Que 2013 nos traga sa√ļde (ou, Uma Ode aos Mediconomistas)

Neste arbitr√°rio ponto em nossa √≥rbita ao redor de uma estrela mais-ou-menos, me pego esperan√ßoso, desejando que mais de n√≥s – humanos – f√īssemos de uma classe rara mas imprescind√≠vel e cuja falta √© cada vez mais sentida; a dos mediconomistas.

√Č fun√ß√£o desses pro(-bono)fissionais nos nortear em dire√ß√£o a investimentos f√≠sicos seguros que nos amealhem riquezas de modo a n√£o nos preocuparmos indevidamente com a perda de b√īnus e t√īnus, empregando corretamente nossa suada ATP e evitando a longo prazo a√ß√Ķes que desvalorizem nossa circula√ß√£o (sangu√≠nea ou monet√°ria), como dep√≥sitos de gordura (at√© na poupan√ßa) que podem reduzir a liquidez das nossas art√©rias, elevando as taxas e aumentando perigosamente o nosso d√©bito card√≠aco, nos levando a uma poss√≠vel fal√™ncia respirat√≥ria.

Mediconomia

√Č tamb√©m de sua responsabilidade nos recomendar movimentar os fundos visando evitar a necessidade de aplica√ß√Ķes de risco cir√ļrgico (passando longe tanto do Tesouro quanto da tesoura), monitorando regularmente nossa conta corrente sangu√≠nea para que fiquem seguros todos os nossos bens – incluindo o bem-estar, sem deixarmos de considerar todas aquelas siglas (HDL, CDB, TGP, DOC, T4, CC) que tanto nos esvaziam os bolsos das cal√ßas quanto nos criam bolsas nos olhos.

√Ä maioria de n√≥s, pessoas comuns, falta experi√™ncia para lidarmos com o balan√ßo de nossas contas e as balan√ßas dos nossos cantos. Temos tamb√©m dificuldade em seguir as orienta√ß√Ķes da Receita e as instru√ß√Ķes de receitas mesmo geralmente quando bem-sucedidos em evitar colapsos – emocionais e econ√īmicos.

Precisamos que esses profissionais nos mostrem que a √ļnica promo√ß√£o que nos √© realmente essencial √© aquela da sa√ļde. E que esta n√£o deve vir com descontos ou presta√ß√Ķes, mas sempre √† vista de todos.

Toda riqueza consiste de coisas desejáveis, isto é, coisas que satisfazem as necessidades humanas, direta ou indiretamente. Mas nem todas as coisas desejáveis são contadas como riqueza.

– Alfred Marshall

Tudo em excesso é contrário à Natureza.

РHipócrates

Categorias