Agora os pássaros “veem” o campo geomagnético

Pássaros “Veem” o Campo Magnético da Terra

Novos indícios experimentais sugerem que os pássaros “veem” o campo magnético da Terra quando migram

16 de novembro de 2009

Por Jason Socrates Bardi
Inside Science News Service

European Robin

Imagem em tamanho real
Piscos de peito ruivo com lesões que prejudiquem uma parte do cérebro especializada no processamento de luz, são incapazes de se orientar usando o campo magnético da Terra.
field.

Crédito: Stefan Willoughby

Informações sobre os direitos da imagem

WASHINGTON
(ISNS) — Quando os pássaros migram ao longo de grandes distâncias – por vezes milhares de quilômetros – eles habitualmente acabam chegando exatamente ao mesmo ponto todos os anos. Essas proezas de precisão na navegação, realizadas por milhões de pássaros a cada ano, por muito tempo deixaram os cientistas intrigados sobre como eles fazem isto. Agora, um grupo de cientistas da Alemanha obteve indícios experimentais que revelam uma parte importante do segredo do sucesso da navegação dos pássaros.

Os pássaros navegam, em parte, se orientando pelo Sol e seguindo pontos notáveis em terra. Porém essas duas estratégi, por si sós, não bastam. Os pássaros tem que ser capazes de navegar em dias nebulosos e descobrir o caminho através de grandes massas oceânicas, onde não há pontos notáveis reconhecíveis. Os cientistas suspeitaram anos a fio que os pássaros deviam ter uma capacidade nata de sentir o campo magnético da Terra e ajustar seus percursos de acordo com ele, mas ainda não sabiam como.

Alguns dos cientistas apresentaram a hipótese de que o mecanismo tinha como base o bico dos pássaros, onde minerais ferrosos atuariam como sensores magnéticos que detectariam a atitude do pássaro e alimentariam o cérebro com essa informação através de um nervo especial. Outros cientistas discordavam disso, propondo que os sensores magnéticos ficariam na verdade nos olhos dos pássaros, onde receptores de luz sensíveis a campos magnéticos enviariam os dados ao cérebro através do nervo óptico.

Henrik Mouritsen e seus colegas na Universidade de Oldenburg na Alemanha acabam de descobrir um forte argumento em favor dos olhos. Eles relataram na Nature que piscos de peito ruivo com lesões que inutilizavam uma parte do cérebro especializada no processamento da luz, ficavam incapacitados de se orientar usando o campo magnético da Terra. Pássaros com lesões que inutilizam o nervo que conecta o bico ao cérebro não tem o mesmo problema.

Isso sugere enfaticamente que os pássaros podem “ver” o campo magnético da Terra e se orientar por ele.


Comentário do tradutor:

Não é bem assim… Existem indícios de que os nervos olfativos também participam desse “sexto sentido” geomagnético das aves migratórias.

Como eu já comentei alhures: não é algo tão simples assim…

Discussão - 5 comentários

  1. Mas não deixa de ser uma notícia interessante. Em todo caso, a ideia de que certas areas cerebrais (por exemplo, o V1) processam apenas sinais visuais está caindo por terra. Se vc dá como input sinais auditivios, o V1 se adapta para processar sinais auditivos (sem que isso equivalha a dizer que as pessoas vêem os sons, como na sinestesia).
    Por outro lado, como os campos magneticos (quasiestaticos) formam uma especie de “mapa” por sobre o terreno, talvez um processamento do tipo visual fosse mais similar do que um processamento do tipo tato ou olfatorio.
    Por falar nisso, certa vez comentei sobre as analogia entre Razão e Visão (pelas metáforas usadas: ponto de vista, linha de argumentação, idéias claras e distintas, circulo hermeneutico etc), e a Intuição e Olfato (onde as metáforas são: “algo aqui não está cheirando bem”, “ele tem um bom faro para essas coisas” etc). Ou seja, a Intuição compartilha com o Olfato o fato de ser, muitas vezes, subliminar, não específica, dificil de “enxergar claramente”, dificil de ser “descrita” racionalmente – de novo, novas metáforas visuais para a Razão.
    Acho que já sugeri o tema Ética na Ciência e na Academia como tema do mês de Dezembro para a Roda da Ciência. João, será que não valeria a pena tentar ressucitar a Roda, talvez abrindo para os blogueiros que participaram do concurso do SBB ou do Tubo de Ensaio?

  2. João Carlos disse:

    Eu também achei muito interessante (por isso mesmo, traduzi e postei). Nós – que conhecemos bem a onda “New Age” – nos lembramos de coisas que acabaram enfiadas no mesmo saco da Parapsicologia, tais como visão-dermo-óptica.
    O que eu suponho (baseado em mero “achismo”): a evolução ainda não conseguiu desenvolver um órgão específico para captar os campos geomagnéticos; assim, os órgãos sensoriais “normais” se auto-adaptam para suprir a deficiência.

  3. Na verdade, cristais de magnetita sao encontrados no cerebro. Tais cristais sao usados tambem por bacterias magnetéticas, para se orientar. Está faltando teorias e mais evidencias, porém…
    Putz, tinha esquecido da visao dermo-otica…
    O site Physics ArXiv blog produz otimos textos de dariam boa divulgacao caso estivessem em portugues. Vc conhece?
    http://www.technologyreview.com/blog/arxiv/24425/

  4. João Carlos disse:

    Cá entre nós: eu acho que está faltando coragem para pesquisar sobre um assunto que já foi rotulado de superstição…
    Obrigado pelo link! Eu tinha perdido esse link quando meu computador deu crash e não atinava que estava faltando!

  5. acı çehre disse:

    João, será que não valeria a pena tentar ressucitar a Roda, talvez abrindo para os blogueiros que participaram do concurso do SBB ou do Tubo de Ensaio?

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Skip to content

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM