Live Earth

Amanh√£ acontece o megaevento “Live Earth”, com shows em pelo menos oito cidades do mundo. O evento, uma iniciativa de Al Gore e de Kevin Wail, √© em prol da luta contra as mudan√ßas clim√°ticas.
No Brasil, Xuxa, Jota Quest, Marcelo D2, Alcione, MV Bill, Pharell Williams, Vanessa da Mata, O Rappa, Macy Gray, Jorge Ben e Lenny Kravitz.
Outras atra√ß√Ķes incluem Linkin Park e Rihanna, em T√≥quio, Crowded House, em Sidney, e Black Eyed Peas, Madonna e Beastie Boys, em Londres. Nova York, Johannesburgo e Xangai tamb√©m participam do evento.
Mais informa√ß√Ķes sobre o evento: Live Earth
Saiba mais: Carbono Brasil

Na Ciência 28/Jun Р04/Jul/2007

O que houve de interessante nas publica√ß√Ķes cient√≠ficas da semana de 28/Jun a 04/Jul de 2007
1)Supercondutores e hidrogênio para diminuir a emissão de carbono.
2)Amaz√īnia √© emissora natural de metano.
3)Opinião e Idéias.
4)Graphic detail: Gas exchange: CO2 emissions 1990‚Äď2006 – Nature 447, 1038(28 June 2007)

1)Supercondutores e hidrogênio para diminuir a emissão de carbono.
Masson et al sugerem que o uso de supercondutores associados com energia obtida a partir de c√©lulas de hidrog√™nio pode ser alternativa para movimentar avi√Ķes e autom√≥veis com emiss√£o m√≠nima de CO2, uma vez que o hidrog√™nio pode ser produzido por energia nuclear ou tecnologias renov√°veis. Os autores ainda dizem que o sistema tem alta efici√™ncia, alta viabilidade e requer menos manuten√ß√£o.
Saiba mais:
HTS machines as enabling technology for all-electric airborne vehicles
Electric skies? – How to navigate a flight path to greener air travel.

2)Amaz√īnia √© emissora natural de metano.
A partir an√°lises de amostras recolhidas de faixas verticais de ar, foi poss√≠vel quantificar a concentra√ß√£o de GEE emitidos naturalmente pela floresta amaz√īnica. Cientistas dizem que ainda h√° d√ļvidas sobre a proced√™ncia dos gases, mas alertam que estes gases sempre foram produzidos naturalmente pela floresta e n√£o podem ser considerados causadores do aumento da concentra√ß√£o de GEE na atmosfera.
Saiba mais:
Amaz√īnia √© grande emissora de metano
3)Opinião e Idéias.
New Priorities for Climate Change Research Science 316:5833
Electric skies? – How to navigate a flight path to greener air travel. Nature 447:7148
Renewable energy: Energy-Go-Round Nature 447:7148

Ultimas Notícias

O que jornais, revistas e internet noticiaram relacionado a mudanças climáticas.
1)Investimentos no setor de energia renov√°vel aumentam 25% de 2005 para 2006.
2)Energia Nuclear e Angra 3.
3)Casa ecologicamente correta tem emiss√£o zero de carbono.
4)Brasil assina acordo com UE e deve exportar biocombustíveis.
5)Ceticismo sobre mudanças climáticas.
6)Aconteceu
1) Investimentos no setor de energia renov√°vel aumentam 25% de 2005 para 2006.
A Unep (“United Nations Environment Programme”)publicou em recente reportagem um estudo feito sobre os investimentos em energias renov√°veis. A reportagem traz dados interessant√≠ssimos sobre os investimentos na √°rea. Atualmente, 2% de toda energia produzida no mundo √© renov√°vel e conta com 18% de todo investimento em produ√ß√£o de energia. 9% do investimento mundial do setor de energia renov√°vel, est√° na China e 21% em pa√≠ses em desenvolvimento (este n√ļmero era 15% em 2006). O setor de energias renov√°veis vem atraindo investimentos pesados principalmente em energia e√≥lica, biocombust√≠veis e solar, refletindo maturidade tecnol√≥gica, incentivos governamentais e o apetite dos investidores. A Am√©rica Latina ficou com 5% dos investimentos mundiais, alimentados principalmente pelo setor de bioetanol, no Brasil.
Em 2001, a Unep listou 13 países onde o investimento em energia renovável poderia trazer muito retorno financieiro. Eram eles: Bangladesh, Brasil, China, Cuba, El Salvador, Etiópia, Gana, Guatemala, Honduras, Quênia, Nepal, Nicarágua e Siri Lanka. Os investidores parecem responder bem ao estudo.
Saiba mais em:
Unep
2005: Record year for investments in renewable

2)Energia Nuclear e Angra 3.
Desde novembro de 2006, quando o governo anunciou planos para completar a usina Angra 3 e construir mais 4 usinas até 2015, muito tem se falado sobre energia nuclear no Brasil.
Fato √© que o Brasil tem conhecimento e tecnologia de enriquecimento de ur√Ęnio. Fora isso, 4% de toda reserva mundial conhecida de ur√Ęnio encontra-se em territ√≥rio nacional (Bahia e Cear√° s√£o os principais Estados). Parte de Angra 3 j√° foi construida, alguns equipamentos que ser√£o utilizados j√° foram comprados e esperam instala√ß√Ķes. Estima-se que Angra 3 tenha capacidade de abastecer 1,5 milh√£o de pessoas, gerando 1.350 MW de energia. Na quest√£o das mudan√ßas clim√°ticas, a energia nuclear apresenta-se como uma alternativa uma vez que n√£o emite g√°s carb√īnico.
No outro lado da balança vem o custo da obra. Ainda serão necessários 1,8 bilhão de dólares para terminar. Na relação custo/benefício, a usina nuclear provém a energia mais cara. Do outro lado, as usinas hidrelétricas com o custo de produção mais barato.
Saiba mais em:
Nuclear Power in Brazil
Angra 3 vai abastecer 1,5 milh√£o de pessoas – Conversa Afiada
3)Casa ecologicamente correta tem emiss√£o zero de carbono.
A empresa brit√Ęnica Kingspan Lighthouse apresentou o projeto da primeira resid√™ncia neutra quanto √† emiss√£o de carbono e autosuficiente em energia el√©trica. Segundo a empresa, o custo de constru√ß√£o da nova casa ser√° cerca de 40% superior ao de uma casa tradicional com as mesmas dimens√Ķes.
Leia mais:
Casa ecologicamente correta
4)Brasil assina acordo com UE e deve exportar biocombustíveis.
A necessidade de combustíveis limpos frente ao problema do aquecimento global uniu interesses do Brasil e da União Européia (UE) que assinam acordo de diálogo sobre política energética. De um lado UE pode nos oferecer conhecimentos e tecnologia em eficiência energética e um mercado consumidor ávido por fontes de energias limpas. De outro o Brasil, líder no desenvolvimento de biocombustíveis e bioetanol.
Saiba mais em:
Brasil deve assinar acordo sobre energia com União Européia
Carbono Brasil
5)Ceticismo sobre mudanças climáticas.
Levantamento mostra que muitas pessoas acreditam que as not√≠cias sobre aquecimento global s√£o exageradas e t√™m o prop√≥sito de fazer dinheiro se aproveitando do “medo”.
Os cientistas estão preocupados com a rejeição dos estudos científicos sobre o aquecimento global e que este pode ser relacionado a atividades humanas.
Saiba mais:
Ceticismo sobre mudanças climáticas
6) Aconteceu:
Biocombustíveis e MDL marcam pauta da visita de John Ashton ao Brasil.
As Ind√ļstrias Nucleares do Brasil (INB) receberam Pr√™mio Brasil Ambiental pela atua√ß√£o da empresa na recupera√ß√£o de matas ciliares, reflorestamento e fauna no Vale Rio Para√≠ba do Sul.
Fórum Nordeste 2007 discutiu o papel do etanol e dos biocombustíveis no futuro da economia do Nordeste e do Brasil.

Presidente Lula em entrevista à BBC

Há exatamente um mês atrás, a Rede BBC de Londres fez uma entrevista com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
Entre temas abordados, a participa√ß√£o do Brasil e do G-20 em negocia√ß√Ķes internacionais, rela√ß√Ķes pol√≠ticas na Am√©rica Latina, desenvolvimento econ√īmico do Brasil, biocombust√≠vel e etanol, preserva√ß√£o ambiental e responsabilidades sobre as √°reas de floresta no Brasil.
Apesar do entrevistador claramente provocar a disc√≥rdia entre as rela√ß√Ķes do Brasil com Hugo Chavez, Evo Morales e George W Bush, acredito que ele se saiu bem e outros assuntos al√©m desse puderam ser abordados.
O entrevistador faz as perguntas em ingl√™s mas o presidente Lula d√° a entrevista em portugu√™s, o que facilita o entendimento. Para a entrevista, √© s√≥ fazer o download do v√≠deo clicando em “Click here to watch the interview”, abaixo da manchete, em negrito.
O v√≠deo e algumas considera√ß√Ķes:
http://news.bbc.co.uk/1/hi/programmes/hardtalk/6718447.stm
Alguns trechos da entrevista:
http://news.bbc.co.uk/1/hi/world/americas/6718155.stm

Maiores emissores de CO2 do mundo

A lista dos pa√≠ses que mais emitem CO2 do mundo tem mudado. Em 2003, a lista fornecida pela ONU trazia como primeiro colocado os EUA, com uma emiss√£o anual de 5.799.240 (X 1000) toneladas m√©tricas de CO2, ou seja, 21,2% de toda emiss√£o de CO2 do mundo sa√≠a de solo americano. Os EUA vinham seguidos pela China (15,2%), R√ļssia (5,4%), India (4,6%) e Jap√£o (4,5%). O Brasil ocupava a 20¬™ posi√ß√£o, sendo respons√°vel por 1,1% da emiss√£o mundial.

Considerando a emiss√£o de CO2 per capita, [UPDATE] lista em portugu√™s [/UPDATE] tudo (ou quase tudo) muda. Ainda em 2003, a emiss√£o per capita dos EUA era 19,8 tonnes de CO2. Na Austr√°lia, este n√ļmero era 18, no Canad√° 17,9, na Ar√°bia Saudita, 13. A China, o Brasil e a India tinham emiss√Ķes per capita de 3,2, 1,6 e 1,2 respectivamente.

Segundo a “Netherlands Environmental Assessment Agency” a emiss√£o global de CO2 vindas somente de uso de combust√≠veis f√≥sseis aumentou 2,6% em 2006 (menos do que em 2005, cujo aumento tinha sido 3,3%). O maior contribuinte foi o aumento de 4,5% no consumo global de carv√£o, principalmente pela China, respons√°vel por 2/3 desta quantidade. A China ficou em primeiro lugar da lista dos pa√≠ses mais emissores, ultrapassando os EUA, principalmente por conta do aumento no uso de carv√£o e por ser respons√°vel por 44% de toda produ√ß√£o mundial de cimento.

Em n√ļmeros brutos, considerando apenas gases liberados da queima de combust√≠veis f√≥sseis e a produ√ß√£o de cimento, os EUA tiveram uma produ√ß√£o de 5,8 bilh√Ķes de toneladas m√©tricas de CO2 enquanto a produ√ß√£o da China foi de 6,23 bilh√Ķes de toneladas m√©tricas de CO2. A China se defende lembrando que sua popula√ß√£o √© 4 vezes maior que a popula√ß√£o americana e, considerando a emiss√£o per capita, os EUA ficam com 19,278 tonnes de CO2 por pessoa, enquanto a China fica com 4,763 tonnes, em 2006.

J√° os europeus t√™m o que comemorar. Entre 2004 e 2005 o EU-15 (Austria, B√©lgica, Dinamarca, Finlandia, Fran√ßa, Alemanha, Gr√©cia, Irlanda, It√°lia, Luxemburgo, Holanda, Portugal, Espanha, Su√≠√ßa e Reino Unido) diminuiu suas emiss√Ķes em 0,8%. Os maiores colaboradores foram a Alemanha (-2,3%), Finlandia (-14,6%) e a Holanda (-2,9%).

Para cientistas holandeses, se todo CO2 presente na atmosfera hoje fosse dividido entre os pa√≠ses respons√°veis por suas emiss√Ķes, os EUA seriam culpados por 27% do total, a Uni√£o Europ√©ia por 20%, enquanto √† China s√≥ caberiam 8%.

