Heleieth Saffioti

Nosso verbete da semana é sobre Heleieth Saffioti, uma importante socióloga brasileira, filha de mãe costureira e pai marceneiro, que terminou os estudos na tradicional Escola Caetano de Campos, em São Paulo, e ingressou posteriormente no curso de Ciências Sociais da Universidade de São Paulo (USP), o qual concluiu em 1960. Saffioti lecionou por 21 anos na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da hoje Universidade Estadual Paulista (UNESP) de Araraquara. Foi com sua tese de livre docência, intitulada “A mulher na sociedade de classes: mito e realidade” — onde buscou compreender a condição da mulher na sociedade capitalista — que Saffioti marcou as Ciências Sociais no Brasil no que diz respeito aos estudos acerca de gênero. Desde então, escreveu diversas obras. A temática do gênero e da questão das mulheres perpassou toda a sua carreira e escrita e as principais questões tratadas em seus textos são a do trabalho feminino e da violência contra as mulheres. Em seus escritos, ela buscou desenvolver uma teoria imbricacionista que enovele gênero, raça/etnia e classe, bem como busque compreender sua relação com o patriarcado.

Após se aposentar, Saffioti permaneceu lecionando na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Em 1995, foi indicada ao Nobel da Paz junto de outras mulheres brasileiras pelo projeto Mil Mulheres.

 

Daniele Motta possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2008); mestrado em Sociologia pela Universidade Estadual de Campinas (2012); doutorado em Ciências Sociais na Área de Estudos de Gênero e pós-doutorado em Sociologia pela Universidade Estadual de Campinas (2017); Atualmente é Professora de Sociologia e Filosofia na rede estadual de ensino de São Paulo.


Ficou curiosa para saber mais sobre Heleieth Saffioti? Então leia o verbete aqui e acesse a entrevista com a autora aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Skip to content