Exposi√ß√Ķes, Simp√≥sio e Entrevista sobre Darwin

Dando continuidade √†s comemora√ß√Ķes do bicenten√°rio de Darwin e 150 do “Origem das Esp√©cies” aqui no MARCO EVOLUTIVO, apresento duas op√ß√Ķes de programa darwinista para esse final de semana dias 16-17 na cidade de S√£o Paulo e uma s√©rie de v√≠deos de Maria Isabel Landim explicando Darwin.

A primeira op√ß√£o √© para n√£o perder os √ļltimos dias da exposi√ß√£o DARWIN NOW apresentada na capital paulista pelo British Council e pela Esta√ß√£o Ci√™ncia. A exposi√ß√£o tempor√°ria DARWIN NOW explora a vida e obra de Darwin e o impacto que suas id√©ias sobre a evolu√ß√£o das esp√©cies ainda provocam. Ela ficou na Esta√ß√£o Ci√™ncia desde 16 de abril e domingo, dia 17 de maio, √© o √ļltimo dia. A DARWIN NOW tem 8 pain√©is duplos, ilustrados, com textos em portugu√™s e ingl√™s, al√©m de elementos interativos para o p√ļblico mais jovem.

Os temas abordados s√£o 14: Quem foi Darwin; Redes Globais; Teoria de Darwin: hereditariedade, varia√ß√£o, sele√ß√£o; Rea√ß√Ķes; Evid√™ncia para a Evolu√ß√£o – Naquela √Čpoca; Evid√™ncia para a Evolu√ß√£o – Hoje em Dia; A Evolu√ß√£o desafia a Religi√£o?; Como surgem as novas esp√©cies?; Humanos em Evolu√ß√£o; Como a M√ļsica evolui?; Como evoluem os Genomas?; Evolu√ß√£o √ćntima ?; Uma S√≠ntese Maior?; Por que tantos?; al√©m do mapa da viagem de Darwin no H.M.S. Beagle, com as regi√Ķes costeiras de todo o Hemisf√©rio Sul visitadas. Achei muito legal que finalmente alguma exposi√ß√£o sobre Darwin falou de suas contribui√ß√Ķes para a evolu√ß√£o da musicalidade, tema que estudo. Os pain√©is completos em ingl√™s e fotos da exposi√ß√£o est√£o dispon√≠veis on line.


S√£o Paulo foi a primeira cidade brasileira a receber esta exposi√ß√£o, que circular√° pelo pa√≠s neste ano percorrendo algumas capitais tais como: Rio de Janeiro, Manaus, Fortaleza, Recife, Salvador, Bras√≠lia e Cuiab√°. Os ingressos saem por R$ 2,00 (gr√°tis para menores de 6 anos, maiores de 60 e para todos no primeiro s√°bado e terceiro domingo de cada m√™s). E no dia 17 de maio, √ļltimo dia da exposi√ß√£o tamb√©m √© o terceiro domingo do m√™s, por tanto a entrada ser√° gr√°tis.

A segunda op√ß√£o darwinista para esse final de semana √© o I Simp√≥sio Acad√™mico do Curso de Psicologia da Universidade Anhembi Morumbi que tem como tema central o paradigma evolucionista: A PSICOLOGIA 150 ANOS AP√ďS “A ORIGEM DAS ESP√ČCIES” DE DARWIN. O Simp√≥sio tem como objetivo favorecer uma reflex√£o acerca das contribui√ß√Ķes da teoria da evolu√ß√£o para a psicologia contempor√Ęnea. Ser√£o palestras e mesas redondas ao longo do s√°bado dia 16 de maio.

As mesas redondas ser√£o sobre os seguintes assuntos: Charles Darwin na Psicologia Contempor√Ęnea, A Psicologia Evolucionista e Evolu√ß√£o: psicobiologia e cultura. Eu serei um dos palestrantes da mesa-redonda sobre Psicologia Evolucionista junto com Jos√© Henrique Benedetti e Altay de Souza, ambos da p√≥s em Psicologia Experimental da USP tamb√©m.
O simpósio será no campus Vila Olímpia da Universidade Anhembi Morumbi, rua Casa do Ator 275, primeiro andar da unidade 6 na sala 611. Começa às 9h e vai até às 17h. A inscrição, que devem ser feita pelo e-mail bpteixeira@anhembi.br, é apenas 1Kg de alimento não perecível entregue na data do evento. Vagas são limitadas aproveitem.

Abaixo voc√™s encontram uma entrevista em 5 v√≠deos com a Dra. Maria Isabel Landim do Museu de Zoologia da USP explicando Darwin, comentando sobre a exposi√ß√£o de Darwin nas diferentes cidades em que foi, falando do ciclo de palestras paralelo √† exposi√ß√£o, do livro que se originou de uma desses ciclos e da import√Ęncia do evolucionismo para acabar com nosso antropocentrismo arrogante. Ela al√©m de ter sido co-curadora da Exposi√ß√£o sobre Darwin, tamb√©m est√° envolvida na organiza√ß√£o da comemora√ß√£o anual do Dia de Darwin em 12 de fevereiro. Espero que ela inspire muitas outras pessoas em divulgar e estudar Darwin e a Teoria da Evolu√ß√£o.

Luz, Vaga-Lumes e A√ß√£o … Sexual!!!

Como parte dessa primeira blogagem coletiva sobre luz do ScienceBlogs Brasil veremos aqui no MARCO EVOLUTIVO as influências da seleção sexual nos custos e benefícios do piscar do vaga-lume. Muitas das cerca de 1900 espécies diferentes de vaga-lume usam flashes luminosos para sua comunicação sexual. E veremos a trama sexual comandando a evolução do padrão de sua bioluminescência.

James Lloyd professor na Universidade da Florida, que estuda vaga-lumes por mais de 35 anos, acha que esses pequenos insetos s√£o realmente incr√≠veis. “Imagine antes da eletricidade o qu√£o brilhante era o flash do vaga-lume. Isso deve ter sido muito misterioso”. Hoje sua luz n√£o √© mais um mist√©rio, trata-se do √≥xido n√≠trico neurotransmitindo o impulso el√©trico emitido pelos neur√īnios do vaga-lume para o abd√īmen disparar o flash luminoso, que √© produzido pela enzima luciferase catalisando a oxida√ß√£o da luciferina, gerando a emiss√£o de luz.

Mas ainda hoje as nuances de sua comunicação ainda são pouco conhecidas. Para Lloyd, os vaga-lumes podem significar para o estudo da comunicação em insetos o equivalente ao que a drosófila é para a genética de insetos. Vaga-lumes são besouros e, assim como muitos outros insetos suas larvas só comem. Já os adultos só pensam em sexo, nem lembram de se alimentar. Eles têm uma vida adulta curta, de cerca de um dia a duas semanas. E na maioria das espécies o macho voa mais do que a fêmea. Então eles têm pouco tempo para voar, encontrar e conquistar uma fêmea. E para isso usam sua lanterna do amor!

“Ardendo de amor, as cigarras
cantam: mais belos porém
s√£o os pirilampos, cujo mudo amor
lhes queima o corpo!”
Herberto Helder

Tanto os vaga-lumes machos quanto as fêmeas produzem um padrão de flash específico que pode variar de uma piscada curta, um traço luminoso a uma sucessão flamejante, longa, tracejada ou contínua. Seu padrão varia de espécies para espécie. E as fêmeas preferem machos com flashes mais conspícuos, ou seja, de maior destaque, mais brilhantes. Elas respondem à piscadela deles piscando de volta e isso atrai os machos na hora. Mas por que será elas escolhem os mais brilhantes?

Bom para iluminar seus pensamentos pense numa vida adulta curta, nenhuma alimenta√ß√£o, muito v√īo e milhares de flashes para conseguir acasalar. Isso deve ser muito custo, n√£o √©? Mas quanto afinal? Foi exatamente essa pergunta que a professora Sara Lewis da Universidade de Tufts procurou responder. Primeiro ela mediu a quantidade de g√°s carb√īnico produzida pelo vaga-lume sem piscar e piscando. Ela descobriu apenas uma pequena diferen√ßa. Ent√£o ela resolveu pesquisar se a preda√ß√£o n√£o era maior custo. Usou v√°rias armadilhas no campo sendo que algumas eram o controle (sem luz) e outras tinham um dispositivo luminoso que imitava um vaga-lume macho, de modo a capturar todos aqueles atra√≠dos pelo padr√£o de piscada.

Para sua surpresa as armadilhas luminosas continham significativamente mais vaga-lumes do que as controle. Mas os vaga-lumes encontrados eram em grande parte de uma espécie diferente. Uma especializada em imitar o padrão de piscadela de outras espécies de vaga-lumes atraindo machos para devorá-los. Esse é o grande custo para aqueles vaga-lumes com flashes mais conspícuos, eles são mais facilmente encontrados por predadores.

Esses machos sofrem mesmo! Como est√£o sempre tarados, s√£o facilmente ludibriados. √Äs vezes eles s√£o atra√≠dos por orqu√≠deas que mimetizam a f√™mea da vespa para serem polinizadas, como vimos em “Coevolu√ß√£o e Sele√ß√£o Sexual no Caso da Vespa Tarada”, outras vezes como no caso do Ronaldo, s√£o atra√≠dos por homens mimetizando mulheres para extorqui-los nos m√≠dia. E no caso dos vaga-lumes, s√£o atra√≠dos por f√™meas de outras esp√©cies para pred√°-los.

Mas por que afinal as f√™meas iriam preferir acasalar com machos de sua esp√©cie que tem mais chances de serem predados? √Ä primeira vista n√£o tem muita l√≥gica porque os filhotes desse tipo de casal t√™m mais chances de serem devorados. N√£o seria melhor escolher machos mais camuflados? N√£o! Porque s√≥ os machos de melhor qualidade conseguem emitir sinais que tamb√©m atraem predadores e continuar vivos. Essa √© a l√≥gica contra-intuitiva dos sinais honestos por desvantagem propostos por Zahavi em 1975, s√≥ os melhores podem se dar ao luxo de se colocar situa√ß√Ķes desfavorecedoras e ainda assim continuarem vivos, pois os de baixa qualidade quando colocados em desvantagem morrem f√°cil.

Como vimos, as pesquisas da Sara Lewis mostram como a evolu√ß√£o do padr√£o luminoso dos vaga-lumes √© moldada por um processo dual tanto de sele√ß√£o sexual (escolha da f√™mea e competi√ß√£o com outros machos) quanto de sele√ß√£o natural (preda√ß√£o). Abaixo voc√™s ver√£o os v√≠deos das pesquisas de professora Sara Lewis que ilustram a din√Ęmica de sexo, luz e preda√ß√£o da vida dos vaga-lumes.