Você cortou o cabelo?

Não, não cortei, mas depois de ouvir essa pergunta 3x vezes, resolvi escrever sobre porque os cabelos podem mudar de um dia para o outro, sem que a tesoura tenha nada a ver com isso.

O cabelo é feito de uma proteína chamada Queratina. Essas proteínas se ligam umas nas outras através dos seus aminoácidos cisteína. Eu não queria entrar nos detalhes pra não ficar bioquímico demais, mas é tão legal… Os aminoácidos são os ‘tijolos’ com os quais se constroem as proteínas, e a cisteína é o único deles que possui enxofre (simbolizado pelo S). Quando dois S estão próximos, eles interagem e formam uma ligação, do mesmo tipo das pontes de hidrogênio da água, que todos aprendemos no colégio. Aliás, é justamente através dessas ligações que a água interage com a queratina.

Então, a fibra da queratina também pode interagir com outras fibras, formando um tipo de trança, que é a matriz do cabelo. Como uma espiral e uma trança de verdade, o cabelo acaba ganhando elasticidade e flexibilidade. Quem controla isso são o número dessas ligações que ele possui. Quanto mais pontes dissulfeto, mais apertada é a trança e menos água consegue entrar. Quanto menos pontes dissulfeto, mais pontes de hidrogênio e, portanto, mais hidratado o cabelo. Com isso o cabelo ganha mais peso e volume.

O fio de cabelo tem essa matriz, mas é recoberto de escamas. A cor está no matriz, mas as escamas são importantes em vários processos. Quando alguém pinta o cabelo, a tintura fica presa sob as escamas. Quando o cabelo resseca, as escamas se abrem, como se passássemos a mão contra as escamas de um peixe. E o seu, ou o meu cabelo, ficam que nem no quadrinho. A umidade é a principal razão porque há “dias de cabelo bom e dias de cabelo ruim.”


Fico pensando porque será que me mandaram essa tirinha muitos anos atrás? De ve ser pelo mesmo motivo que mandariam hoje!

A umidade é tão importante para o cabelo quanto o cabelo para a umidade. Até hoje, os sensores dos Termohigrometros, os aparelhos que medem a umidade do ar, são feitos de cabelo humano. Com faixa de medição de 0 à 100% de umidade relativa do ar e precisão de -+ 3%. Não é incrível? O cabelo é uma verdadeira obra prima da engenharia bioquímica!

Mas o cabelo pode dizer muito mais. O cabelo cresce aproximadamente 1cm por mês. Mas isso todo mundo já sabia. O que nem todo mundo sabe é que o cabelo é também uma forma do organismo descartar as coisas indesejáveis que circulam pelo sangue, como drogas e poluentes. O cabelo produzido em um determinado momento, reflete muito da composição do sangue naquele momento. Através da análise do cabelo de mães jovens de comunidades ribeirinhas da Amazônia, podemos estudar a quantidade de mercúrio (simbolizado pelo Hg) que elas ingeriram a gestação e a lactação e o quanto os bebes acabaram sendo expostos.

Quando você faz ‘permanente’, para deixar os cabelos cacheados, usa calor para quebrar as ‘pontes de dissulfeto’, enrola o cabelo como quer, e depois usa um produto para refazer as ligações entre a queratina naquela nova ‘conformação’. O mesmo para alisar o cabelo.

O cabelo é “morto”. Pelo menos tão morto quanto as unhas, garras e escamas de animais. Que alias, são feitos todos da mesma coisa, da mesma proteína: queratina Mas isso não quer dizer que você pode colocar qualquer coisa nele, qualquer dessas escovas cheias de formol. Seu couro cabeludo esse é bem vivo, não trate ele como defunto.

Discussão - 10 comentários

  1. Anonymous disse:

    oi,sou cabeleireira e acessei o seu site. gstei muito do que li, pois pretendo cada vez mais me aprimorar em relaxamento de cabelos

  2. Anonymous disse:

    Olá,Gostei muito das informações, mas tenho uma dúvida: shampoo, condicionadoe e creme sem enxágue com água cisnteína funcionam??Grata,Grasiella

  3. Mauro Rebelo disse:

    Oi Grasiella, deveriam funcionar. abraço, M

  4. Anonymous disse:

    olá mauro gostei muito da sua explicação sobre queratina e gostaria de saber se vc pode me dizer o que acontece com cabelos que são relaxados ou alizados varias vezes? como fia a parte interna ou quimica desse cabelo, aguardo resposta Maria de Lima

  5. Anonymous disse:

    OLá…Sou professora de quimica e adorei o assunto.Como acontece a tintura permanente no cabelo, é o mesmo processo? Gostaria de saber mais do processo, pode me ajudar?Sou a Aziel10 de janeiro/2009

  6. Mauro Rebelo disse:

    Maria,Não sei te dizer exatamente o que acontece com o cabelo alisado várias vezes. Mas todo ataque químico (incluindo a tintura) vai degradando o cabelo. Ainda bem que ele cresce de novo!

  7. Mauro Rebelo disse:

    Aziel,Vou ficar te devendo essa resposta. Nunca nem ouvi falar de tintura permanente. Mas eu tenho duas irmãs e uma delas deve saber 🙂 Assim que tiver uma novidade coloco aqui!

  8. Rosy disse:

    Eu quero saber quais são os produtos utilizados para quebrar essas pontes dissulfeto, quando é feito o permanente.

  9. Claudia disse:

    Olá!
    Muito esclarecedora essa explicação, mas por favor, existe alguma maneira de repôr o hidrogênio nos cabelos?
    Desde já agradeço.

  10. Mauro Rebelo disse:

    Oi Cláudia,
    na verdade o Hidrogênio continua lá. O que precisa refazer são as ligações entre eles e entre os enxofres. Os cremes no salão é que fazem isso.

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Skip to content

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM