Iris Murdoch

O verbete desta semana nos apresenta a vida e a obra de Iris Murdoch, uma filósofa e escritora “conhecida por ter sido uma das filósofas-romancistas mais talentosas do século XX”, que nasceu em 1919, na Irlanda, e faleceu em 1999, na Inglaterra. Murdoch pertenceu a uma família de classe média alta, o que lhe possibilitou a formação em escolas que incentivaram sua aptidão para a atividade da escrita. Aos dezenove anos de idade ingressou no curso de filosofia no Somerville College, Oxford, onde pode estudar também grego, latim e literatura. Escreveu tanto obras filosóficas quanto literárias — as quais também são permeadas por elementos filosóficos —, especialmente romances, mas também ensaios e poesia. Foi influenciada por filósofos como Sartre, Platão, Wittgenstein e Heidegger. Em seus trabalhos filosóficos, as temáticas da perfeição e da soberania do bem ganham destaque. Já seus romances integram, segundo Mônica Stefani, ficção popular, questões morais e experimentação estilística.

 

Mônica Stefani é Professora Adjunta na Universidade Federal de Santa Maria na área de Literaturas de Língua Inglesa. Atua na pesquisa em Estudos de Tradução e em Literatura Australiana (Patrick White em tradução), Literatura Inglesa (Iris Murdoch), e Literaturas Africanas Anglófonas. No âmbito do projeto “Ampliando Horizontes: Literaturas de Quênia, Nigéria e África do Sul”, em parceria com a Universidade Federal do Paraná – UFPR, tem se dedicado à pesquisa da literatura sul-africana e à tradução do romance “Story of an African Farm”, da autora sul-africana Olive Schreiner. Além disso, tem trabalhado com os tópicos de ensino de literatura para EAD e letramento literário.

 

Ficou curiosa para saber mais a respeito das obras filosóficas e literárias de Iris Murdoch? Então leia o verbete aqui e acesse a entrevista com a autora aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Skip to content