Karoline von Gunderrode

Karoline von Günderrode foi uma escritora alemã que nasceu em 1780 e faleceu de maneira trágica em 1806, aos 26 anos de idade, após cometer suicídio. O suicídio contribuiu para que ela ficasse conhecida, em certa medida, como uma figura mítica, que carregava a imagem da trágica heroína ou da poeta suicida. Essa biografia trágica fez com que muitas vezes não fosse dada tanta atenção aos “traços significativos de sua escrita”, como nos mostra Fabiano Lemos. Por isso, além da imagem trágica, é preciso dar enfoque também à dimensão de seus escritos. É por isso que o verbete desta semana nos traz um cenário da produção dessa poetisa romântica alemã do século XVIII que escreveu poemas, dramas curtos, narrativas em prosa, excertos dramáticos e fragmentos filosóficos, e tratou de diferentes temas, como amor, suicídio e cosmologia.

Entre seus livros publicados estão: em vida, Gedichte und Phantasie [Poemas e fantasias], 1804, e Poetische Fragmente [Fragmentos poéicos], 1805, e, postumamente, Melete, em 1806 poucos meses após seu suicídio.

Fabiano Lemos é professor do Departamento de Filosofia e do Programa de Pós-graduação em Filosofia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. É autor de Soldados e centauros: Educação, filosofia e messianismo no jovem Nietzsche, O ofício da origem e O contracânone romântico: ensaios sobre uma (certa) filosofia do Romantismo alemão. É tradutor de, entre outros, textos de Nietzsche, Artaud e Friedrich Schlegel. Pesquisa as intercessões entre estética e política modernas e contemporâneas, com ênfase especial nos últimos anos no Romantismo, na teologia política moderna e nos debates contemporâneos sobre o cânone e suas estratégias de dominação e perpetuação.

Ficou curiosa para saber mais sobre o pensamento de Günderrode? Então leia o verbete aqui e acesse a entrevista com o autor aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Skip to content