pra c√° poucas pol√≠ticas p√ļblicas que buscam melhorar a mobilidade em grandes centros urbanos foram postas em pr√°tica. Penso que deixar √ļnica e exclusivamente a responsabilidade sobre cada um, pessos f√≠sicas, funciona no come√ßo, mas n√£o vai funcionar para sempre. 

√Č hora de investimentos em transporte p√ļblico, ciclovia, carros eficazes para uso de energia renov√°vel. √Č hora de sobretaxarmos carros velhos e poluentes e n√£o fazer o que fazemos,  deixando o IPVA deles gr√°tis. √Č hora de investimentos em seguran√ßa para ciclistas, pedestres e outros meios de transporte alternativos. 

Mas… O que vi por a√≠ ontem e hoje foi isso: (a√≠ vai uma amostra)

diasemcarro_1.png

diasemcarro_2.png
Triste n√©? Triste que as campanhas para Dia sem Carro, Hora do Planeta, ou qualquer outra iniciativa semelhante tenham se reduzido a campanhas chatas e sem prop√≥sito e, por consequ√™ncia sem ades√£o, at√© mesmo para pessoas inteligentes que sempre t√™m v√°rias opini√Ķes legais. 
Triste que n√£o acreditemos que campanhas como a do Dia Mundial sem Carro v√£o fazer prefeitos e governadores, vereadores e deputados refletirem sobre suas pr√≥prias a√ß√Ķes, ou mais, sobre pol√≠ticas p√ļblicas que fa√ßam as a√ß√Ķes pessoais serem melhores. 
Triste que, mesmo que os governos estejam se preparando para que as pessoas fa√ßam ades√£o √† campanha, a gente consiga reclamar que se houver aumento de tr√Ęnsito, vai ser culpa do governo, que aumentou os transportes p√ļblicos dispon√≠veis.
Ano passado eu postei sobre isso. Estava mais otimista, eu acho. Isso porque, pra mim, deixar o carro em casa n√£o √© mais um sacrif√≠cio faz tempo. Mas refleti sobre algumas coisas. Por exemplo: 
1) Acho que a responsabilidade por seu transporte de casa at√© o trabalho, durante o trabalho, e do trabalho at√© em casa √© da empresa e o que quer que seu carro tenha emitido nesse percurso √© responsabilidade dela, portanto, se voc√™ tirou seu carro da garagem hoje S√ď para trabalhar, est√° participando ativamente do Dia Mundial sem Carro.
2) Acho que as opini√Ķes p√ļblicas variam mais do que mar√©. Ora biocombust√≠veis s√£o a solu√ß√£o da energia no futuro, ora o petr√≥leo do pr√©-sal √© que √© sin√īnimo de poder. Ora estamos sendo ouvidos nas confer√™ncias internacionais sobre o clima por nossos exemplos, ora estamos planejando constru√ß√£o de termel√©tricas a carv√£o e carros movidos √† diesel. Por essas e outras que n√£o depositamos cr√©dito nenhum em campanhas de cunho ambiental e ainda chamamos quem levanta a bandeira de xiitas ecochatos.
Nesse momento de reflex√£o, hoje, estou um pouco c√©tica, talvez menos do que eu estava na Campanha da Hora do Planeta, mas ainda assim, c√©tica. Acho que c√° como l√°, falta educa√ß√£o ambiental de qualidade. 
C√° menos que l√°, admito. Tem uma por√ß√£o de coisas sendo feitas por a√≠ hoje. No site Catraca livre, por exemplo, algumas op√ß√Ķes. No site Nossa S√£o Paulo, mais umas tantas, que come√ßaram dia 17 de setembro e v√£o at√© dia 24, quinta-feira pr√≥xima. E a√≠? Voc√™ vai aderir √† campanha hoje? Vai refletir sobre isso?