A Mente Musical

Ocorreu em Goi√Ęnia no final de maio o V Simp√≥sio de Cogni√ß√£o e Artes Musicais (SIMCAM). Um verdadeiro ponto de encontro entre humanidades e ci√™ncias em torno da musicalidade humana. Uma iniciativa anual de cinco anos da Associa√ß√£o Brasileira de Cogni√ß√£o e Artes Musicais, composta por pesquisadores brasileiros de diversas √°reas de educa√ß√£o musical at√© neuroci√™ncias da m√ļsica.

O SIMCAM sempre tem convidados internacionais, √≥timas palestras e mesas redondas, apresenta√ß√Ķes orais e de p√īsteres, al√©m de v√°rias apresenta√ß√Ķes musicais de todos os estilos e g√™neros: de m√ļsica barroca at√© eletroac√ļstica. O SIMCAM √© sempre uma √≥tima oportunidade para conhecermos melhor pesquisas e pesquisadores interessados nos v√°rios aspectos de musicalidade humana.

Nesse ano foram dois os convidados internacionais. A Katie Overy da University of Edinburgh, Reino Unido n√£o pode comparecer de √ļltima hora, mas mandou sua apresenta√ß√£o e o pdf do seu artigo a tempo de divulgar a todos suas pesquisas. Sua comunica√ß√£o girou em torno das rela√ß√Ķes entre a experi√™ncia musical e o sistema de neur√īnio espelho propondo um modelo de experi√™ncias afetivas e gestuais da m√ļsica.

O Steven Brown da McMaster University, Canad√° compareceu e falou sobre porque algumas pessoas cantam desafinado. Mostrou com suas pesquisas como a desafina√ß√£o n√£o est√° relacionada a aspectos da mem√≥ria, da percep√ß√£o mel√≥dica, nem habilidade motora e sim na habilidade imita√ß√£o vocal. Sua palestra foi muito interessante, pois al√©m de tudo mostrou v√°rias pessoas cantando desafinado, cantos de outras esp√©cies e de outras culturas, que arrancou risadas e exclama√ß√Ķes da plat√©ia.

O Steven Brown ainda veio para o Instituto de Psicologia da USP dar uma disciplina de p√≥s-gradua√ß√£o a convite meu e da minha orientadora. A disciplina foi sobre as Artes e o C√©rebro e ele abordou o estudo unificado das artes, suas origens evolutivas, os mecanismos cerebrais envolvidos na dan√ßa e m√≥dulos cerebrais relacionados a diferentes manifesta√ß√Ķes art√≠sticas. A disciplina foi muito boa, rica em conte√ļdos e discuss√Ķes. Apareceram quase 30 alunos dentre mestrandos doutorandos e professores de outras unidades.


A grande quantidade de pessoas interessadas na disciplina somada √†s centenas de pessoas que j√° participaram dos SIMCAMs mostram crescente interesse pelas pesquisas sobre artes e principalmente m√ļsica. Muitos livros atualmente est√£o sendo lan√ßados sobre o tema dentre os famosos est√£o o “Alucina√ß√Ķes musicais” do Oliver Sacks e o “This is your Brain on Music” de Daniel Levitin.

em busca da mente musical.jpg
A uni√£o interdisciplinar promovida pela Associa√ß√£o Brasileira de Cogni√ß√£o e Artes Musicais j√° at√© culminou no o primeiro livro brasileiro sobre cogni√ß√£o musical, o “Em Busca da Mente Musical”, um esfor√ßo de v√°rios autores editado pela Beatriz Ilari da UFPR. O livro conta com um capitulo escrito pelo pr√≥prio Daniel Levitin.

Abaixo veremos v√≠deo e entrevista de Oliver Sacks comentando sobre os interessantes casos neurol√≥gicos relacionados √† musicalidade, como sinestesias e amusias. E NESSE link voc√™s poder√£o assistir um document√°rio The Muscial Brain de 45 min com Daniel Levitin sobre v√°rios aspectos do c√©rebro musical desde o desenvolvimento musical em beb√™s at√© a evolu√ß√£o da musicalidade. Nesse document√°rio Levitin submete o cantor Sting do The Police ao imagiamento cerebral realizando diferentes tarefas. S√£o V√≠deos e livros imperd√≠veis para os amantes da ci√™ncia e da m√ļsica.