Sabia mais:
List of countries by carbon dioxide emissions – Wikipedia
List of countries by carbon dioxide emissions per capita – Wikipedia
Image:CO2 emission 2002
China now no. 1 in CO2 emissions; USA in second position
China Overtakes U.S. as No. 1 Emitter of Carbon Dioxide
Global and regional drivers of accelerating CO2 emissions
EU greenhouse gas emissions decrease in 2005

Mudanças climáticas no passado

Mudanças climáticas são eventos corriqueiros na história da Terra. Períodos de glaciação e de aquecimento global sempre estiveram presentes e não são exatamente uma novidade. Então qual a diferença entre os eventos do passado e o evento atual de aquecimento global?
A partir de dados coletados em an√©is anuais de crescimento nos lenhos de √°rvores e corais, sedimentos oce√Ęnicos, gelo Ant√°rtico, registros documentados, entre outros √© poss√≠vel retirar evid√™ncias de mudan√ßas clim√°ticas, em escala global, no passado geol√≥gico da Terra. Entre as causas destas mudan√ßas clim√°ticas do passado, encontram-se movimenta√ß√£o das placas tect√īnicas, varia√ß√£o da √≥rbita da Terra ao redor do Sol, mudan√ßas na quantidade de radia√ß√£o emitida pelo Sol, erup√ß√Ķes vulc√Ęnicas, colis√Ķes c√≥smicas e emiss√£o de part√≠culas comumente denominadas “aeros√≥is” na atmosfera. Todas estas vari√°veis s√£o levadas em considera√ß√£o pelos especialistas que estudam aquecimento global.
De acordo com os modelos te√≥ricos existentes, qualquer um dos eventos citados como causas de mudan√ßas clim√°ticas podem ser amplificados por outro evento, o aumento da concentra√ß√£o de gases do efeito estufa (GEE), principalmente g√°s carb√īnico e metano, na atmosfera. Estes dois gases s√£o naturalmente estocados em grandes quantidades em turfa, tundra e sedimentos oce√Ęnicos durante per√≠odos de clima mais frio e s√£o liberados na atmosfera durante per√≠odos de clima mais quente. Sendo assim o aquecimento aumenta a concentra√ß√£o destes gases na atmosfera, que por sua vez induz o aumento da temperatura na superf√≠cie terrestre, que aumenta ainda mais a libera√ß√£o destes gases, num processo de retro-alimenta√ß√£o positivo.
Quanto mais GEE na atmosfera maior a possibilidade de amplifica√ß√£o dos danos causados pelos eventos naturais e maior a possibilidade do aquecimento global per se. Esta √© a preocupa√ß√£o atual. Com uma popula√ß√£o de 6 bilh√Ķes de habitantes e fronteiras controladas para migra√ß√Ķes, um evento deste porte seria catastr√≥fico. Pessoas morreriam ou seriam obrigadas a se exilar em outros pa√≠ses. Os gastos envolvendo realoca√ß√£o de pessoas, reconstru√ß√£o de cidades e outras atitudes governamentais seriam imensos, podendo causar problemas econ√īmicos em diversos pa√≠ses. Isso sem falar em animais e planta√ß√Ķes.
Um exemplo interessant√≠ssimo foi registrado no ano de 1816, conhecido como “o ano sem ver√£o” no hemisf√©rio norte. Ap√≥s a erup√ß√£o do vulc√£o no Monte Tambora, na Indon√©sia, em 1815, imensas quantidades de sujeira e gases vulc√Ęnicos foram injetados na termosfera (120-600 Km de altitude). A grande quantidade de cinzas no c√©u provocava pores-do-sol espetaculares ao mesmo tempo em que causava tempestades e inunda√ß√Ķes. Na Hungria nevou marrom. Na It√°lia, a neve era vermelha. A China experimentou uma queda na produ√ß√£o de arroz, dada pelas baixas temperaturas. V√°rias planta√ß√Ķes da Europa foram devastadas. O evento causou 200.000 mortes na Europa, duas vezes mais do que a m√©dia. Por outro lado, JMW Turner pintou os mais lindos quadros retratando p√īr-do-sol. Karl Drais, alem√£o, inventou o veloc√≠pede, precursor da bicicleta, dada a alta mortalidade dos cavalos e falta de meios de transporte. Joseph Smith e fam√≠lia se mudaram para Nova York, onde, em 1830, fundaram a igreja m√≥rmom “Jesus Cristo dos √öltimos Dias”. O ver√£o chuvoso e intempestuoso for√ßou Mary Shelley, John William Polidori e amigos terem que aproveitar o ver√£o dentro de casa. Eles decidiram ent√£o apostar quem seria capaz de escrever a hist√≥ria mais aterrorizante, levando Shelley escrever “Frankenstein” e Polidori escrever “The Vampyre”. 1816 foi um ano para se guardar na mem√≥ria.
Leia mais:
1816 – “Year Without a Summer”
Climate Change – A. Barrie Pittock