Comunicação de Ciência | Congresso SciCom Pt 2015

460290_532779290118946_971022329_o

(Nova data-limite para submissão de resumos: 27 de Março de 2015)

O Congresso de Comunica√ß√£o de Ci√™ncia SciCom Pt 2015, em Lagos, ambiciona ser um ponto de encontro de pessoas, mas tamb√©m de projectos e percursos profissionais que envolvam a Comunica√ß√£o de Ci√™ncia, √† semelhan√ßa das edi√ß√Ķes anteriores, 2013 no Pavilh√£o do Conhecimento, em Lisboa e em 2014, na Universidade do Porto.
O Centro Ci√™ncia Viva de Lagos quando aceitou o desafio de organizar a edi√ß√£o do SciCom Pt 2015, CARTAZ SCICOM 03 2015 (Large)numa parceria com os outros dois Centros Ci√™ncia Viva no Algarve, Faro e Tavira, sentiu que estava a cumprir a sua miss√£o principal – divulgar e promover a cultura cient√≠fica e tecnol√≥gica para todos. Este congresso permite que outros actores como os Centros Ci√™ncia Viva mostrem o seu trabalho e os projetos em que est√£o envolvidos no √Ęmbito da cultura cient√≠fica.
Os dois primeiros dias do Congresso, 28 e 29 de Maio de 2015, serão dedicados à apresentação e discussão de trabalhos e/ou projectos em Comunicação de Ciência e à apresentação de palestras por parte de oradores convidados.

O Congresso contar√° com 4 oradores convidados e 6 workshops. O √ļltimo dia, 30 de Maio, ser√° dedicado √† realiza√ß√£o de cursos e workshops em diversas √°reas, que permitam aos participantes no Congresso adquirirem e/ou desenvolverem compet√™ncias espec√≠ficas em diversas vertentes da Comunica√ß√£o de Ci√™ncia, que incluem a comunica√ß√£o oral, fontes de financiamento, ou a comunica√ß√£o e literacia visuais.

HANS PETER PETERSOs Oradores Convidados s√£o Hans Peter Peters (Research Center J√ľlich/Free University of Berlin) que apresentara a Comunica√ß√£o: Motivations, Opportunities and Repercussions: Scientists as Public Communicators in a Complex Media World, que √© o reflexo do seu trabalho de an√°lise do papel dos cientistas como comunicadores mas tamb√©m do relacionamento dos cientistas com os media e os jornalistas.

 

IANDo museu de Ci√™ncia irland√™s Science Gallery Dublin, vir√° Ian Brunswick que falar√° desta institui√ß√£o e sobretudo de uma das suas miss√Ķes – a rela√ß√£o da Ci√™ncia com a Arte e a Comunica√ß√£o Sparking Collisions Between Art and Science.

 

 

KAREN BULTITUDE1Karen Bultitude da University College London discutir√° uma das quest√Ķes mais negligenciadas em Comunica√ß√£o de Ci√™ncia: a avalia√ß√£o do impacto. Kate Bultitude ser√° igualmente formadora num dos workshops no dia 30. O Orador Convidado que encerrar√° o Congresso ser√° o Professor Carlos Fiohais da Universidade de Coimbra que apresentar√° uma Breve Hist√≥ria da Luz, tema que lhe √© caro tanto mais por ser Carlos Folhais 2015 o coordenador nacional do Ano Internacional da Luz.

Os Workshops contarão com especialistas em diversas áreas uma vez que a Comunicação de Ciência necessita de muitas e variadas valências.

 

VASCO TRIGO copyO jornalista Vasco Trigo ministrará o workshop Comunicação de Ciência com os Media: Do’s and Don’ts que permitirá aos participantes tomar contacto e ganhar experiência de uma entrevista televisiva.

 

 

 

Fernando Correifernando-correia-240x320-transp-softbordera, da Universidade de Aveiro, é um ilustrador científico que introduzirá algumas regras e técnicas de boa comunicação visual de Ciência no workshop Comunicação Científica Visual (Visualcia).

O Horizonte 2020: Preparação de propostas e processo de avaliação é o tema que será introduzido por Ricardo Miguéis, da Fundação para Ciência e Tecnologia, na sua formação, introduzindo boas práticas na preparação e submissão de candidaturas a este programa de financiamento.

Como praticar a Comunicação Oral de Ciência será o curso prático ministrado por Ana Sanchez e Joana Lobo Antunes, ambas do Instituto de Tecnologia Química e Biológica.

PAULO QUERIDO copyO também jornalista Paulo Querido ministrará a formação Comunicar na Sociedade em Rede sobre os desafios das redes sociais em Comunicação de Ciência. O painel formativo do Congresso SciCom Pt 2015 ficar completo com a já referida ação de Karen Bultitude em avaliação de Comunicação de Ciência.

 

 

Para al√©m das dimens√Ķes referidas, o SciCom Pt 2015 ser√° tamb√©m um espa√ßo de contacto in468023_532779736785568_1099825691_oformal entre profissionais e n√£o-profissionais que de alguma forma estejam interessados e envolvidos na divulga√ß√£o e envolvimento de todo o tipo de p√ļblicos na Ci√™ncia e Tecnologia. Existir√£o momentos informais de troca de experi√™ncias, demonstra√ß√£o de projectos, abordagens diversas para um cada vez maior envolvimento da Sociedade nos processos de tomada de conhecimento e de decis√£o que envolvam a Ci√™ncia.

SciCom_2013_4-920x300

967165_532781303452078_1387797640_oO Congresso tem uma inscri√ß√£o no valor de 40 euros para os dois primeiros dias a que acrescem 30 euros para os congressistas que desejem frequentar um dos seis workshops. A Comiss√£o Organizadora do Congresso conta receber cerca de 200 congressistas no Centro Cultural de Lagos, num evento apoiado pela Ag√™ncia Nacional para Promo√ß√£o da Cultura Cient√≠fica e Tecnol√≥gica/Ci√™ncia Viva e da C√Ęmara de Lagos. O Congresso conta ainda com o apoio da CP que ter√° pre√ßos promocionais para as viagens de comboio de e para Lagos a partir de todo o pa√≠s.

10398068_525151687590639_1163044237076079360_nA Comunica√ß√£o de Ci√™ncia est√° neste momento numa fase muito din√Ęmica em Portugal, com v√°rias institui√ß√Ķes, particularmente as de investiga√ß√£o e universit√°rias, a reconhecerem o papel fundamental de difundirem, partilharem e envolverem os cidad√£os n√£o s√≥ no conhecimento cient√≠fico e tecnol√≥gico mas tamb√©m nos processos conducentes a esse mesmo conhecimentos e mesmo nas tomadas de decis√£o no que √†s pol√≠ticas cient√≠ficas diz respeito.

A Comunicação de Ciência actualmente não é apenas a partilha do prazer que a Ciência pode gerar mas sobretudo é o envolver de todos numa forma de ver o mundo e a nós próprios. Há uma outra dimensão para o que a Comunicação de Ciência pode trazer para a Sociedade pois a extensão de conhecimentos apesar de importante já não chega. Os comunicadores de Ciência devem assumir-se cada vez mais como mediadores entre os produtores de conhecimento, os decisores políticos e os cidadãos.

SciCom PT 2013: algumas ideias sobre comunicação de ciência

Aqui ficam algumas notas do Congresso de Comunicação de Ciência em Portugal (SciCom PT 2013), que decorreu nos dias 27 e 28 de Maio no Pavilhão do Conhecimento, em Lisboa Рem modo telegráfico.

Roberto Keller-Perez

1) Conheci diversas pessoas com quem interagia h√° muito mas que nunca havia contactado pessoalmente. A frase que mais utilizei no SciCom foi ‚ÄúFinalmente conhecemo-nos em pessoa, fora do Facebook/Twitter/mail!‚ÄĚ.
968888_607191492632889_321483730_n

Parecendo que não, e parafraseando o José Vítor Malheiros, nada como o contacto pessoal para a comunicação ser melhor. E isto é importante em Comunicação de Ciência.

603058_532781540118721_78180035_n2) A Comunicação de Ciência deve servir para que os cientistas divulguem o seu trabalho. Mas também para que parem, pensem e meditem sobre o que andam a fazer profissionalmente. De outra forma: a divulgação de Ciência pode ser para o cientista um momento zen (ou de horror) perante o seu trabalho e as perguntas científicas que lhe estão na base. Baudouin Jurdant disse-o e concordo, embora ele não precise da minha opinião para nada.

3) A generalidade dos cientistas e comunicadores de Ciência não sabe comunicar visualmente.
Esta foi uma das ideias da sess√£o que moderei, Comunica√ß√£o Visual na Comunica√ß√£o de Ci√™ncia. Vendo a generalidade dos posters e apresenta√ß√Ķes do SciCom PT verifiquei que os comunicadores de Ci√™ncia necessitam investir mais na sua literacia visual. Esta necessidade pode ser respondida por colabora√ß√Ķes interdisciplinares, com ilustradores de Ci√™ncia e designers de comunica√ß√£o.

419994_532779290118946_971022329_nSe √© verdade que nos √ļltimos anos tem sido feito um esfor√ßo grande na forma√ß√£o dos comunicadores de Ci√™ncia, sobretudo fornecida por jornalistas, tamb√©m √© certo que a forma√ß√£o na componente visual tem sido minorada ou apenas negligenciada.

4) O p√ļblico, em particular as crian√ßas e os jovens, pode colaborar em projectos de divulga√ß√£o atrav√©s da formula√ß√£o de perguntas directas aos cientistas.

378133_532780246785517_2035098939_nColocar perguntas objectivas, como se de hip√≥teses a testar se tratassem. Pedro Russo* disse-o e complementou que, apesar de dif√≠cil, esta abordagem √© muito interessante ao n√≠vel da participa√ß√£o do p√ļblico na Ci√™ncia.

Esta perspectiva pode gerar alguma resist√™ncia pelas dificuldades formais na sua implementa√ß√£o pr√°tica. Reconhe√ßo que sim mas √© um dos pontos fundamentais no envolvimento do p√ļblico na Ci√™ncia: permitir que fa√ßam quest√Ķes cient√≠ficas, por mais banais que sejam.

3928_532326933497515_547621968_n5) Apesar de estar rodeado de comunicadores de ci√™ncias, tarimbados no contacto pessoal e capacidade de resumir e comunicar, verifiquei que uma frase e um objecto conseguem intimidar a generalidade. A frase √© ‚ÄúTens 45 segundos para mim?‚ÄĚ e o objecto um gravador. Compreendo que o tempo est√° caro, que a minha figura pode ser intimidante, especialmente quando o tento evitar, mas sempre esperei que o gravador os acalmasse. A verdade √© que muitos dos colegas comunicadores de Ci√™ncia se assustam com um gravador, pelo menos ao in√≠cio.

734_532781770118698_754736439_n

As breves respostas de alguns dos comunicadores de Ciência que estiveram no SciCom poderão ser ouvidos no programa Ciência Viva À Conversa especial Рabaixo.

Livro de resumos do SciCom PT (PDF).

Até ao SciCom PT 2014 no Porto!

Os depoimentos de alguns participantes ficaram registados em mais um programa Ciência Viva À Conversa.

*Pedro Russo apresenta neste texto “Porque √© que o P√ļblico se h√°-de Interessar (em Ci√™ncia)?“a sua comunica√ß√£o convidada e √© um excelente texto sobre a Comunica√ß√£o de Ci√™ncia – podem tamb√©m descarregar a sua apresenta√ß√£o.

Imagens: Estas e outras fotos de Roberto Keller-Perez do congresso poder√£o ser vistas aqui.

Congresso SciCom 2013

Apenas algumas linhas antes de rumar a Lisboa para participar no Congresso SciCom 2013.
A minha participa√ß√£o passou pelo (honroso) convite para fazer parte da Comiss√£o Cient√≠fica, ter avaliado bastantes abstracts, dois p√≥sters (“Das Igrejas √Äs Cal√ßadas: Geologia e Paleontologia Urbanas no Algarve” e “Um Gravador e Pessoas: divulgar a Ci√™ncia na r√°dio”).

No √ļltimo dia irei moderar as apresenta√ß√Ķes e debate “A comunica√ß√£o visual na comunica√ß√£o de ci√™ncia

O livro de resumos e programa poderão ser descarregados aqui.

At√© l√°…

scicom-blogue2Congresso de Comunicação de Ciência

SciCom PT 2013

:: Envolver o p√ļblico
:: Envolver os cientistas
:: Envolver os media

27 e 28 de Maio de 2013 | Pavilh√£o do Conhecimento, Lisboa

O Congresso de Comunicação de Ciência 2013 pretende ser um ponto de encontro e discussão para todos os que trabalham e se interessam pela comunicação e divulgação da Ciência.
A comunidade de profissionais que se dedicam √† investiga√ß√£o, promo√ß√£o, comunica√ß√£o e dissemina√ß√£o de ci√™ncia em Portugal tem-se desenvolvido consideravelmente nos √ļltimos anos, com o correspondente aumento na quantidade e qualidade do trabalho realizado nestas √°reas. Paralelamente a este crescimento, o interesse pelas quest√Ķes cient√≠ficas e tecnol√≥gicas e a procura de informa√ß√£o cient√≠fica aumentou de forma sens√≠vel nos diferentes sectores do p√ļblico.

Com esta evolu√ß√£o, tamb√©m amplificaram as oportunidades e a necessidade de actualiza√ß√£o, de debate e de interac√ß√£o na comunidade de profissionais de comunica√ß√£o de ci√™ncia. O Congresso de Comunica√ß√£o de Ci√™ncia ‚Äď SciCom PT 2013 pretende ser uma plataforma ao servi√ßo desses objectivos.”


A partir já de amanhã, e antecedendo os dois dias de congresso, começa a (A)Mostra | Filmes e Ciência.

417795_604983236193234_772566584_n

“Organizada pela Associa√ß√£o Viver a Ci√™ncia (VAC) no √Ęmbito do Congresso de Comunica√ß√£o de Ci√™ncia SciCom 2013, apresentar√° um panorama de trabalhos produzidos nesta √°rea em Portugal nos √ļltimos 10 anos, desde longas-metragens documentais a v√≠deos educativos e epis√≥dios de s√©ries televisivas.

Morfo Londres

34534.jpg
Integrado no Third International Palaeontological Congress (IPC3), vai realizar-se no próximo dia 30 de Junho, o Simpósio de Palaeontological Data Analysis, com os keynote speakers Philipp Mitteroecker e David Polly.
Este simpósio é organizado por Norman MacLeod.
Aqui a lista das comunica√ß√Ķes orais, a qual integra um trabalho meu.
Comunica√ß√Ķes Orais
Data Analysis Session (AM)
Martinez-Perez, Botella, Cascales-Minana
Large-scale palaeontologial data analysis of the conodonts fossil history
Aguirre, Donato, Richiano, Farinati
Molluscan palaeobiodiversity and palaeobiogeography: Pleistocene and Holocene interglacial assemblages from Bonaerensian and Patagonian littoral (sw AUantic)

Polly – Keynote Presentation

Quantitative approaches to geographic variation: environment, palaeophylogeography, and ecometrics
Janevski
A likelihood approach to detecting extinction selectivity
Gerber
Developmental morphological disparity: a brief overview
Cascales-Minana
Discontinuities and disparity of the Palaeozoic plant fossil record: a global multivariate analysis
Louys, Meloro, Elton, Ditchfield, Bishop
Quantitative approaches in palaeosynecology: correlating community structure with habitats
Corfe,Harjunmaa, Seiffert, Boyer, Saila, Jernvall
Quantitative developmental tinkering and soft-tissue 3D nano-CT scanning offer developmental insight into palaeontologicaI phylogenetics
Markov, Naimark
The Phanerozoic history of the latitudinal diversity gradient in the marine realm
Turrero, Arbizu, Garcia-Vazquez
The oldest palaeontologists: on using our ancestors as involuntary samplers for palaeontological studies
Ataabadi, Eronen, Liu, Karme, Fortelius
A method for visualization of similarity/disparity analysis
Morphometric Session (PM)
Atwood, Sumrall, Mckinney
Discriminating blastoid species using 3D morphometrics
Hernesniemi, Blomstedt, Kasimir, Fortelius
Multi-view stereo 3D reconstruction of the lower molars of recent and north-western European Pleistocen rhinoceroses for the purpose of mesowear analysis
Mitteroecker – Keynote Presentation
Measuring modularity and morphological integration: examples from hominoid cranial morphology
Rodrigues, Estadella, Mateu-Figueras, Thio-Henestrosa
Limbs in compositional morphospaces: previous and new approaches
Macleod
Discrimination between three pleistocene Astarte species (Bivalvia, Astartidae): morphometric and taxonomic implications
Echevarria
Morphological change through time in pterotrigonia (trigonioida – bivalvia) from Picun Leufu Formation (Lower Cretaceous, Neuquen Basin)
Ubukata
A hypersherical theoretical morphospace for molluscan shell forms
Aguirre, Perez, Farinati
Morphometric analyses of Mactra linne (Bivalvia) trom the marine Quaternary of Argentina (southwestern Atlantic)
Marquart, Norman
The bare bones of it: does morphometric analysis of osteological variation in the skulls of extant crooodilians give biologically congruent definitions of inter and intraspecific variation?
Meloro
What’s on the carnivores menu 2 million years ago? Multiple evidences from mandibular form
Whiteman, Carleton, Hunt
Wisdom teeth: a study of morphological variation of woodrat (Neotoma) molars using geometric morphometrics


Abstracts: A draft abstracts volume is now available as a pdf file