Novas imagens de planetas extrasolares são “históricas”

sauron_formalhautb32hj

Quase despercebido na imagem que lembra o “Olho de Sauron”, onde a elipse é poeira cósmica, está um pálido ponto vermelho um pouco mais brilhante. É Formalhaut b, um planeta orbitando a estrela de Formalhaut, a 250 trilhões de quilômetros da Terra.

A imagem obtida através do telescópio espacial Hubble é um dos primeiros registros diretos confirmados de um planeta fora do sistema solar – um exoplaneta – orbitando uma estrela brilhante parecida com a nossa. E não é a única notícia astronômica sensacional da semana, ou melhor, do dia.

Isto porque os outros primeiros registros foram publicados também na mesma edição da revista Science de ontem, onde astrônomos apresentam outra descoberta que pode ser resumida em mais uma imagem fantástica:

hr8799planetsdfs

São mais três exoplanetas, aqui em órbita da estrela HR 8799. Isso mesmo, uma família de planetas em órbita, em outra imagem direta, óptica. Caso tivéssemos olhos suficientemente poderosos – com alguns metros de tamanho, quiçá – e aplicássemos mais alguns macetes, como nosso cérebro processar a informação visual com técnicas sofisticadas, bem, poderíamos ver tais planetas a olho nu. Um olho nu gigantesco.

“O último planeta gigante diretamente visual visto por comprimentos de ondas foi Netuno, em 1846”, conta o cientista Paul Kalas ao G1. “A  detecção ótica é como um prêmio porque ela é parte do espectro onde nós esperemos ver refletida luz de planetas maduros capazes de suportar vida", explica.

Planetas extrasolares vêm sendo detectados indiretamente há duas décadas (contam-se já mais de 300 detectados), e recentemente, imagens diretas já vinham sendo obtidas. Todas elas foram, contudo, de planetas orbitando estrelas de brilho tênue como anãs marrons. No fim de setembro, a primeira imagem óptica de um planeta obritando uma estrela brilhante como a nossa foi anunciada, mas o achado ainda precisa ser confirmado.

Estas novas imagens são as primeiras já confirmadas. “São história”, atesta o astrônomo Phil Plait, o Bad Astronomer, que já trabalhou com dados do Hubble em pesquisas desta natureza. Não posso deixar de traduzir suas palavras:

“Não há nada como uma imagem. Aí, com seus próprios olhos, você pode ver por si mesmo que outros planetas existem. Não são como a Terra, nem um pouco… são planetas gigantes, jovens e quentes que são provavelmente em sua maior parte gasosos e completamente inóspitos. Mas lá estão eles.

Em alguns anos, teremos mais imagens como essas. E ficaremos melhores nisto. Nossos telescópios ficarão maiores, nosso equipamento mais sensível, nossas ténicas aperfeiçoadas enquanto entendemos suas capacidades. E as imagens de outros planetas virão.

Quanto tempo antes de que vejamos o Santo Graal, a primeira imagem de um planeta terrestre, obritando uma estrela como o Sol na distância certa para água líquida banhar sua superfície? Pode levar mais uma década ou duas, mas anote minhas palavras: esse dia vai chegar. E quando chegar, bem, teremos que reescrever os livros de história de novo, não?”

Mais sobre a notícia histórica em português:

– G1: Cientistas ‘fotografam’ exoplanetas orbitando uma estrela pela primeira vez;
– Estadão: Descobertos mais quatro planetas fora do Sistema Solar;
– NASA (em inglês): Hubble Directly Observes a Planet Orbiting Another Star;
– Google News: Formalhaut.

Discussão - 9 comentários

  1. Dimitri disse:

    “esse dia vai chegar. E quando chegar, bem, teremos que reescrever os livros de história de novo, não?”
    Não são bem os livros de história que afirmam que: 1) Não há vida (ou planetas) fora da Terra (ou do sistema Solar) 2) Somos os únicos seres inteligentes do universo e a vida só existe aqui.

  2. Paula disse:

    Não é demais???
    Me sinto meio Jodie Foster em Contato, mesmo não tendo participado das pesquisas…

  3. Ricardo Racaneli Vieira disse:

    Gosto e sempre me interessei por Astronomia,e gostaria que me mandassem fotos reais desses Planetas fora do sistema solar,admirados por alguns, e que são obras da criação do DEUS eterno,poderoso.

  4. marcos disse:

    Olha so é presiço ter paciencia.Ja tivemos uma grande vitoria quando quebramos as correntes religiosas que segavam a humanidade!A descoberta do universo é a vitoria da ciencia contra a ignorancia religiosa que atrasou em seculos a evolução da humanidade!A religião separa os homens e gera a ignorancia!A verdadeira salvação da humanidade é a busca pela verdade!So asim sera posivel no futuro os homens colonizarem o universo!!!

  5. Jose Bezerra Neto disse:

    Pela primeira vez que vejo fotos como essas; muito com eu ficaram só no que ouviram,mas,é preciso aprender estudando e ouvindo a verdade comprovada. Quero dizer que tudo o que for mostrado pelo homem. é permissão do CRIADOR ‘DEUS’ sem isso tudo é mera especulação, a inteligeência é dada por ELE e sómente NELE, podemos esperar maravilhas da descoberta com a sua permissão. um abraço e esperamos que DEUS deixe que o homem vá mais longe e aprenda que ELE é o SENHOR de TUDO o que EXISTE no UNIVERSSO.

  6. diego marques lague disse:

    quantas formas de vida , quantas possibilidades pena
    que ainda não temos tecnologia suficiente pra explorar
    mais nossos vizinhos, e a respeito de DEUS , ele já criou
    as leis, agora quem tem que colocar na pratica somos nos,
    somos ácaros viajando em cima de um pó nos golfins do universo.

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Skip to content

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM