O Segredo de Gregor Samsa

metamorfose32

Quer algo pior do que uma barata gigante? É você tornar-se uma barata gigante. É uma das obras mais famosas de Franz Kafka, A Metamorfose, onde o autor, digno de um Processo, em verdade nunca diz exatamente no que o protagonista, Gregor Samsa, se transformou. Todos presumimos – ou nos é ensinado! – que Samsa transformou-se em uma barata, mas o termo original em alemão, Ungeziefer, não é nem mesmo rigorosamente traduzível como “inseto”!

Tudo isso já tornaria a apreciação dos muitos significados de “A Metamorfose” mais saborosa – Samsa, além de todos seus problemas é injuriado como uma barata – mas Aberron de Fogonazos há alguns dias blogou sobre algo ainda mais curioso, e que efetua o nexo entre a literatura e a entomologia.

Resulta que ninguém menos que o autor russo Vladimir Nabokov, mais conhecido por escrever sobre outros temas, também era um entomologista! E um estudioso de insetos particularmente dedicado, capaz de, orgulhoso, distinguir espécies através da comparação sob microscópio da genitália dos bichos. O Museu de História Natural de Harvard ainda possui o “gabinete de genitália” de Nabokov. Estendendo-se por fim sobre o russo, o paleontólogo Stephen Jay Gould analisou a relação entre a literatura e a entomologia de Nabokov.

Retornando a Kafka a ao nexo, finalmente: Nabokov lecionou sobre A Metamorfose de Kafka, e não apenas como autor, mas também como entomologista, tentou definir em que tipo de inseto Gregor Samsa se transformou depois de seu “sono agitado”. Da transcrição de sua palestra:

“Muitos falam em barata, o que claro não faz sentido. Uma barata é um inseto achatado com grandes pernas, e Gregor não é nada achatado: é convexo em ambos os lados, barriga e costas, e suas pernas são pequenas. Ele se parece com uma barata em apenas um aspecto: sua cor é marrom. Só isso”.

O que Samsa seria então?

Ele é apenas um grande besouro. (Devo adicionar que nem Gregor nem Kafka viram esse besouro muito claramente)”.

Uma barata, por sua repulsividade, talvez ainda soe mais impactante e absurda no contexto da Metamorfose, mas considere melhor o besouro:

“[Samsa] tem uma enorme barriga convexa dividida em segmentos e costas duras e redondas sugerindo um abrigo para asas. Em besouros esses abrigos escondem pequenas e frágeis asas que podem ser expandidas e então podem levá-lo por quilômetros e quilômetros em um vôo errático. Curiosamente, Gregor o besouro nunca descobriu que possuía asas sob a carapaça dura de suas costas”.

Nabokov completa:

“Esta é uma observação muito boa de minha parte para ser apreciada por todas suas vidas. Alguns Gregors, alguns Joãos e Marias não sabem que possuem asas”.

E é assim que, certa manhã, ao despertar de um sonho inquieto Gregor Samsa havia se transformado em uma criatura capaz de voar, sem no entanto nunca tê-lo percebido. A beleza e o significado disto, intencional ou não, só poderia vir de um entomologista. [via Fogonazos]

Discussão - 9 comentários

  1. Sibele disse:

    A beleza e o significado disto, intencional ou não, só poderia vir de um entomologista“.
    Isso é Ciência Pós-Moderna!
    Não virá longe o dia em que a física das partículas nos fale do jogo entre as partículas, ou a biologia nos fale do teatro molecular ou a astrofísica do texto celestial, ou ainda a química da biografia das reacções químicas” (p.16).
    Sendo certo que cada método só esclarece o que lhe convém e quando esclarece fá-lo sem surpresas de maior, a inovação científica consiste em inventar contextos
    persuasivos que conduzam à aplicação dos métodos fora do seu habitat natural
    ” (p.16).
    A criação científica no paradigma emergente assume-se como próxima da criação literária ou artística, porque a semelhança destas pretende que a dimensão activa da transformação do real (o escultor a trabalhar a pedra) seja subordinada à contemplação do resultado (a obra de arte)” (p.20).
    In: SANTOS, Boaventura de Sousa. Um Discurso sobre as Ciências. Porto: s.n., 1985.
    Disponível em:

  2. Joey Salgado disse:

    Putz! Sinto-me “iluminado” com essa revelação, hehe!
    Quanto disso havia sido pensado por Kafka, pergunto-me?

  3. Magnus Dall'Igna Deon disse:

    Eu não trabalho nem com entomologia, nem com literatura, mas acho sempre enriquecedor ler o seu blog. Parabéns!

  4. glenn disse:

    na edição que li de metamorfose (LP&M se não me engano… aquela com capa vermelha que vende nas bancas) a empregada, na única cena em que remete qual animal gregor seja, o chama de rola-bosta… o que nitidamente é um besouro, o que semre me faz estranhar, até hoje, todo mundo se referindo a ele como barata…
    kafka era um perturbado, por causa do pai, que fica super claro em a carta ao pai… mas isso é outro papo.
    bela divagação!

  5. Ana Arnt disse:

    Olá,
    Glenn, no comentário acima, falou exatamente o que eu iria dizer… Nesta edição da LP&M a empregada realmente refere-se ao rola bosta, tirando qualquer dúvida. De qualquer modo, como dito no post já existem outros indícios que vão sendo apontados no livro e nos leva a entender que não é uma barata.
    Mas adorei o post, bem legal a ideia dele não se dar conta que tem asas, que tem outras possibilidades de viver…
    parabéns!

  6. Felippe disse:

    Sempre pensei em Gregor como um besouro! Mas nunca cheguei a essa belíssima dedução sobre as asas! Pobre mortal!
    Mas acho que a comparação não foi poposital… O conceito em si da metamorfose é fugir do nexo e da linearidade. É pertubar. Trata-se de induzir o medo no leitor de que um dia pode-se acordar e perder o controle sobre absolutamente tudo. No fundo, é bem depressivo. Não interessa se besouro, percevejo ou barata.
    Parabéns pelo blog!

  7. mailson da silva disse:

    Certamente que Gregor era um besouro, mas o que chama a atenção mesmo é que, quantas familias igual a essa existem no mundo afora. E quantos gregores são usados para depois serem descartados como insetos..

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM