Feliz Dia de Darwin 2012

Simplesmente são 203 anos para o aniversariante mais célebre de hoje, Charles Darwin. Todo dia 12 de fevereiro, comemoramos no mundo todo o Darwin Day, uma celebração sobre Evolução, Ciência e Humanismo. Também comemoramos no Brasil o Dia do Orgulho Ateu. Como podem imaginar, não se trata de tietagem vazia, mas sim de uma homenagem mais que merecida para o cientista que em sua vida e obra levantou temas e posturas muito avançadas, abrangentes e revolucionárias.

Darwin hoje representa para nós acima de tudo Coragem. Valentia para se questionar e mudar, evoluir no pensamento. De caçador de animais e degustador de animais exóticos, passou a defender o respeito para com os animais e condenar as práticas de crueldade. Já que não faz muito sentido ser contrário ao trabalho escravo, o que ainda acontece em muitos lugares do Brasil e do mundo, e não se questionar sobre como tratamos os animais. De religioso e estudante para ser pastor anglicano, virou pesquisador em História Natural e abandonou a crença em deus. Não faz muito sentido acreditar num papai noel, mesmo depois de descobrir que não existe mágica, apenas truques, efeito placebo, auto-engano e tribalismo.

Sem essa coragem para abandonar esse nosso antropocentrismo terrorista nunca conseguiremos construir uma realidade mais universalmente justa e respeitosa. O antropocentrismo terrorista, que ao pregar que o ‘homem’ é o ápice, quase divino e, por tanto, está autorizado a usar e abusar das outras culturas, etnias, espécies e ecossistemas, está, não só está destruindo a si mesmo, mas levando tudo o mais junto para o buraco.

Tenha a coragem de aceitar o desafio proposto por Darwin. Veja a si mesmo como tão especial quanto qualquer outra espécie seja bonita e fofinha ou feia e venenosa, sinta-se conectado a todas elas, pois todos somos parentes e, então veja a beleza de se orgulhar de suas bactérias da flora intestinal. Não tenha medo de cultivar dúvidas, despir a curiosidade de tabus e dogmas, experimente beber do experimentar e testar possibilidades alternativas. E então permita que as reflexões nesse dia de Darwin evoluam em você.

Nesse vídeo veremos uma mensagem do idealizador da celebração mundial do Darwin Day, Robert Stephens.

Discussão - 2 comentários

  1. Arnaldo disse:

    Cara, adoro seu blog. Mas vc fez Darwin e o Darwinismo (e até mesmo o ateísmo) parecer Rosseau e os bichos-grilo da década de 60, com aquele discurso paz, amor, uniao, natureza…Acho que o Darwinismo nao é isso. Também nao é a idiotice da luta selvagem do salve-se quem puder. Você romantizou o cara.

    Abçs.

    • Marco Evolutivo disse:

      Falaí Arnaldo,
      Pois é como pediu finalmente estou de volta escrevendo.
      Interessante sua interpretação e ponto de vista. O que tentei mostrar é que um pleno entendimento das implicações do darwinismo, apenas quando somado a uma busca por coerência (o que é de cada um, o que foi o caso de Darwin), faz as pessoas reverem seus conceitos antropocêntricos e esse é o primeiro passo para que possamos aumentar nosso círculo moral para outras culturas, espécies e ecossistemas. Ao meu ver, foi esse entendimento profundo (aliado à inquitação de não conseguir se ver, e nem mais levar a vida alheio a tudo aquilo com antes depois de tomar a ‘pilula vermelha’ do ácido universal do darwinismo; o que é uma característica de personalidade com grande variação individual, essa inquetação) que fez com que ele tomasse a decisão de fazer um update moral, ou seja, mudar o em que acreditar, respeitar, em que defender e lutar por.
      Concordo que muitas pessoas não precisam se coerentes e não estou os chamando de covardes, muitos são religiosos e ótimos biólogos, muitos conseguem defender o meio ambiente mesmo não seprando lixo em casa por exemplo, muitos conseguem defender os direitos dos animais sem deixar de ir a churrascarias.

      Agora isso é sobre a implicação do darwinismo para os humanos, que são dotados de um instinto moral calibrado para parentes e pequenos grupos de conhecidos aliados e que temos que exercitar bastante para estendê-lo a circulos maiores, para sermos cidadãos do mundo. Não estou falando que o darwinismo diz que a natureza é tudo paz e amor, Terra gaia ou que a seleção natural é boazinha ou perversa e cheia de selvageria. A natureza e o mecanismo de seleção não são nem um nem outro, são amorais. Como somos seres morais não conseguimos deixar de atribuir valores e julgamentos a tais processos como extinções em massa, parasitas e parasitoides, por exemplo. Isso por que dicotomizamos as ações alvo do julgamento moral, não vemos meio termo neutro.
      Então a idéia não é tirar ou atribuir lições morais à natureza, mas sim usar da iluminação existencial do entendimento advindo do darwinismo sobre as perguntas filosóficas originais mais básicas para revermos nosso papel na Terra aqui e agora sem dogmatizar, nem romanciar, demonizar ou protelar desnecessariamente.
      Espero que tenha fica mais clara a proposta do texto e do desafio de Darwin.
      Abraços
      Marco

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Skip to content

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM