CeticismoAberto.com atualizado 17.05.2007

REFERÊNCIAS ATUALIZADAS
Fotos de Fadas – Elsie Wright e Frances Griffith
Em um domingo de 1917, as primas Elsie Wright, de dezesseis anos, e Frances Griffiths, de dez, se atrasaram
FOTOS DE OVNIs
Paraipaba, Ceará, Brasil
Siderópolis, Santa Catarina, Brasil
Mauá, São Paulo, Brasil
Tomsk, Rússia
Natal, Rio Grande do Norte, Brasil
Zdany, Polônia
Salvador, Bahia, Brasil

Isto é… incrível! Terrível dor-de-cabeça

Antes de mais nada, o duplamente incrível: Shafique El-Fahkri, o sujeito que teve uma perna de cadeira atravessada pela cabeça, está se recuperando sem maiores complicações à parte uma voz rouca e a visão levemente prejudicada; e Liam Peart, o sujeito que fincou a perna na cabeça de El-Fahkri, foi condenado apenas a prestar 400 horas de serviço comunitário.
A briga aconteceu em um clube noturno na Austrália, e Peart teve a sorte de não acabar na cadeia porque apenas jogou a cadeira a três metros de distância de El-Fahkri. Que teve o azar de ter uma perna da cadeira atingindo seu olho direito, entrando pelo seu crânio e saindo pelo seu pescoço. Mas sem atingir nenhuma parte vital, não houve maiores seqüelas.
O caso, e principalmente a tumografia de dar calafrios, lembra o caso clássico de Phineas Gage, que no século XIX teve uma barra de metal atravessada em sua cabeça em uma explosão. Gage não teve tanta sorte quanto El-Fahkri, e a barra atingiu seu olho e cérebro, mas talvez com mais sorte, sobreviveu. Mas com muitas seqüelas, tornando-se “extravagante e anti-social, praguejador e mentiroso, com péssimas maneiras, e já não conseguia manter-se em um trabalho por muito tempo ou planejar o futuro. ‘Gage já não era Gage’, disseram seus amigos. Ele morreu em 1861, treze anos depois do acidente, sem dinheiro e epiléptico”.
Em casos assim é comum enfatizar a sorte, o azar, mas isso não tem nada a ver com intervenção divina, destino ou o que for — ou pelo menos, não há qualquer evidência disto. MIlhares de pessoas têm barras de metal atravessadas na cabeça, a enorme maioria morre, e é esperado por mero acaso (ou mera sorte, como acaso), que alguns casos raríssimos sobrevivam. O que seria realmente sobrenatural seria que não houvesse nenhum caso de sobrevivência, ou que todas as pessoas fossem salvas. Como está, é apenas mais um caso para que Silvio Santos diga… isto é… incrível! (E quase que totalmente inútil).

Cuidado com o que deseja


“Quantos elétrons de valência tem um átomo de hidrogênio?”
Dois Um
Depois…
“-Você pode ter o que desejar!”
“- Eu queria ter acertado aquela questão”.
“BOOOOM!”
[via Cosmic Variance]

Comprar óculos on-line: nada ruim, muito barato


Há tempos o BoingBoing indicou o blog GlassyEyes:

“Tudo começou com um post proclamando minha satisfação com meus óculos novos — óculos que comprei a um preço excelente, online. Causou uma sensação, e abriu caminho a um monte de informação que (se os emails e comentários que recebi são verdadeiros) poupou a centenas de pessoas dezenas de milhares de dólares”

