O LHC e a Crise Financeira

Eu acredito que descobri o motivo dessa crise financeira… Quem me deu a dica foi Peter Woit, em seu post “Survivor”. O caso é o seguinte: todos os anos se formam mais PhDs em física de altas energias do que os postos de trabalho em ensino e pesquisa. Muitos deles foram parar em Wall Street, praticando o que se apelidou de “econofísica”.
Salários astronômicos e prestígio ilimitado, mas uma enorme inveja de seus colegas que ficaram com toda a diversão de detonar feixes de partículas para descobrir o que tem dentro. Então, os econofísicos bolaram uma experiência daquelas de deixar qualquer LHC no chinelo.
Aceleraram até próximo a velocidade da luz diversos feixes de “subprimes’, usando os efeitos de uma partícula vetora bastante conhecida, mas pouco considerada: os “morons”, e fizeram esses “subprimes” colidirem com as barras de ouro em Fort Knox.
Como resultado (e bem que diversas pessoas alertaram para os perigos do LHC!…) produziram um Buraco Negro que sugou bilhões de dólares, espalhou raios-M em todas as direções e só não sugou o cérebro do W. Bush porque este é constituído apenas de partículas virtuais.
Dessa forma eles comprovaram, de uma vez por todas, que o alcance da Força Econômica Forte (mediada pelos US$-verdes) é maior do que se pensava, anteriormente, e literalmente muda a cor original dos Petrodólares (que mudou de negra para vermelho) e dos — até então julgados totalmente estáveis — Euros (que ficaram amarelinhos…)
Quando a massa de dados coletada pelos computadores do Laboratório de Wall Street puder, enfim, ser processada (por enquanto os computadores estão empenhados em acompanhar o decaimento das ações), será possível estabelecer, com um grau de incerteza menor do que a posição de um elétron em um orbital, a massa total dos “morons” (que se supõe ser, no mínimo, equivalente à da Energia Escura).
Para não dizer que o Brasil ficou para trás, mais uma vez, em um experimento científico de tal magnitude, o BACEN já tratou de acelerar as Taxas de Juros Internos, esperando que, ao imprimir um spin oposto ao de todos os Bancos Centrais do Mundo, ocorra uma quebra espontânea de simetria e o vetor da Força Econômica Fraca (o R$) ganhe velocidade de escape suficiente para se livrar do Buraco Negro de Wall Street (ou que, ao menos, seja capaz de mandar mais um Coronel da FAB em vias de se aposentar para criar feijõezinhos no espaço exterior).
Em paralelo, os físicos do CERN ainda se lamentam da queima de uma bobina — que, ao contrário do que se divulgou apressadamente, não foi construída pela Odebrecht — que adiou, sine die, a criação de um Buraco Negro Europeu que, se esperava, seria capaz de engolir o Hawaii (para alegria dos surfistas… e decepção de várias seitas fundamentalistas que esperavam que desse Buraco Negro surgisse Jesus Cristo, de braços dados com Higgs, trazendo uma nova versão do “Livro de Mormon”).

Discussão - 4 comentários

  1. Renan disse:

    Bwahahaha.. ri muito!

  2. Isis disse:

    Hahaha e com isso….
    Levaram meu rico dinheirinho nas ações que eu apostei.

  3. Neusa M. Conte disse:

    Puxa era exatamente nisso que eu pensei qdo explodiu a crise dos EUA. O buraco negro foi aberto e será difícil de fechar, não descobriram os segredos de Deus mas encontraram o CAMINHO DO INFERNO!!!!!!!!!
    Neusa

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Skip to content

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM