Comunicação Animal e Linguagem

“Se um leão falasse, nós não o entenderíamos” disse o filósofo Ludwig Wittgenstein. E o famoso rugido do leão dos estúdios MGM seria mais ou menos o que ouviriamos. Esta é a foto do leão, do cinegrafista e do operador de áudio do dia em que a cena do rugido da MGM foi gravada em 1924.

Os paralelos da comunicação animal e da linguagem humana pedem uma abordagem por um olhar comparativo e amplo. Não dá para isolar o ser humano ao estudar nenhum aspecto de nosso interesse. Temos sempre muito a ganhar ao situar os humanos entre ‘seus semelhantes’, os outros seres vivos.

Então, a dica dessa vez é a palestra gratuita “Comunicação animal e linguagem humana”, com o Prof. Dr. Didier Demolin, do Departamento de Linguística. Será realizada às 17h no dia 27 de outubro, essa quinta-feira. Além de gratuita é aberta aos interessados. Sala de eventos do IEA, Rua Praça do Relógio, 109, Bloco K, 5º andar, Cidade Universitária, São Paulo.

Haverá também transmissão ao vivo no site do IEA (Instituto de Estudos Avançados da USP). Não perca.

Segue abaixo um vídeo do físico teórico Michio Kaku falando que hoje nós já conseguimos, ao analisar o som emitido por mamíferos aquáticos, por exemplo, dizer que se trata de linguagem inteligente, porém ainda falta muito para conseguirmos decifrar o que estão dizendo.

Simpósio de Bem-Estar Animal na Unesp Rio Preto

Uma das maiores lições que podemos tirar do processo evolutivo é a noção de que não somos o ápice da natureza. Descer do pedestal egocêntrico imaginário é uma tarefa difícil, mas recompensadora e necessária, caso queiramos continuar existindo como espécie.

Ao nos vermos como apenas mais uma espécie qualquer, percebemos nossa milenar falta de respeito e pouco caso para com as outras espécies corriqueiramente ditas inferiores. Perceber isso é apenas o primeiro passo, o segundo é conhecer formas de promover condições de existências mais dignas para as outras espécies.

São justamente essas temáticas as abordadas no Simpósio de Bem-Estar Animal, organizado pelo Grupo de Estudo em Zoologia e pelo Programa de Pós-Graduação em Biologia Animal do IBILCE, UNESP, realizado de 3 a 5 de novembro em São José do Rio Preto.
A programação conta com um mesa redonda sobre os prós e contras dos zoológicos, palestras e minicursos.
As seis palestras tem temas que vão desde a história do bem-estar animal até os crimes contra a fauna. Os minicursos serão sobre enriquecimento ambiental, comunicação animal e bem-estar animal. O custo da participação é bem acessível.
Esse promete ser um ótimo evento e desde já parabenizo a organização pela iniciativa e sua concretização. Participem!!!

Feliz Darwin Day 2011!!!

 

Hoje é um dia muito especial, mais que natal e carnaval. Dia 12 de fevereiro é o aniversário de Charles Darwin, o Darwin Day!!! E nessa data comemora-se mundialmente sua vida, sua obra, descobertas e legado. Aos seus meros 202 aninhos Darwin está mais vivo do que nunca em 2011. Estamos vivendo numa época muito importante, pois a revolução darwinista está avançando mais e mais, principalmente nas ciências humanas, sociais e artes.

darwin-day-web2.jpg

Atualmente diversas disciplinas típicas das Ciências Humanas já estão se integrando às Ciências Biológicas e originando abordagens mistas como a Medicina Darwinista, a Psicologia Evolucionista, a Antropologia Evolucionista, Biohistória, a Psiquiatria Evolucionista, a Estética Evolucionista, o Direito Evolutivo, a Literatura Darwinista, a Culinária Darwinista, assim como a Musicologia Evolucionista. Tudo isso sendo um desdobramento das implicações evolucionistas para a mente humana iniciadas por Charles Darwin. Fora isso o evolucionismo está sendo aplicado desde à cosmologia até à informática para entendermos melhor a origem de galáxias e desenvolvermos novos softwares por processos seletivos.

 

Hoje também se celebra a vitória da curiosidade e do pensamento crítico, científico sobre o pensamentos supersticioso e místico. Se celebra o fim da visão hierarquizada da vida que via o homem (não a mulher) o mais importante e acima de todos os seres. E com isso celebramos os direitos universais do ser humano e sua conexão aos direitos dos animais. Celebramos também a biodiversidade já que ela não está aí pra nos servir ao nosso béu prazer e sim dependemos dela assim como todos outros seres. Enfim celebramos a vida e a emancipação do pensamento humano na esfera científica e moral.

 

No mundo são mais de 469 eventos programados para hoje. No Brasil, em São Paulo temos um final de semana especial no Museu de Zoologia da USP com mostra de vídeos, teatro, programação infantil e visita guiada com curador da nova exposição Cabeça Dinossauro. Não fique de fora dessa comemoração global vá ao museu  e também envie cartões comemorativos do Dia de Darwin de 2011 para todos seus amigos!! Fique agora com o vídeo sobre o porquê se comemorar o Dia de Darwin!!! Feliz Darwin Day!

Why Celebrate Darwin Day? from American Humanist Association on Vimeo.

O Rap também é Evolução

the rap guide to evolution CD.jpg

Cansado de ter que ler vários livros tediosos pra aprender evolução e inglês? Preferia ficar ouvindo um rap em alto e bom som? Pois seus problemas se acabaram!! Chegou o The Rap Guide To Evolution!!! Pois é minha gente, depois de ouvirmos músicas sobre Darwin e evolução no post e nos comentários de Cantando Darwin, depois de ouvirmos a versão reggae de cada um dos capítulos do Origem das Espécies, chegou a hora de ouvirmos o que o rap tem a nos dizer sobre evolução.

05judson-articleInline.jpg

Baba Brinkman é um raper canadense fissurado em plantar árvores que lançou seu mais novo álbum “The Rap Guide To Evolution”. Graças às conversas com um amigo biólogo evolucionista e muitas leituras, ele compôs 16 músicas interessntes sobre vários aspectos da evolução. Até a Olivia Judson, a Dra Tatiana do Consultório Sexual para todas as espécies, falou bem dele em sua coluna no The New York Times.
Em suas músicas ele explica a seleção natural, desacredita o criacionismo, explica a seleção artificial, ressalta nossa descendência comum com todos os seres vivos e afirma que todos os seres humanos são africanos. Ele ainda fala sobre Psicologia Evolucionista cita autores como Leda Cosmides e Geoffrey Miller, explica a relação do desconto de futuro com o homicídio comentando o livro de Martin Daly e Margo Wilson. Além disso, ele explica memética, seleção de grupo, seleção sexual, DNA mitocondrial e muito mais. Tudo isso numa liguagem clara, bem humorada e fácil de entender.

Daniel.C.Dennett.-.Darwin.s.Dangerous.Idea.-.Evolution.and.the.Meaning.of.Life.png

Gostei dele ter dedicado uma música ao ácido universal. Daniel Dennett refere-se a ideia de Darwin como um ácido que corrói tudo a sua volta, pois nenhum modelo instrutivo se sustenta frente ao modelo seletivo (veja o porquê). Ou seja complexidade e inteligência podem sugir de processos simples e burros sem nenhuma instrução mágica, basta performance, feedback e revisão por um longo período de tempo. No site dele vocês podem ouvir e baixar as músicas e ver muito mais.

darwin_christs college.jpg

No vídeo abaixo veremos Baba Brinkman no Cambridge Darwin Festival ano passado comemorando o Ano de Darwin frente aos famosos evolucionistas. Ele canta o rap em que explica como funciona o modelo seletivo e como usando os mesmo passos da seleção natural: performance, feedback e revisão é possível aprender e aprimorar até o mais fajuto rascunho de letra de rap, porque o rap também é evolução. Divirtam-se cantando e aprendendo.

Symphony of Science

symphony of science 1.jpg

Sem sombra de dúvida o youtube intensificou as pressões seletivas sobre os memes audiovisuais da nossa espécie. E quando temos forte seleção e muita variabilidade disponível não precisamos de muito tempo para encontrar coisas extraordinárias. Mais um casamento promissor entre ciência e música se faz presente graças às técnicas de edição de vídeos. Hoje veremos o que o Symphony of Science tem a dizer sobre evolução.
O Symphony of Science, produzido por John Boswell, consiste em mais uma forma de trazer conhecimento científico e filosófico para o público em forma de música. Em cada vídeo encontramos vários cientistas famosos, como Attenborough, Dawkins, Hawkins, Goodall, P Z Meyer, Sagan e muitos outros, todos cantando suas palestras e falas de vídeos. O trabalho final soa muito bom, parece que eles realmente estão juntos cantando e a produção das imagens dos vídeos ficaram muito boas, interessantes e instigantes.

symphony of science 2.png

No site do the Symphony of Science encontramos cinco vídeos disponíveis para download, a história do projeto e as letras. Também quem quiser seguir o Symphony of Science no twitter e no youtube, receber notícias no email ou enviar alguma doação monetária encontra como proceder no site. Os clipes em sua maioria falam da astronomia e apenas um de biologia. É interessante que ambas disciplinas estejam presentes, pois o conhecimento científico atinge seu ápice de poder em nossas mentes se nos desvencilharmos do nosso antropocentrismo, tanto em escala planetária (não somos nem o centro do universo, nem nada especialmente diferente de outras galaxias), quanto na escala biológica (não somos nem o ápice da evolução, nem mais especiais do que qualquer outra espécie).

jane goodall.jpg

No vídeo abaixo veremos desde aspectos da origem da vida, da maquinaria celular até a árvore da vida formada pela linha indivisível de parentesco (daí o nome do vídeo “The Unbroken Thread”) que une toda a biodiversidade na Terra ao longo dos 4 bilhões de anos de evolução. Jane Goodall, que nesse 2010 comemora 50 ano do início de suas pesquisa observando o comportamento de chimpanzés em vida livre na África, deixa claro que quanto mais sabemos sobre as capacidades das outras espécies, mais percebemos como éramos e ainda somos arrogantes em sempre tentar nos separar dos outros animais. Pense nisso.
 

Podcasts Sobre Darwin e o blogando o Origem

O presente evolutivo em comemoração aos 150 do Origem das Espécies dessa vez vem em forma de áudio. A rádio da BBC 4 está com 4 podcasts especialmente voltados para as comemorações bi e sesquicentenárias Darwinistas. São dicas imperdíveis, muito interessantes e reveladoras.

O primeiro podcast chama-se In Our Time, que abrange 4 programas falando da vida e obra de Darwin, desde sua infância até sua morta e legado. Melvyn Bragg faz entrevistas com eminentes professores ligados ao Christi’s College onde Darwin estudou em Cambridge, com professores do Museu de História Natural de Londres e com curador do jardim da Down House onde ele morou no campo, criou os filhos e fez a maior parte dos trabalhos científicos.

O segundo podcast é o Dear Darwin, que são cinco cientistas de peso: Dr Craig Venter, Sir Jonathan Miller, Prof Jerry Coyne, Dr Peter Bentley e Prof Baruch Blumberg, cada um lendo uma carta sua dirigia a Darwin falando sobre seu legado e trabalho. E você o que incluiria numa carta a Darwin?

O terceiro podcast é o Hunting the Beagle, que é um programa em que o historiador marítimo Dr. Robert Prescott relata seu empenho de quase 10 anos à procura das pistas do paradeiro dos destroços do HMS Beagle.

O quarto podcast é o Darwin, My Ancestor, uma série de 4 programas em que a escritora Ruth Padel, tátara neta de Darwin descreve sua jornada na descoberta das facetas pessoas de seu antepassado, nosso parente, Charles Darwin.

Além dos podcasts eu recomendo os vários vídeos no homepage da BBC. E também recomendo o Blogging the Origin no ScienceBlog Americano. Trata-se de um blog de curta duração criado por John Whitfield, um divulgador de ciência, que nunca tinha lido o Origem das Espécies e publicou na época do Darwin Day um post para cada capítulo lido falando suas impressões ao ler esse livro sesquicentenário em pleno século XXI.

Abaixo veremos um vídeo comemorativo dos 150 anos da Seleção Natural, completado o ano passado graças à cartinha bombástica que Wallace mandou pra Darwin, dando origem à publicação conjunta em 1858 e catalisando a publicação do Origem das Espécies.

Origem das Espécies Faz 150 Anos Hoje

Hoje, dia 24 de novembro de 2009 estamos comemorando os 150 anos do lançamento da primeira das seis edições do livro “Sobre a Origem das Espécies por Meio da Seleção Natural ou a Preservação de Raças Favorecidas na Luta pela Vida” de Charles Darwin, agora disponível online com as anotações de seu terceiro filho Francis Darwin. Como o dia 24 de novembro de 1859 foi um marco evolutivo para a humanidade, é com imenso prazer que o MARCO EVOLUTIVO oferece presentes variados e interessantes para todos. São sites, livros inéditos, vídeos e muito mais.


O “Origem das Espécies” está sendo celebrado hoje em todo mundo. Ele é simplesmente o livro que através de uma minuciosa reunião de fatos e áreas mostrou a possibilidade de se explicar a origem e manutenção da biodiversidade e da distribuição dos seres vivos sem a necessidade de nenhum passe de mágica. “Há uma grandeza nessa visão da vida” escreveu Darwin.

Isso mudou pra sempre nossa visão do mundo natural, pois segundo Dennett no livro “A Perigosa Idéia de Darwin”,  Darwin unificou as esferas da vida, significado e propósito com as esferas de espaço e tempo, causa e efeito, mecanismo e lei física. Por conseqüência encontramos um lugar mais humilde e menos antropocêntrico na natureza. Todos os seres vivos estão conectados e nenhum é melhor do que o outro, todos são especiais e os mais evoluídos do seu ramo.

O Origem, longe de ser a palavra final, abriu uma amplo e fértil programa de investigação que ao longo desses 150 anos unificou todas as diferentes disciplinas das ciências da natureza de geologia à biogeografia, de biologia molecular ao comportamento explicando inúmeros fenômenos por meio de uma mesma matriz evolucionista integradora. E mais recentemente a tendência é essa mesma integração unificar as disciplinas das Ciências Humanas.

Darwin sempre se referiu à sua teoria no singular, mas Mayr no livro “Biologia Ciência Única” mostrou que são pelo menos cinco as diferentes teorias expostas no “Origem das Espécies”. (1) A Evolução: o fato de as espécies mudarem ao longo do tempo; (2) Origem comum: a descendência compartilhada por todos os seres vivos; (3) Multiplicação das Espécies: as espécies dão origem a outras espécies; (4) Gradualismo: a mudança evolutiva ocorre pela transformação gradual da população; (5) Seleção Natural: a reprodução diferencial ao longo das gerações. Muito ainda falta para completarmos a revolução darwinista, então busque como contribuir nessa grandiosa mudança.
Pense grande hoje assim como fizemos no Dia de Darwin para vislumbrar essa mudança e aproveite os presentes abaixo.

O primeiro presente é uma dica de blog sensacional. Nesse Ano de Dariwn a blogosfera brasileira ganhou um presentão. O Prof. Dr. Nélio Bizzo, biólogo e estudioso da história de Darwin, do evolucionismo e de suas relações com a educação, professor titular da Faculdade de Educação da USP fez um blog depois de muitos pedidos: “Blog do Bizzo”. Desde fevereiro de 2009 ele escreve sobre evolução e mostra “lados pouco evidentes das opiniões destacadas em diversos veículos de comunicação de massa”. Trata-se de um blog de conteúdo mais do que reconhecido e altamente recomendado para todos os envolvidos com a área biológica. Seja bem vindo professor!! E vamos todos darwinistas do mundo unidos zelar pelo desenvolvimento pleno da revolução darwinista!

Os dois presentes internacionais são: o link dos resumos do “150 Years after Origin: Biological, Historical and Philosophical Perspectives” na University of Toronto, para todos os interessados em teoria história e filosofia do Darwinismo; e o link do “Evolution of Evolution 150 Years of Darwin’s ‘On the Orign of Species'” um site muito legal e interativo que mostra vídeos e textos sobre Darwin e sua influência na Antropologia, Astronomia, Biologia, Geologia e Ciências Polares.

Como estamos comemorando o aniversário de um livro nada melhor do que indicações de livros comemorativos e altamente relevantes para a compreensão da revolução darwinista, muitos dos quais são lançamentos recentes. Dentre os livros nacionais temos “Charles Darwin Em um Futuro não tão distante”, organizado pela Dra. Maria Isabel Landim e pelo Dr. Cristiano Rangel Moreira, uma iniciativa nacional colaborativa entre muitos autores ilustres, já comentado aqui.

Temos o lançamento de “Além de Darwin” de nosso ScienceBrother Reinaldo do Chapéu, Chicote e Carbono 14, um livro abordando de forma clara uma vastidão de assuntos interessantes sobre biologia evolutiva. Veja o próprio Reinaldo escrevendo sobre seu livro.
Temos também o lançamento de “A Goleada de Darwin” do Dr. Sandro de Souza, ele mostra de maneira muito divertida que se o debate entre evolucionistas e criacionistas fosse um partida de futebol o darwinismo ganharia de goleada, ele explica gol por gol.

Dentre os livros internacionais traduzidos temos “A Origem das Espécies de Darwin Uma Biografia” da Janet Browne, um excelente levantamento histórico sobre a concepção, a publicação e o legado do nosso aniversariante do dia. Temos ainda o lançamento de “A Causa Sagrada de Darwin” de James Moore e Adrian Desmondtions */ p.MsoNormal, li.MsoNormal, div.MsoNormal {mso-style-parent:””; margin:0cm; margin-bottom:.0001pt; mso-pagination:widow-orphan; font-size:12.0pt; font-family:”Times New Roman”; mso-fareast-font-family:”Times New Roman”;} @page Section1 {size:612.0pt 792.0pt; margin:70.85pt 3.0cm 70.85pt 3.0cm; mso-header-margin:36.0pt; mso-footer-margin:36.0pt; mso-paper-source:0;} div.Section1 {page:Section1;} –> os dois maiores biógrafos de Darwin. Nesse livro eles apresentam uma teses inteiramente nova de que muito da inspiração para as principais descobertas veio da sua postura moral anti-escravidão. Eu já comentei sobre esse livro no post dos Eventos sobre Darwin quando divulguei a palestra que James Moore deu em Salvador, vale a pena assitir o vídeo recomendando o original desse livro.

Temos também o lançamento de “A ilha de Darwin” de Steve Jones, que aborda a intensa vida científica de Darwin na Inglaterra abordando 11 dos sue 19 livros ao longo um período de 40 anos. Mesmo se Darwin não tivesse falado nada sobre evolução ele seria muito famoso e respeitado dada a diversidade e importância de seus inúmeros estudos e descobertas em campos diversos de geologia à botânica, passando pelo comportamento animal e humano.

A Editora UNESP lançou duas coletâneas de cartas de Darwin. A primeira é “ORIGENS” incluindo cartas de 1822 a 1859. E a segunda é “A EVOLUÇÃO” incluindo cartas de 1860 a 1870. Ambos os livros apresentam o lado pouco conhecido da comunicação entre cientistas ao redor de uma grande teoria. Esses livros e muitos outros editados por editoras universitárias e muitas outras estarão pela metade do preço na Feira do Livro da USP que começa amanhã no prédio da História e Geografia da USP. Aproveite essa chance única de comemorar o aniversário de um livro comprando vários outros.

Abaixo veremos o trailer do filme “Creation” sobre a vida de Darwin e a publicação do livro aniversariante e um vídeo celebrando o dia de hoje, o histórico dia em que o  célebre “Origem das Espécies” fez seus 150 aninhos. Parabéns ao “Origem” e a todos que mudaram seu modo de pensar e vida e a si mesmos devido a ele.

Exposições, Simpósio e Entrevista sobre Darwin

Dando continuidade às comemorações do bicentenário de Darwin e 150 do “Origem das Espécies” aqui no MARCO EVOLUTIVO, apresento duas opções de programa darwinista para esse final de semana dias 16-17 na cidade de São Paulo e uma série de vídeos de Maria Isabel Landim explicando Darwin.

A primeira opção é para não perder os últimos dias da exposição DARWIN NOW apresentada na capital paulista pelo British Council e pela Estação Ciência. A exposição temporária DARWIN NOW explora a vida e obra de Darwin e o impacto que suas idéias sobre a evolução das espécies ainda provocam. Ela ficou na Estação Ciência desde 16 de abril e domingo, dia 17 de maio, é o último dia. A DARWIN NOW tem 8 painéis duplos, ilustrados, com textos em português e inglês, além de elementos interativos para o público mais jovem.

Os temas abordados são 14: Quem foi Darwin; Redes Globais; Teoria de Darwin: hereditariedade, variação, seleção; Reações; Evidência para a Evolução – Naquela Época; Evidência para a Evolução – Hoje em Dia; A Evolução desafia a Religião?; Como surgem as novas espécies?; Humanos em Evolução; Como a Música evolui?; Como evoluem os Genomas?; Evolução Íntima ?; Uma Síntese Maior?; Por que tantos?; além do mapa da viagem de Darwin no H.M.S. Beagle, com as regiões costeiras de todo o Hemisfério Sul visitadas. Achei muito legal que finalmente alguma exposição sobre Darwin falou de suas contribuições para a evolução da musicalidade, tema que estudo. Os painéis completos em inglês e fotos da exposição estão disponíveis on line.


São Paulo foi a primeira cidade brasileira a receber esta exposição, que circulará pelo país neste ano percorrendo algumas capitais tais como: Rio de Janeiro, Manaus, Fortaleza, Recife, Salvador, Brasília e Cuiabá. Os ingressos saem por R$ 2,00 (grátis para menores de 6 anos, maiores de 60 e para todos no primeiro sábado e terceiro domingo de cada mês). E no dia 17 de maio, último dia da exposição também é o terceiro domingo do mês, por tanto a entrada será grátis.

A segunda opção darwinista para esse final de semana é o I Simpósio Acadêmico do Curso de Psicologia da Universidade Anhembi Morumbi que tem como tema central o paradigma evolucionista: A PSICOLOGIA 150 ANOS APÓS “A ORIGEM DAS ESPÉCIES” DE DARWIN. O Simpósio tem como objetivo favorecer uma reflexão acerca das contribuições da teoria da evolução para a psicologia contemporânea. Serão palestras e mesas redondas ao longo do sábado dia 16 de maio.

As mesas redondas serão sobre os seguintes assuntos: Charles Darwin na Psicologia Contemporânea, A Psicologia Evolucionista e Evolução: psicobiologia e cultura. Eu serei um dos palestrantes da mesa-redonda sobre Psicologia Evolucionista junto com José Henrique Benedetti e Altay de Souza, ambos da pós em Psicologia Experimental da USP também.
O simpósio será no campus Vila Olímpia da Universidade Anhembi Morumbi, rua Casa do Ator 275, primeiro andar da unidade 6 na sala 611. Começa às 9h e vai até às 17h. A inscrição, que devem ser feita pelo e-mail bpteixeira@anhembi.br, é apenas 1Kg de alimento não perecível entregue na data do evento. Vagas são limitadas aproveitem.

Abaixo vocês encontram uma entrevista em 5 vídeos com a Dra. Maria Isabel Landim do Museu de Zoologia da USP explicando Darwin, comentando sobre a exposição de Darwin nas diferentes cidades em que foi, falando do ciclo de palestras paralelo à exposição, do livro que se originou de uma desses ciclos e da importância do evolucionismo para acabar com nosso antropocentrismo arrogante. Ela além de ter sido co-curadora da Exposição sobre Darwin, também está envolvida na organização da comemoração anual do Dia de Darwin em 12 de fevereiro. Espero que ela inspire muitas outras pessoas em divulgar e estudar Darwin e a Teoria da Evolução.

Por que todo ser humano deveria ser fã de Charles Darwin?

Darwin é considerado o “Sol” do século 19 não por acaso. Ele é um dos poucos pensadores de dois séculos que ainda continua tão provocador e desafiador para nossas mais seguras e arraigadas convicções. A lenta revolução deflagrada por ele só agora está transbordando de fato para as todas as outras áreas do saber. E muito das mudanças que são implicações dos desdobramentos do darwinismo ainda estão por ocorrer.

É muito fácil, atualmente, se produzir celebridades como que por geração espontânea. Como que cultivando gremlins, o regador da mídia encharca mais e mais pessoas para colher celebridades, que são passageiras e circunscritas geográfica e historicamente.

Entretanto a importância de Darwin transcende desde o regionalismo dos cientistas franceses da época, passando pela rechaça dos russos socialistas, chegando até à possível inveja americana de o HMS Beagle não ter passado por lá. Seu legado atinge igualmente todos os povos e culturas do mundo. Ele é relevante até para as formigas, os primeiros agricultores do mundo, que desde muito cedo já estão experimentando os poderes da seleção artificial ao cultivar fungos e pulgões.

Por isso, pelo Darwin ser o tema desse mês para a discussão interdisciplinar do blog Roda de Ciência, e pelo muito que ainda está por vir com o Darwinismo no século 21, elenco aqui dez motivos para sermos fãs de verdade de Darwin e não subestimarmos seu legado.

Por que todo ser humano deveria ser fã de Charles Darwin?

1-Porque Darwin foi o cara que teve as duas ideias mais importantes, revolucionárias e abrangentes da humanidade: Seleção Natural e Seleção Sexual.

2- Porque ele mostrou como o acaso e a necessidade podem interagir para gerar complexidade a partir da simplicidade, sem a necessidade de uma inteligência superior.

3- Porque ele mostrou que vale mais a pena procurar inteligência nos insetos do que no cosmos.

4- Porque ele teve coragem de dizer que as plantas fazem sexo e que as fêmeas têm senso estético em plena Inglaterra vitoriana, coisa que muitos relutam em aceitar ainda hoje.

5- Porque ele inaugurou todo um imenso programa de pesquisas integradoras entre diferentes disciplinas tanto da Biologia quanto fora dela.

6- Porque ele previu que com o Darwinismo, a Psicologia iria ter um novo fundamento “num futuro distante” e que a Filosofia iria precisar conhecer bem os primatas para falar sobre o ser humano

7- Porque com ele podemos até explicar porque a religião existe sem precisar postular a existência de nenhuma mágica.

8- Porque ele tirou de vez o ser humano de seu pedestalzinho imaginário no centro de tudo.

9- Porque ele foi contra a escravidão e a favor da origem única e da unidade dos grupos étnicos humanos.

10- Porque Darwin foi um exemplo de humildade em pessoa e que trouxe a verdadeira humildade para o ser humano.

É mais do que suficiente para continuarmos cada vez mais confiantes na importância do Darwinismo e para cultivarmos sempre nossa curiosidade e nosso pensamento crítico como ele fez.

Abaixo está o documentário especial completo que a globo news fez sobre Darwin no mês do bicentenário Darwin Day. São 4 programas legendados de 3 vídeos com aproximadamente 10 minutos cada. O primeiro programa é sobre  A História Pessoal de Charles Darwin. O segundo é sobre Os Impactos da Teoria de Charles Darwin. O terceiro é sobre a antiquada “teoria” do criacionismo. E o quarto e último programa fala sobre Os Limites do Homem Pós-Darwin. É um ótimo documentário como um todo e conta com participação de figuras de peso, como Daniel Dennett, biógrafos de Darwin, pesquisadores entre muitos outros.

A História Pessoal de Charles Darwin

Os Impactos da Teoria de Charles Darwin

A Antiquada “teoria” do criacionismo

Os Limites do Homem Pós-Darwin

Pense Grande Nesse Grande Dia de Darwin

Finalmente sobrevivemos até o tão esperado Bicentenário Darwin Day! Conseguimos trazer nossos genes para esse momento tão impar da história do conhecimento. Hoje, dia 12 de fevereiro, celebramos globalmente a Ciência e a Razão. Celebramos mundialmente a vida, as descobertas, a obra e o legado de Charles Darwin. No mundo todo, estão previstos mais de 300 eventos em 31 paises para o Darwin Day de 2009.
No dia 12 de fevereiro, exatamente dez anos antes de Darwin nascer morria Lazzaro Spallanzani, padre e biólogo italiano que fez experimentos mostrando a impossibilidade da geração espontânea. Ele mostrou que os microorganismos movem-se pelo ar e podem ser eliminados por fervura, antes de Pasteur. Assim como Paster pôde ver mais longe por estar no ombros de gigantes do passado, Darwin também se apoiou nos ombros de gigantes como Buffon, Lyell, Henslow, Paley e Lamarck. E Lamarck esse ano comemora 200 anos de seu livro Philosophie Zoologique, mas só é lembrado como o cara todo errado. Veja sua verdadeira idéia errada e a diferença entre seu mecanismo proposto e o de Darwin.

Hoje temos por certo que não somos o centro de nada, nem do universo nem da vida. Não somos em nada divinos, nem dependemos de nenhuma força sobrenatural para sermos como somos. Somos parentes de todos os seres vivos inclusive daqueles que não acreditam nisso. Somos o produto de um processo que não é nem intencional nem aleatório, é o meio termo entre ambos, como um sem-querer-querendo que gera criaturas sem criador. Somos projetados, mas não fomos projetados por algo mais inteligente e superior e sim por um processo cego e mecânico de seleção natural. Hoje somos totalmente livres do pensamento místico para explicar nossas origens ou qualquer outro fato da natureza.
 title=E por isso o dia de 12 de fevereiro depois de uma votação em São Paulo foi considerado o Dia do Orgulho Ateu. E hoje estamos na primeira edição do Dia do Orgulho Ateu. Assim como Darwin conseguiu conviver e até ser casado com pessoa religiosa nós também conseguimos. E assim como ele abandonou sua fé após a morte de sua filha Annie em 1851 nós também podemos abandoná-la sem prejuízos para nossa vida moral, existência em vida nem para nossa inexistência em morte.

