Bem vindos sciblings!

Parem de ajudar o Planeta, por favor!

Estou em um momento de mudan√ßa de paradigmas, de vai ou racha. Tento, desde que comecei esse blog, ter uma vis√£o positiva das a√ß√Ķes verdes que vejo por a√≠. Mesmo detestando “green washing” busco ver o que h√° de bom na propaganda, ou na a√ß√£o promovida por uma empresa. Mesmo duvidando de v√°rios produtos “ecologicamente corretos”, busco ver o que h√° de bom nisso, se h√° enriquecimento de uma cultura, pre√ßos justos, respeito aos trabalhadores, entre outras coisas.
O momento “estou em d√ļvida quanto √†s minhas tentativas de ver pontos positivos” veio por conta de tr√™s acontecimentos essa semana. Estes tr√™s acontecimentos est√£o me levando a abandonar o velho pensamento e iniciar um novo, que estou chamando atualmente de “parem de ajudar o Planeta!”. Ele precisa de uma folga de tantas inten√ß√Ķes de ajuda. Creio at√© que ele deve ficar melhor sem elas.
Atente! N√£o estou dizendo sobre TODAS as inten√ß√Ķes. S√≥ das representadas pelos tr√™s acontecimentos da semana.
Pare.jpgBy elNico on Flickr
Primeiro acontecimento: veio atrav√©s da lista de discuss√£o dos sciblings. Estarrecedor! O dito gestor ambiental da DERSA, Marcelo Arreguy Barbosa tem a cara de pau de dizer que “a natureza √© a respons√°vel pelas mortes, jamais o empreendimento”, justificando (se √© que isso √© poss√≠vel) a morte de animais (inclusive de esp√©cies amea√ßadas de extin√ß√£o), direta ou indiretamente relacionadas com a constru√ß√£o do trecho sul da obra do Rodoanel, em S√£o Paulo. [Saiba mais aqui.]
Como não? Seguindo a lógica do dito gestor ambiental, a natureza é obviamente responsável pelo derretimento das calotas polares (afinal, quem mandou a natureza subir a temperatura média global?) e também pela escassez de água para beber em algumas áreas do globo (natureza boba, chata e feia! quem mandou programar a deriva continental e a distribuição de fontes de água potável desta maneira?)
Segundo acontecimento: veio de uma conversa com a Claudia Chow e, depois, da minha leitura dos posts (aquele e esse) sobre uma certa ação, provavelmente relacionada ao programa Aprendiz Universitário. Clau Chow, aproveitando seu momento Roberto Justus, demitiu todo mundo e com razão! Se os profissionais que estão preparados para ingressar no mercado de trabalho tem, frente aos recursos apresentandos pela dita operadora, essa visão pobre e burra sobre os potenciais de projetos sustentáveis de uma empresa estamos ferrados!
Gente!!!! N√£o pode!!! Estou estarrecida de novo, e √© s√≥ ter√ßa-feira! P√°ra com isso! √Č √≥timo plantar √°rvores? Fato! Todo mundo gosta de ganhar “eco-brindes”? Fato tamb√©m! Mas at√© quando os profissionais v√£o empurrar a responsabilidade para o SOS Mata Atl√Ęntica ou para alguma empresa de brindes?! Bora fazer algo novo?!
O terceiro acontecimento: esse veio do Discutindo Ecologia e foi o mais decepcionante de todos. Juro… fiquei triste mesmo, fiquei chocada, fiquei mal o dia todo (e por isso estou escrevendo esse post). Numa a√ß√£o desajeitada e aparentemente mal planejada, o Greenpeace enfiou os p√©s pelas m√£os. A ideia – muito boa, mas de boas inten√ß√Ķes… – era chamar a aten√ß√£o dos l√≠deres mundiais reunidos no encontro do G20, para que olhassem para as pessoas e para as mudan√ßas clim√°ticas antes de tomarem suas decis√Ķes.
Pois bem… o pr√≥prio Greenpeace contrariou suas reivindica√ß√Ķes e os pr√≥prios ativistas, bem ali, no local da manifesta√ß√£o, causaram transtornos para as pessoas e para o meio ambiente. Parece pouco, mas, por conta da a√ß√£o foram produzidos centenas de quil√īmetros de congestionamentos, pessoas ficaram atrasadas, estressadas e enlouquecidas, nem sei quantificar a quantidade de gases do efeito estufa emitidos. Bela a√ß√£o para mostrar o despreparo e a falta de planejamento log√≠stico dessa institui√ß√£o que merecia mais de seus ativistas.
Por favor, Marcelo Arreguy Barbosa, aprendizes universit√°rios e Greenpeace! Se for desse jeito, pelamordedeus: Parem de ajudar o Planeta!