Santa Teresa, Orgasmos e o 11° Mandamento

Parece que as opiniĂ”es veiculadas nesse blog andam valendo alguma coisa. Ganhei outro livro para “resenhar”, que Ă© o verbo que uso para substituir a expressĂŁo “ler e viajar na maionese” que, por fim, Ă© uma atividade que gosto muito de fazer. EntĂŁo, sem querer torrar a paciĂȘncia do leitor que, se chegou aqui pelo tĂ­tulo absurdo do post, vai se decepcionar de qualquer jeito, vamos lĂĄ.

Ganhei, jĂĄ o disse, de uma amiga, com a promessa de que escreveria uma “resenha”, o livro “O 11° Mandamento” de Abraham Verghese. NĂŁo li o livro todo ainda, mas o prĂłlogo e o primeiro capĂ­tulo jĂĄ me agradaram. É um romance. E se vocĂȘ Ă© daqueles que acha que ler romances Ă© o mesmo que ler histĂłrias da carochinha, ou seja, uma perda de tempo irreparĂĄvel, melhor nem começar. O livro Ă© um toledĂŁo de 626 pĂĄginas.

Começa contando a histĂłria de uma freira que era vidrada em Santa Teresa de Ávila (1515-1582). Essa santa escreveu uma autobiografia com o nome sugestivo de “A vida de Teresa de Jesus”. Nela, Santa Teresa descreve uma experiĂȘncia mĂ­stica com um anjo como segue (em livre tradução daqui):

“Eu vi em sua mĂŁo uma longa lança de ouro cuja ponta parecia ser um pequeno fogo. Ele parecia penetrĂĄ-la vĂĄrias vezes no meu coração e perfurar minhas entranhas; quando ele a tirou, parecia atraĂ­-los para fora tambĂ©m, e deixando-me em fogo, com um grande amor em Deus. A dor era tĂŁo grande, que me fez gemer, e ainda assim foi superando a doçura desta dor excessiva, eu nĂŁo pude querer livrar-me dela. A alma estĂĄ satisfeita agora com nada menos que o prĂłprio Deus. A dor nĂŁo Ă© fĂ­sica mas espiritual; embora o corpo dela partilhe. É uma carĂ­cia de amor tĂŁo doce que agora tem lugar entre minha alma e Deus, que rezo a Deus pela dĂĄdiva dessa experiĂȘncia, que podem pensar que estou mentindo.”

Gian Lorenzo Bernini (1598-1680), um escultor napolitano, que de bobo nĂŁo tinha nada, fez a escultura abaixo, baseada no relato da santa:

Detalhe Santa Teresa.jpgA escultura chama-se “O Êxtase de Santa Teresa” (clique na figura para aumentar e ver os crĂ©ditos). VĂĄrios autores chamaram a atenção para o fato de que havia muitos indĂ­cios de que a freira pudesse estar tendo um orgasmo (ver detalhe ao lado). Muitos atĂ©, especulam sobre a possibilidade de orgasmos espontĂąneos, possĂ­vel em algumas disfunçÔes sexuais como a Sindrome do Despertar Genital Persistente ou mesmo esquizofrenia. Esse negĂłcio de ficar atribuindo doenças a pessoas com comportamento atĂ­pico nĂŁo Ă© lĂĄ muito recomendĂĄvel [1]. Temos um exemplo bem recente em relação ao que convencionou-se chamar o massacre de Realengo. De qualquer forma, a obra de Santa Teresa vai bem alĂ©m desses episĂłdios extĂĄticos.

A histĂłria de uma freira-enfermeira que, apĂłs uma viagem fatĂ­dica de navio, conhece um cirurgiĂŁo inglĂȘs (e cuida dele!), mudando totalmente seu destino Ă©
narrada por um de seus filhos! GĂȘmeos! AlĂ©m de ficar fascinada por uma santa de hĂĄbitos orgĂĄsticos e ter filhos, ela marca a histĂłria do lugar para onde vai. SĂł isso, jĂĄ seria suficiente para despertar algum interesse. Para os que gostam de histĂłrias de mĂ©dicos da velha guarda, o livro Ă© um prato cheio. Bem narrado e fiel com as descriçÔes tĂ©cnicas de Ă©poca, a leitura Ă© bem fĂĄcil e prazerosa. Abraham Verghese tem alguns livros de sucesso. Esse, segundo consta, vendeu mais de 1 milhĂŁo de exemplares nos EUA. MĂ©dicos sĂŁo bons contadores de histĂłrias. Talvez porque tenham muitas mesmo para contar. Esse livro Ă© sobre a histĂłria de mĂ©dicos. O que tambĂ©m nĂŁo deixa de ser interessante.

ResearchBlogging.org[1] Rogelio Luque & José M. Villagrån (2009). Teresian Visions Philosophy, Psychiatry, & Psychology, 15 (3), 273-276 DOI: 10.1353/ppp.0.0191