No Brasil ao contrário do resto do mundo dedicamos um ano inteiro a Darwin. E o Brasil, o maior pais católico do mundo, é o único que idealizou para 2009 o Ano da Biologia posteriormente transformado em Ano de Darwin, o único pais que, além de celebrar a Ciência e o Humanismo, também celebra o Ateismo hoje. Entretanto, até agora apenas 13 eventos comemorativos estão cadastrados no site do Ano de Darwin para 2009 no Brasil. Por que isso? Onde estão os tantos centro acadêmicos de Biologia do Brasil? Onde estão os professores de Ciências e Biologia? Onde está o Conselho Regional de Biologia e as sociedades científicas? Precisamos nos unir e promover muitos eventos e celebrações de uma data tão importante e mostrar que se uma teoria foi capaz de unir temas tão diversos é capaz de unir as pessoas que se interessam por eles.

Pelo menos a mídia parece mais antenada. São programas especiais sobre nosso aniversariante na Globo News, na National Geographic, entre outros. São capas inteiras dedicadas a Darwin como na Veja, na Scientific American Brasil, Netional Geographic, além de matérias como na Revista Época entre outras. Infelizmente a mídia, em sua ânsia por sensacionalismo, quase sempre apresenta a notícia do bicentenário em forma de controvérsia, debate, conflito e disputa entre cientistas e religiosos, quando não julgam os “erros” de Darwin em sua época segundo os parâmetros atuais, anacronicamente.

Temos que perceber que essa polêmica entre religião e ciência é assunto pra século XIX e XX. A verdadeira provocação de Darwin que vale apena ser levantada no século XXI é a de que invertebrados tem sentimentos, preferências, senso estético, em suma: eles pensam! Então a questão perigosa e desafiadora não é sobre a não existência de vida subjetiva após a morte e sim a existência de vida subjetiva nos invertebrados vivos!!! Então se você ficou grilado com essa notícia o grilos não ficariam. Pense nisso.

Ainda sobre o dia 12 de fevereiro, Darwin e Lincoln, além de terem nascido no mesmo dia, tinha na luta contra a escravidão uma marca própria. Darwin de família liberal anti escravocrata quase teve que voltar nadando pra Inglaterra depois de uma briga com FritzRoy sobre o modo como eram tratados os escravos no Brasil. E Lincoln graças a emancipação dos escravos americanos foi citado no famoso discurso de Martin Luther king. Mas ainda hoje existem muitos escravos no Brasil e no mundo. O que faremos?

Primeiro os escravos depois as mulheres. No dia 12 de fevereiro de 1870 as mulheres em Utah recebem o direito de voto, sendo este um dos primeiros estados ou territórios a conceder este direito às mulheres. Mas ainda hoje muitas mulheres são discriminadas e ganham menos pelo mesmo trabalho durante o mesmo período do que homens. O que faremos?

Então 200 anos parecem muito, mas o legado de Darwin está só começando. Temos muito a fazer seja para promover a Ciência promovendo e convocando celebrações, seja para expandir o senso comum, bem como a mídia ainda muito presa no desmame do pensamento místico, e sejam para concretizar de fato as conquistas de iqualdade de direitos e respeito dos direitos humens, ao mesmo tempo pensando em expandir esse direitos universais primeiro aos grandes primatas, nosso parentes mais próximos.

Aproveite que o ano de 2009 terá um segundo a mais devido a ajustes entre o relógio atómico e a rotação da Terra e aproveite esse Dia de Darwin até o último segundo e use seu segundo extra para deixá-lo maior. Nesse grande final de Dia de Darwin faça como ele: não tenha medo de pensar grande e, claro, cedo ou tarde divulge seus pensamentos!!!

Obs: Até o dia 24 de novembro tem tempo suficiente para promover muitos eventos sesquicentenários!!

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM