Paleoespecula√ß√Ķes

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=kIG0dpTu9-w]

Uma das realidades poss√≠veis se n√£o tivesse existido a extin√ß√£o…

Podcasts, modernices e erros


As ac√ß√Ķes de divulga√ß√£o cient√≠fica requerem linguagem acess√≠vel e simples.
Esta condição não pode invalidar o fundamental: o rigor científico.
Quando se simplifica a linguagem e se quer ser correcto muitas coisas podem falhar de forma que o balanço dos dois factores Рlinguagem acessível e rigor científico Рnem sempre é fácil.
Este ponderar a nem sempre é respeitado, como tenho verificado em especial no que diz respeito a conceitos da minha actividade profissional Рevolução de vertebrados em especial de dinossáurios.
O que quero comentar surgiu na sequ√™ncia da audi√ß√£o do 7¬ļ podcast da publica√ß√£o on-line Ci√™ncia Hoje intitulado “Das galinhas pr√©-hist√≥ricas a Robin dos Bosques com Leonardo da Vinci pelo meio”.
O podcast inicia-se com a descri√ß√£o de um estudo feito a partir da an√°lise de mol√©culas org√Ęnicas provenientes ossos fossilizados de dinoss√°urios.
Algumas frases menos felizes, em termos evolutivos, dos autores do podcast.

“…estudo que demonstrou que os parentes mais pr√≥ximos do Tyrannosaurus rex s√£o, nada mais nada menos que as galinhas.” “…galinha era o organismo mais pr√≥ximo do Tyranossauro rex”.

Estas afirma√ß√Ķes est√£o incorrectas em dois pontos: o que o estudo veio confirmar foi a rela√ß√£o de parentesco entre os dinoss√°urios (concretizado neste estudo do T. rex) e as aves.
Embora se possa utilizar a metáfora (claramente apelativa, reconheço) que a galinha e o T. rex estão directamente relacionados é absolutamente errado dizer o parente mais próximo do gigante pré-histórico é a galinha.
A linhagem evolutiva da ordem Galliformes e fam√≠lia Phasianidae √† qual pertence a galinha (Gallus gallus domesticus) n√£o √© o “caminho” evolutivo mais curto a partir dos Theropoda (dinoss√°urios carn√≠voros).
H√° toda uma linhagem com dezenas de grupos e animais em clados interm√©dios e esquecer isso demonstra ignor√Ęncia cient√≠fica sob o ponto de vista evolutivo. Pode parecer um preciosismo mas n√£o √©. √Č apenas rigor cient√≠fico que deve estar na base de qualquer produto de divulga√ß√£o cient√≠fica.
Era como descrever uma reacção bioquímica apenas referindo as moléculas iniciais e final esquecendo todos os passos intermédios Рquantas vezes o desejei nas aulas de Bioquímica; mas não era possível, todos os compostos intermédios eram fundamentais para a compreensão de determinada reacção ou ciclo.

“…os p√°ssaros descendem directamente dos dinossauros.”

Imaginei que se pretenderia utilizar a designa√ß√£o corrente da palavra p√°ssaro; por isso fui consultar rapidamente o dicion√°rio on-line da Porto Editora o qual referia: p√°ssaro = substantivo masculino; popular- ave pequena; popular – indiv√≠duo astuto; Ornitologia-ave pertencente √† ordem dos p√°ssaros.”
Obviamente que os autores do podcast pretendiam referir-se às aves (classe Aves) através da palavra pássaro; mas quer sob o ponto de vista popular (ave pequena) quer do ponto de vista ornitológico (ave pertencente à ordem Passeriformes) aquela utilização está errada e é enganadora.
Pássaros são aves pertencentes à ordem Passeriformes.
Dever-se-ia utilizar a palavra aves ou a Aves (para a classe Aves) senão como explicar que uma avestruz (que pelo tamanho mas sobretudo pela filogenia não é um pássaro ou pertencendo a Passeriformes) também descenda dos dinossauros?

“-…eu esperaria que esp√©cies como o drag√£o de Komodo ou crocodilos, por se tratarem de r√©pteis, fossem mais semelhante a um dinossauro que uma galinha. N√£o √© esse o caso? -Na realidade, Alex, √© prov√°vel que sim…”

De certeza que n√£o.
As análises filogenéticas revelam todas que os parentes mais próximos dos dinossáurios são as aves. O clado Crocodylia está aparentado com os dinossáurios dentro do clado Archosauria (Aves+ Crocodylia ) mas os descendentes directos dos dinossáurios são as aves.
Apesar de aparentados, se tivermos que hierarquizar parentescos entre aves e crocodilos e os dinossáurios, as primeiras estão mais próximas dos dinossauros que os segundos.
No caso do drag√£o de Komodo o erro ainda √© maior pois este animal descende evolutivamente dos r√©pteis mesoz√≥icos denominados mosass√°urios – n√£o s√£o dinoss√°urios. A fam√≠lia Varanidae √† qual pertence o drag√£o de Komodo (Varanus komodoensis) iniciou a sua diverg√™ncia filogen√©tica dos mosass√°urios h√° cerca de 100 milh√Ķes de anos tendo o g√©nero Varanus o primeiro registo f√≥ssil h√° cerca de 15 milh√Ķes de anos.

Por vezes o discurso directo, como o utilizado neste podcast, pode conduzir a reprodu√ß√£o menos correcta de conceitos cient√≠ficos, baseados, por exemplo, apenas no “aspecto” ou “apar√™ncia” revelando um desconhecimento da hist√≥ria evolutiva de um grupo de vertebrados que “apenas” possui actualmente mais de 9000 esp√©cies…

Apenas alguns exemplos de bibliografia que pode ser consultada:

Bell, G. L. Jr. and Polcyn, M. J. 2005. Dallasaurus turneri, a new primitive mosasauroid from the Middle Turonian of Texas and comments on the phylogeny of the Mosasauridae (Squamata). Netherlands Journal of Geoscience (Geologie en Mijnbouw) 84 (3):177-194.

Chiappe, L. 1995. The first 85 million years of avian evolution. Nature 378: 349-355.

Feduccia A. 1995. Explosive evolution in Tertiary birds and mammals. Science 267: 637-638.

Feduccia A. 2003. ‘Big bang’ for Tertiary birds? Trends in Ecology and Evolution 18: 172-176.

Lee, M.S.Y. 1997. The phylogeny of varanoid lizards and the affinities of snakes. Philos. Trans. R. Soc. London Ser. B 352, 53-91.

Livezey, B. C., and R. L. Zusi. 2007. Higher-order phylogeny of modern birds (Theropoda, Aves: Neornithes) based on comparative anatomy: II. – Analysis and discussion. Zoological Journal of the Linnean Society. 149: 1-94.

(figura adaptada de Feduccia 1995)

Os Ossos do meu Ofício

Bofetada que d√≥i mais…


Era quase meia-noite quando passei pelo cartaz no Marquês.
Pensei “Outra vez os imbecis dos racistas!”
Nos cent√©simos de segundo o meu c√©rebro percebeu que n√£o eram os imbecis mas os que me fazem rir…
Vim a rir para dentro e a pensar “Genial, meu caro, genial! Que melhor reac√ß√£o que esta com a intoler√Ęncia?”
Hoje vi imagem no P√ļblico.
Humor e intervenção social!
Que quero mais?

Foto: Sérgio B. Gomes/PUBLICO.PT

A propósito de Criacionismo


A sugest√£o daqui; o material daqui