Doutor Strangelove: financiado pela ExxonMobil

O blog Rabiscos Econômicos revela “Como eu parei de me preocupar com o Aquecimento Global e aprendi a amar as indústrias, SUVs e todas aquelas coisas“. O post, que descobri através do De Gustibus, é um sumário baseado primariamente em um artigo do geólogo Tim Patterson no sítio TCS, e com pitadas do documentário The Great Global Warming Swindle (GoogleVideo aqui). Eles defendem:

O seres-humanos não estão causando o aquecimento global. A hipótese do “Efeito Estufa” é falsa. Já foi falseada várias vezes. O problema é que quando as coisas se tornam políticas, a ciência e o método científico não importam mais. As pessoas que apoiam os movimentos “ambientalistas” tem uma outra agenda. Elas não ligam para o “Meio-ambiente”, mas sim querem se opor à Economia de Mercado e aos Estados Unidos. Muitas dessas pessoas vem do fracasso que foi a URSS e, por isso, introduzem suas idéias marxistas em qualquer lugar que elas tem acesso. Tudo vira uma questão ideológica.

É irônico que este tipo de argumentação seja classificada como “cética”. São os céticos sobre o ambientalismo, mas se você realmente seguir o conselho deles e procurar se informar um pouco, descobrirá que este tipo de ceticismo não é tão diferente dos céticos sobre a ida do homem à Lua. Um ceticismo investigativo verdadeiro leva a conclusões bem diferentes — talvez não tão alarmistas quanto a de ambientalistas, incluindo Al Gore, mas certamente não tão radical e paranóica como a de conservadores desavisados.
Antes de mais nada: a comunidade científica aceita hoje como consenso que a atividade humana contribui de forma significativa para o aquecimento global. Isso não se resume ao IPCC da ONU, que segundo “céticos”, teria chegado a tal consenso por motivos políticos e não científicos. Uma revisão da literatura científica incluindo 928 trabalhos publicados entre 1993 e 2003 mostrou que 75% seguiam o consenso de que estamos esquentando nosso planeta, enquanto o restante lidava com métodos e questões que não envolviam tomar uma posição. “Notavelmente, nenhum trabalho discordava da opinião de consenso“.
E quanto aos argumentos de que as variações de temperatura seriam derivadas de fatores não-antropogênicos, como o ciclo solar, radiação cósmica; ou de que aumento nas emissões do famigerado dióxido de carbono em anos recentes não teriam causado impacto nas temperatura planetárias?

Estimativas da irradiação solar total (TSI) baseadas na contagem de manchas solares e abundância de isótopos e medições diretas por satélites (desde 1978) indicam que a atividade solar realmente não mudou desde 1950. Além disso, o esfriamento global de 1945 a 75 foi muito pequeno, em torno de 0.06 graus C. E sabemos a causa: foi por causa do aumento dos aerossóis de sulfato na atmosfera (que têm um efeito de esfriamento) devido à atividade industrial durante e após a Segunda Guerra. Isto contrabalançou o efeito de aquecimento de gases estufa, que não eram tão abundantes então quanto são hoje.
Mas nos anos 1970, emissões de aerossóis de sulfato foram limitadas (principalmente por lei, já que são responsáveis pela “chuva ácida”), enquanto gases estufa continuam a se acumular na atmosfera. É por isto que desde em torno de 1975 — a “era de aquecimento global moderna” — gases estufa se tornaram o fator dominante. Compare o aquecimento de quase 0.6 gras C desde 1975 com o esfriamento de 0.06 graus C durante o período de 1945-75.
A noção de que a temperatura global deve acompanhar a concentração de CO2 à risca durante a história se baseia na idéia ingênua de que o CO2 é o único fator influenciando o clima. Ironicamente, céticos freqüentemente acusam climatologistas disto, ao alegar que eles ignoram o efeito do Sol. Em verdade, a climatologia moderna considera todos fatores conhecidos, enquanto céticos tendem a se agarrar apenas em um (como o sol) e tentam fazê-lo explicar tudo.
[Tamino]

Aqui, um contra-argumento mencionado pelo Rabiscos pode parecer persuasivo: “você já parou pra pensar na nossa arrogância em pensar que o homem tem capacidade de mudar o clima de terra?
O esfriamento global (em verdade, o escurecimento global) provocado pela emissão de aerossóis mencionado acima prova o poder inesperado que de fato temos em influenciar o clima do planeta. Você pode dar uma olhada neste sumário de um documentário muito interessante sobre o escurecimento global. O documentário em si pode ser alarmista em excesso, mas o escurecimento global é um fato científico hoje aceito (embora não tão conhecido). Nossa reles atividade industrial foi capaz de diminuir a incidência de radiação solar sobre o solo em mais de 5%. Isto, em escala global.
Por fim, um detalhe irrelevante. O sítio TCS que abriga o artigo que compõe a base do post no Rabiscos foi patrocinado pela ExxonMobil. A maior parte dos fundos utilizados pela TCS em 2003 vieram da empresa petrolífera.

Discussão - 1 comentário

  1. Raposa Velha disse:

    É caso para dizer, siga o calor do dinheiro e encontrará o aquecimento global 🙂
    Dado o limitado espaço de comentário, convido-o a uma leitura mais alargada em The Great Global Warming Swindle.

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Skip to content

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM