A Bíblia narrada por Cid Moreira


Cid mostra como foram feitos os milagres da Bíblia, no estilo Mister M. Muito bom, e o Euhein volta ao ar.

300 Latinos

Nunca a xenofobia foi tão engraçada. E o vídeo ainda foi criado por um grupo de comediantes latinos.

Keepon, o robô dançante

Confira todo o gingado e malemolência de Keepon. Quem tem mais de vinte anos deve lembrar das infames flores, latas e tantas mais coisas dançantes infames que se prolongam até hoje, mas Keepon é um robô de verdade com duas câmeras e um microfone (o nariz), capaz de responder a estímulos externos, como acompanhar rostos. Mais um videoclipe aqui.

Camila Pitanga

“Acho que Deus é uma ficção. O homem tem essa necessidade de se projetar numa coisa universal” – IstoÉ

Mais ateístas aqui.

Implosão controlada em 11 de setembro?

No vídeo acima você confere a implosão da “Landmark Tower”, com trinta andares e mais de cem metros de altura, realizada em março de 2006. Websites conspiracionistas pela internet comparam essa implosão controlada com a queda das torres do World Trade Center, e embora realmente haja alguma semelhança, há notáveis diferenças. Como você pode conferir nestes outros vídeos da implosão da Landmark Tower, aqui ou aqui, vê claramente como em uma implosão controlada o prédio colapsa de baixo para cima, e a própria estrutura se desfaz enquanto cai — porque explosões iniciais já fragilizaram todo o edifício.
Em contraste, na queda das torres gêmeas, o colapso teve início nos andares atingidos pelos aviões, e pode-se ver claramente como a estrutura tanto acima abaixo do ponto em colapso permanece praticamente inteira, até que atinja o chão e se perca nos escombros:

Como se pode ver no vídeo acima, o colapso das torres ocorreu não por causa do impacto dos aviões, mas pelo enfraquecimento da estrutura metálica devido ao incêndio provocado pelo combustível das aeronaves. Esta explicação, contrariada por incontáveis paranóicos que subitamente se tornaram especialistas em estruturas, foi demonstrada de forma exemploar há pouco com o colapso de um viaduto em San Francisco. Um caminhão-tanque se acidentou abaixo da estrutura, e o incêndio de longa duração acabou causando a queda de uma seção do viaduto pelo enfraquecimento da estrutura metálica. As lições desse acidente para conspiracionistas de 11/9 é satirizada (e abordada a fundo) no sítio 4/29truth.com (referência aos sites 9/11truth e afins).
A queda das torres gêmeas foram incidentes inéditos, e não é surpresa que pareçam tão diferentes ao que estamos “acostumados”. Que as torres tenham caído verticalmente, aliás, tem uma explicação muito simples: inércia. É um dos vinte fatos sobre a queda das torres gêmeas:

Não havia nenhuma possibilidade de que qualquer torre caísse para os lados, uma vez que um edifício de 500.000 toneladas possui muita inércia para cair de qualquer outro modo exceto virtualmente direto para baixo.

As torres eram quatro vezes mais altas que a “Landmark Tower” no vídeo que inicia este post.

Alanis Morissette – No Pressure Over Cappuccino

Jagged Little Pill” de Alanis Morissette é fenomenal, quase todas as faixas são boas, mas além desse álbum a cantora canadense produziu pouca coisa (se é que alguma coisa) inspirada — e já se vão mais de dez anos. Mas uma das coisas inpiradas que ela produziu foi “No Pressure Over Cappuccino”, que talvez seja a melhor de todas.

Como se livrar de um peido

O programa japonês “Trivia no Izumi” se lança à grande questão: qual a melhor maneira de se livrar do cheiro do próprio peido? O começo é avacalhado e meio sem graça depois de alguns segundos, mas ao final mostram a técnica correta com a explicação “científica”: se você simplesmente sair correndo, criará um bolsão de ar aerodinâmico em suas costas que só arrastará o mau cheiro. O jeito mais eficiente de fugir do cheiro é sair correndo de lado, usando a mão para ajudar a se desfazer dos gases tóxicos. Agora você já sabe o que fazer.
Esse é o mesmo programa que testou o que acontece se você lançar uma bola a 100km/h de um carro a 100km/h. [via haha.nu]

Traficante colombiano preso por reconhecimento de voz


Aos interessados por ciência e tecnologia, a prisão de Juan Carlos Ramirez Abadia, um novo “primo Pablo”, tem um detalhe pouco enfatizado pelas autoridades e agências de notícia brasileiras: sua identificação foi confirmada através de uma análise computadorizada de sua voz.
Como o Washington Post informa, embora ele estivesse sendo investigado há algum tempo, suas muitas cirurgias plásticas e múltiplas identidades falsas impediam maior segurança para efetuar a prisão propriamente dita. Depois de receber gravações de voz feitas no Brasil e compará-las com gravações de Abadia na Colômbia, o DEA americano finalmente pôde aplicar análises que confirmaram sua “assinatura vocal”. A confirmação americana teria ocorrido no final de julho, e dias depois as autoridades brasileiras finalmente efetuaram a prisão. O fato da análise e confirmação terem sido feitas pelos americanos é o presumido motivo pelo qual é varrido para debaixo do pano.
Boa parte das mega-operações recentes e de sucesso da PF brasileira também dependem de escutas telefônicas, tornadas ágeis e simples pelos novos sistemas informatizados das operadoras de telefonia (importados, claro). A prisão de Abadía, como se vê, também se inclui aí.
Há algum problema nisso? Pelo contrário, o uso de novas tecnologias, importadas ou não, deveria ser mais do que bem-vindo. Infelizmente o Brasil ainda permanece um dos países com economia e cultura mais fechados em seu próprio e limitado umbigo em todo o enorme planeta. Ainda que boa parte do sucesso ou fracasso dos governos recentes (ou nem tão recentes) tenha sido fortemente devido a influências externas; ainda que você ligue a TV aberta e veja como a lei de proteção à cultura quase sempre significa apenas que ao invés de assistir programas estrangeiros de qualidade, o povo assiste a cópias mal-feitas ou programas de auditório durante quase todo o dia; ainda teimam em acreditar que o Brasil não é só um país continental, é um país e um mundo completo em si mesmo. Isso não é patriotismo, é burrice.

Cosplay que presta


Clique na imagem para ver a versão completa. É difícil acreditar que é uma garota de verdade, mas você pode ver como o Cosplay é um mundo de altos de baixos.

Prédio de Arquimedes


Os arquitetos desse moderno banco na Califórnia podem ter desavisadamente incorporado o espírito de Arquimedes, em um caso de psicoarquitetura, porque no verão é resultado é este:

Repare na grama. [via Digg]

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM