O feminismo de Nawal El Saadawi

Nawal El Saadawi foi uma mulher egípcia que, ao longo de sua vida, mostrou suas múltiplas facetas de atuação e resistência: ativista feminista, médica psiquiatra, escritora e ensaísta com diversos livros de não-ficção publicados ao redor do mundo. Neste verbete, Flávia Abud Luz nos conta sobre o trabalho desta pensadora que provocou muito incômodo com “palavras afiadas” que lançaram luz naquela que, para El Saadawi, era uma ferida importante da sociedade egípcia: violência (física, psicológica e sexual) infligida às mulheres por conta de uma moral rígida que se apropria da religião como forma de legitimação. 

Além deste tema, El Saadawi refletiu sobre o combate às diversas formas de opressão à mulher no Egito e no Terceiro Mundo; o ressurgimento de ideologias religiosas radicais e a política do véu; e sobre o questionamento de visões estereotipadas com relação à identidade das mulheres muçulmanas. Leia o verbete aqui e assista à entrevista que fizemos com Flávia Abud Luz aqui.

Flávia Abud Luz é doutoranda em Ciências Humanas e Sociais pela Universidade Federal do ABC (UFABC). Mestre em Ciências da Religião na Universidade Presbiteriana Mackenzie (UPM), possui especialização em Política e Relações Internacionais pela Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP) e Bacharel em Relações Internacionais pela Fundação Armando Álvares Penteado (2014). Atualmente desenvolve pesquisa acerca das relações entre gênero e religião. É filiada à Associação Brasileira de História das Religiões (ABHR). Participa dos seguintes grupos de estudo: RESISTÊNCIAS: Controle social, Memória e Interseccionalidades (UFABC); Ylê-Educare – Educação e Questões Étnico-Raciais (PPGE/Uninove) e Grupo de Estudos e Pesquisa em Migrações Internacionais – MIGREPI (UFABC).




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *