Physics News Update n° 786

PHYSICS NEWS UPDATE
O Boletim de Notícias da Física do Instituto Americano de Física, número 786, de 25 de julho de 2006 por Phillip F. Schewe, Ben Stein, e Davide Castelvecchi Physics News Update
TRANSISTOR QUÍMICO. Um novo dispositivo, o equivalente químico de um transistor, pode tornar possível a detecção ultrasensível biomédica de antígenos isolados. As coisas que costumamos associar com transistores, a abertura ou fechamento de um interruptor ou a amplificação de um sinal, são, normalmente, realizados por meio da injeção de um pequeno sinal elétrico em um eletrodo de porta, o qual, então, modifica o ambiente de uma região de canalização próxima. Isto permite que uma corrente seja interrompida ou amplificada. Em uma experiência realizada por físicos da Universidade da Califórnia em Irvine, as mesmas coisas são realizadas através de reações químicas. Philip Collins e seus colegas usam nanotubos de carbono como a substância funcional central de seu dispositivo. Os nanotubos, imersos em um líquido, pode ser mudado de um estado condutivo para um estado isolador por meio de sua oxidação – os seja, pela remoção química dos elétrons livres. As reações químicas são disparadas pela aplicação de um potencial elétrico, ao longoda área de integração (ver figura em www.aip.org/png/2006/262.htm ). O que os pesquisadores de Irvine mostram é que este processo pode ser realizado de modo reversível e em curtos períodos de tempo, tão rápidos como 10 microssegundos. Isto é bastante lento, em comparação dos padrões atuais dos transistores; a promessa mais importante para os projetados transistores químicos de efeito de campo (chemical field effect transistors = ChemFETs) reside nas amplificações potencialmente grandes. Parece que a mera oxidação de uns poucos elétrons pode ser utilizada para comutar correntes da magnitude de microamperes. Em um futuro biodetector, esse chavamento seria ativado, não por um sinal eletroquímico aplicado, mas pelos traços da presença de antígenos que se ligassem a anticorpos anexados aos nanotubos. Em detectores anteriores, a ativação química necessitava de dezenas de antígenos; aqui um único antígeno pode ser suficiente para modificar o estado do nanotubo. (Mannik et al., Physical Review Letters, 7 de julho de 2006; website do laboratório: www.physics.uci.edu/~collinsp/)
AUMENTO DA PROBABILIDADE DE UM CHOQUE COM UM ASTERÓIDE. Tudo o que você queria ficar sabendo! Que a probabilidade de um choque entre a Terra e um asteróide é aumentada pela mútua atração gravitacional entre os dois corpos. A fómula para esse aumento é demonstrada em um novo artigo do físico James Van Allen, da Universidade de Iowa, o mesmo homem que, meio século atrás, predisse a existência (mais tarde confirmada) de cinturões de radiação de partículas de plasma. O aumento da seção transversal da probabilidade de colisão, que Van Allen admite ignorar as forças adicionais exercidas pelo Sol e outros planetas do Sistema Solar, é igual a 1 mais o quadrado da razão entre a velocidade de escape para o planetas (Van Allen calculou o caso para a Terra, Marte, Júpiter e Saturno) e a velocidade de aproximação do asteróide (começando de bem longe).(American Journal of Physics, agosto de 2006)
TEMPESTADES NA ÁSIA BALANÇAM A TERRA. O eixo da Terra passa por vários deslocamentos cíclicos, tais como a Precessão dos Equinócios que dura cerca de 26.000 anos. Recentemente os dois deslocamentos mais importantes inadvertidamente se cancelaram mutuamente, permitindo aos geofísicos medir outros deslocamentos mais sutís que, normalmente, seriam difíceis de detectar. As duas oscilações maiores são a Oscilação de Chandler (cuja origem não é bem conhecida) e a oscilação causada pelas variações climáticas anuais. Seus efeitos combinados, normalmente, fazem o eixo de rotação se deslocar cerca de 10 metros. Mas de dezembro de 2005 a fevereiro de 2006, seu mútuo anulamento reduziu a excursão do eixo para menos de 1 metro. Isto permitiu que cientistas belgas estudassem forças menores e menos fortes, cujas atuações puderam ser brevemente medidas. Os cientistas viram sinais do que eles acreditam ser uma influência na oscilação da Terra, dia a dia, ocasionada por tempestades sobre a Ásia e a Europa do Norte. (Geophysical Research Letters, julho de 2006)
***********
PHYSICS NEWS UPDATE é um resumo de notícias sobre física que aparecem em convenções de física, publicações de física e outras fontes de notícias. É fornecida de graça, como um meio de disseminar informações acerca da física e dos físicos. Por isso, sinta-se à vontade para publicá-la, se quiser, onde outros possam ler, desde que conceda o crédito ao AIP (American Institute of Physics = Instituto Americano de Física). O boletim Physics News Update é publicado, mais ou menos, uma vez por semana.
**************
Como divulgado no numero anterior, este boletim é traduzido por um curioso, com um domínio apenas razoável de inglês e menos ainda de física. Correções são bem-vindas.

Discussão - 0 comentários

Participe e envie seu comentário abaixo.

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Skip to content

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM