A Incomensur√°vel Dist√Ęncia do Ser

Homem:- Voc√™ nem liga pra mim…

Mulher: – Claro que ligo!
Homem: РLiga nada. Você só se preocupa com sua mãe e com as crianças. Não vejo você se preocupar comigo.
Mulher: РVocê não sabe de nada. Me preocupo muito com você.
Homem: – √Č? Como?
Mulher: РRezo para você todos os dias!
Homem: РIsso é se preocupar? Como vou saber que reza mesmo? E depois outra, em que isso exatamente se traduz? Tipo, nenhum santo ou mesmo Deus, veio falar comigo dizendo que você liga pra mim!
Mulher: РComo você é besta! Você não está saudável, trabalhando?
Homem: – Tirando uma dorzinha nas costas, t√ī, n√©? Que jeito…
Mulher: – Ent√£o. N√£o reclama.
Homem: – Como “n√£o reclama”? Voc√™ n√£o se preocupa comigo, nem liga pra mim… Nem lembro quando transamos a √ļltima vez!
Mulher: – R√°. Sabia que ia acabar nisso. Entendi tudo. Para voc√™ “se preocupar comigo” √© transar.
Homem: – Bom. Veja bem. N√£o. N√£o √© s√≥ isso…
Mulher: РNão? O que é se preocupar então?
Homem: – Se preocupar tamb√©m √© telefonar, saber se eu estou vivo…
Mulher: РO quê?!!! Não foi você que falou para eu nunca ligar no banco, exceto em emergências? Que fica falando que seus amigos tiram sarro de você e que eu tenho fama de brava!!!?
Homem: РDesisto. Não dá pra conversar com você.
Mulher: РPois fique então sabendo que eu me preocupo com você, sim. E muito. Meus santinhos são testemunhas.
Homem: – Santo nunca √© testemunha de nada… S√≥ na cabe√ßa das pessoas.
Mulher: РPois é. Pra mim, isso basta.
Homem: – Pois pra mim, n√£o. Precisa ter alguma coisa mais concreta que uma “reza” para eu acreditar.
Mulher: – Tipo “ter rela√ß√£o”?
Homem: РNão fala assim. Você sabe que eu brocho!
Mulher: – Quanto mais velho, mais besta.
Homem: – Pois, quanto mais reza, menos transa!
Mulher: – Ei! N√£o fala assim. Voc√™ sabe que eu brocho…

PS. Esse post gostaria de fazer parte da Campanha do Ceticismo Aberto “N√£o seja um cretino” sobre a √Čtica do Ceticismo.