Considerando o preço que paguei pelos meus óculos da última vez que comprei, e já de saco cheio desse óculos, ainda que não estivesse com nenhum problema, resolvi arriscar e comprar um óculos de “reserva”. O GlassyEyes lista logo no topo as lojas online e suas classificações, baseadas nas resenhas recebidas pelo proprietário. Da lista, acabei escolhendo um dos óculos mais baratos, que no final saiu por apenas 39 dólares, lente, armação, envio, tudo incluso, na Optical4Less. Nessa loja, na compra de dois óculos o envio para qualquer parte do mundo é gratuito, e combinei de arriscar junto com um colega — claro que ele pagou os óculos dele, e no final nós dois não pagamos nada pelo envio.
O óculos que comprei é o que você vê na imagem acima. Bastou inserir os dados de minha receita, escolher o formato das lentes e tudo mais — saber inglês é essencial, ou você pode acabar errando um item importante — e pouco mais de uma semana depois os óculos já estavam nas minhas mãos. Veio em uma caixa de papelão pequena, dentro da qual está o porta-óculos de plástico e seu óculos (dentro do porta-óculos, claro!) envolto em plástico-bolha e um paninho de limpeza.
Fiquei bem satisfeito, os óculos são extremamente leves, e para minha surpresa, têm uma qualidade melhor do que os que havia comprado em uma ótica tradicional de minha cidade, por mais de R$200,00. Principalmente as lentes, que são muito mais finas e leves, com exatamente o mesmo grau. O único problema foi que os óculos são um pouco menores do que imaginava, mas então, deveria ter prestado mais atenção nas medidas exatas listadas no sítio. Não poder experimentar é claramente o maior problema de comprar óculos online, mas se você já usar óculos há um bom tempo e tiver idéia do que quer, não será nada muito incômodo. Acabei me acostumando assim mesmo com o óculos, recebi elogios, e o que era apenas um teste-reserva para quem sabe depois comprar um óculos mais caro de titânio acabou se tornando o óculos que uso com mais freqüência. Ainda não levei o óculos a meu oftalmologista para conferir suas lentes, mas tudo parece normal, não tive qualquer mal-estar ao usá-lo. Na verdade como estes novos óculos são sem armação, praticamente não me sinto desconfortável usando eles.
Enfim, a partir de minha experiência pessoal, comprar óculos pela internet, de uma loja em Hong Kong, provou ser muito barato, e não tenho qualquer grande reclamação. Talvez se você tentar o mesmo as coisas não saiam tão bem, mas pessoalmente recomendo tentar.
PS.: Apesar do que possa parecer, não estou ganhando nada por este post — o Optical4Less tem um programa de afiliados, mas os links e tudo mais não me beneficiam em nada, deliberadamente. Estou só partilhando uma experiência positiva, e espero que você também fique feliz em economizar uma boa grana com seus próximos óculos. Claro que se economizar, espero que também se sinta eternamente em dívida comigo e passe a visitar o 100nexos diariamente. Se as coisas derem errado, bem, passe a enviar um comentário me xingando todo o dia (ou até mais, se quiser).

Documentários científicos legendados em português

Acima você confere o spot de seis minutos, “O Campo Profundo do Hubble:a imagem mais importante já tomada”. É apenas um dos vinte e nove documentários curtos que Carlos Portela legendou em português e podem ser acessados no sítio Mojiti. O sítio Mojiti, por sua vez, é interessante por si mesmo: permite que você adicione legendas, comentários, figuras, imagens e até outros vídeos em clipes já existentes no Youtube e outros serviços de hospedagem. O resultado final é como você confere acima. Bom programa!

Afogando o ganso

Mangá humano


Masha Tyelna, ucraniana de 17 anos e 1,80m deve ser o resultado de alguma experiência secreta envolvendo mangás japoneses. Um dos sinais do apocalipse.
[via Neatorama]

Flagpole Sitta

Este clipe amador, feito em um único take (dizem que foi o primeiro!), sem efeitos especiais e só por curtição consegue ser infinitamente melhor que o oficial.
[via Fabio Seixas, Tiago Doria]

Gizmo — Imperdível

“Gizmo” é uma compilação fabulosa de invenções do início do século XX demonstradas em seu magnífico fracasso por seus próprios inventores. Alguns filmes, principalmente as tentativas fracassadas de vôo, são muito famosos — um homem com asas caindo de cara no chão é a essência da comédia pastelão –, mas “Gizmo” é o documentário original de 1977 com nada menos que uma hora de vinte minutos. Howard Smith teve o cuidado de excluir qualquer filmagem que tenha resultado na morte do inventor, já que como contou a David Letterman, em exibições teste a audiência parava de rir por quinze minutos depois que alguém morria. Isso lembra que as exibições hoje cômicas e cândidas, permenecem sim demonstrações essencialmente belas de inventividade e coragem. Vale lembrar que naquela época a ciência e tecnologia ainda eram vistas como meios de transformação positiva do mundo, e o cidadão comum ainda achava ser capaz de desempenhar seu papel neste processo.
[via Proceedings of the Athanasius Kircher Society]

Ambição Perigosa: A Morte de Xuxa

Skip to content

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM