Homeopatia é feita de nada e NÃO funciona contra dengue

Em Natal, a prefeita Micarla de Sousa (eleita pelo PV) sancionou a Lei n¬ļ 6.252, de 25 de maio de 2011 (link em PDF) que diz:

A PREFEITA DO MUNIC√ćPIO DE NATAL,

Fa√ßo saber que a C√Ęmara Municipal aprovou e eu sanciono a seguinte Lei:

Art. 1¬ļ – Autoriza o Poder Executivo a realizar estudos e pesquisas no sentido de adotar medica√ß√£o homeop√°tica, no combate e preven√ß√£o de dengue em Natal.

I – A medica√ß√£o a que se refere o artigo 1¬ļ poder√° ser ministrada nos bairros que apresentem os maiores √≠ndices de infesta√ß√£o da doen√ßa ou nas √°reas onde a equipe t√©cnica da Secretaria Municipal de Sa√ļde definir como priorit√°rias ou de risco iminente para prolifera√ß√£o de casos;

II – A aplica√ß√£o do medicamento ser√° executada pelas unidades de sa√ļde, na dosagem prescrita por profissional competente;

III – A Secretaria de Sa√ļde do Munic√≠pio de Natal, atrav√©s de uma equipe multidisciplinar, far√° o acompanhamento e monitoramento, com as notifica√ß√Ķes necess√°rias, dos usu√°rios atendidos pela medica√ß√£o a que se refere o artigo 1¬™ desta Lei.

Art. 2¬ļ – Esta Lei entra em vigor na data de sua publica√ß√£o, revogadas as disposi√ß√Ķes em contr√°rio.

Um grande problema n√£o √© o texto acima, mas a maneira como a coisa foi levada √† frente. Esses “estudos e pesquisas” n√£o ocorreram. Especialista n√£o foram consultados e, especialmente, o Conselho Regional de Medicina n√£o foi ouvido.

Entrando em vigor, essa lei certamente beneficiaria, e muito, algumas pessoas, tendo em vista que homeopatia é feita de nada.

O pior, no entanto, √© o fato de existirem pessoas em cargos altos (como prefeita e vereadores) que n√£o s√≥ acreditam nessa macumba disfar√ßada de medicina que √© a homeopatia como n√£o t√™m o m√≠nimo interesse na sa√ļde da popula√ß√£o (se tivessem, teriam consultado infectologistas ou teriam procurado o CRM, o que n√£o ocorreu).

Jeancarlo Cavalcante, presidente do Conselho, falando ao jornal Tribuna do Norte disse que, tanto a san√ß√£o quanto a aplica√ß√£o dessa lei s√£o “uma temeridade”. Mas ele disse isso porque √© o presidente.

Como eu não devo contas políticas a ninguém, posso dizer com mais letras: dar homeopatia a pessoas doentes ou tentar usar homeopatia para prevenir doenças potencialmente fatais é uma irresponsabilidade e demonstra, mais uma vez, o descaso do poder administrativo da minha cidade para com a população, cujo interesse deveria ser prioridade.

Por mais que esse “passe de m√°gica” (como disse ao mesmo jornal o presidente da Sociedade Riograndense do Norte de Infectologia, H√™nio Lacerda) estivesse sendo aceito por ingenuidade de Micarla de Sousa, seria dever da primeira servidora p√ļblica da cidade procurar pessoas que, ao contr√°rio dela, realmente soubessem do que se trata medicina, doen√ßas, tratamento, etc. Confiar na pr√≥pria suposta intelig√™ncia √©, demonstrativamente, um erro para pessoas assim, em cargos t√£o importantes.

Em entrevista ao Novo Jornal, Munir Massud, Professor da UFRN e especialista em Bio√©tica M√©dica, aponta que homeopatia “n√£o serve para nada. Na Medicina, o que n√£o √© cient√≠fico n√£o √© √©tico”. E, para o Conselho Nacional de Sa√ļde, antes de ser usado em humanos, um medicamento precisa ser fundamentado com experimenta√ß√Ķes pr√©vias, cientificamente. Coisa que a homeopatia falhou em fazer 100% das vezes que tentou.

Em vista disso, a Secretaria Municipal de Sa√ļde informou ao Novo Jornal que: “em raz√£o da pol√™mica levantada pela lei, ir√° solicitar um parecer t√©cnico √† Sociedade Riograndense do Norte de Infectologia”.

Sim, voc√™s j√° devem ter notado. A Secretaria de Sa√ļde s√≥ ir√° se informar a respeito com especialistas no assunto porque o CRM e a pr√≥pria Sociedade de Infectologia foram atr√°s.

Então, ao invés de combater o mosquito (não há uma propaganda de prevenção, um só folheto pregado em poste, nada), a prefeita achou por bem beneficiar financeiramente os feiticeiros medievais que venderiam água a preço de remédio. Porque, já que a população não gosta dela, porque ela haveria de gostar da população, não é?
J√° que ela nem se trata aqui, por que ent√£o cuidar do sistema de sa√ļde do munic√≠pio?

Recapitulando: mat√©rias circularam pela Tribuna, Novo Jornal (j√° citados), Di√°rio de Natal e nominuto.com ap√≥s uma coletiva de imprensa organizada pelo Conselho Regional de Medicina e pela Sociedade Riograndense do Norte de Infectologia, pois nenhum dos dois √≥rg√£os foram consultados antes da prefeita passar uma lei dando √°gua e a√ß√ļcar para a popula√ß√£o como forma de combater a dengue.

Mas eu vou esperar até Micarla divulgar o resultados dos estudos e testes que realizou, segundo prevê a lei que ela promulgou semana passada.

Enquanto isso, pessoas de fora, estejam avisadas: não venham a Natal em hipótese alguma. Gastem seu dinheiro turistando na Paraíba ou no Ceará. Aqui vocês podem morrer de Dengue a qualquer minuto.

Não há mais salvação para nós, natalenses, mas estamos resignados quanto à falta de estrutura da prefeitura para combater um mosquito.

Como consola√ß√£o, fiquem com Amanda Gurgel, uma das poucas coisas boas que aconteceram na minha cidade nos √ļltimos anos.

E que venha a Copa!

Categorias