Porque eu tenho que escrever um blog?

“Mas porque você acha que todo mundo tem de ter um blog? Nem todo mundo quer, ou tem de querer, ter um.”

De todas as coisas que ouvi esse ano na FLIP, a que mais me motivou a escrever foi a pergunta da minha namorada. Mais importante do que as coisas que ouvi de Stephen Greenblatt falando de Shakespeare, Gabeira falando sobre autoritarismo ou Roberto da Matta falando sobre cidades e urbanismo. A resposta para essa pergunta é a razão pela qual deveríamos vir até Paraty, ano após ano, ouvir escritores falando sobre suas obras e sobre a arte de escrever.

E ao tentar responder a pergunta dela, vejo que a minha instrução para os meus alunos, meus pares, meus pais, meus amigos e para todo mundo que eu sugiro escrever um blog, pode estar errada, ainda que esteja certa. Explico:

Nunca antes na história a escrita foi tão importante para a comunicação. A tecnologia nos oferece diversas formas de comunicação, diversos veículos, diversas mídias, mas a escrita permeia todas elas. Fazemos vídeos, fazemos musicas, podcasts, discursos, palestras… e ainda assim o texto está lá. Se não é em primeiro plano, dominando completamente o ambiente, está nas entrelinhas ou nos bastidores, porque nada disso pode funcionar sem um roteiro escrito anterior a obra. Não é a toa que a escrita foi inventada para certificar transações comerciais e depois para escrever leis. Nada pode funcionar baseado apenas na volatilidade do discurso falado.

No entanto, acho que não são todas as pessoas que reconhecem isso. E mesmo aquelas que reconhecem a importância da escrita, não acreditam no fato que não sabem se comunicar habilmente por escrito. Elas acham que, porque conseguem se comunicar com habilidade no discurso falado, podem fazer o mesmo por escrito. Será que podem? Não!

A diferença fundamental entre os dois discursos é a sincronia. O discurso falado é síncrono: enquanto eu falo com alguém, tenho uma serie de sinais verbais e não verbais do meu interlocutor que me ajudam a saber se a minha mensagem esta sendo comunicada corretamente (da maneira como eu gostaria que fosse). Já o discurso escrito é assíncrono e quando eu escrevo, não tenho os mesmo sinais. Quando escrevo, não sei se serei entendido como eu espero quando for lido, se serei entendido de uma outra maneira ou se simplesmente não serei entendido. Como lidar com isso? Como aprender a lidar com isso? Ai vem a minha proposta: escrevendo um blog.

Hum… você ainda não se convenceu?! Quer mais motivos?!

No mundo de hoje, na verdade há muito tempo, somos avaliados por escrito. Não importa o que você pensou, o que você disse ou o que você diz: importa o que você escreve na sua carta de intenção, no seu CV, na sua resposta de prova, na sua tese, no torpedo, no seu twitter, no facebook. Apesar disso, na escola não nos ensinam a escrever. Quer dizer, ensinam, mas só a escrever. Na escola aprendemos a escrever, mas não aprendemos a nos comunicar por escrito. Precisamos, agora mais do que nunca, aprender a nos comunicar por escrito.

E o que é a comunicação por escrito? Como se alcança ela? Como fazemos para aprender? A resposta é, de novo: escrevendo um blog.

Eu, como cientista, tento buscar o lado científico das coisas. Mas acho que a escrita náo é só ciência. Ela esta mais para a psicanálise: um misto de técnica e arte que parece mas não é ciência. E quando é assim não adianta dar um método, uma receita, um truque, uma dica. É preciso praticar. É preciso escrever. É preciso ler, reescrever, reler e reescrever de novo. A comunicação eficiente com o leitor depende de empatia, senso estético e senso critico que são muitas vezes subjetivos. O importante não é tentar agradar a todos (ainda que sim, seja importante comunicar a todos), mas desenvolver uma linguagem própria, cuja qualidade mais desejável é a autenticidade. Não há outra maneira de encontrar essa linguagem própria que não seja a pratica freqüente e consistente da leitura e da escrita. E é por isso que o blog é tão importante.

O blog demanda atenção constante do autor para sobreviver. Se você não publicar no seu blog todo dia, toda semana, ele morre. Ou nem nasce. É como no meio acadêmico: ‘publish or perish’ (publique ou pereça)! E assim, você é obrigado a exercitar freqüência. Mas não é só uma questão de obrigação: o blog te coloca em contato com o público, com o seu público, muito rápido. E também coloca o público em contato com você, o autor. É perfeito para aprender a lidar com a assincronicidade da mensagem, porque o leitor não esta ‘ali’, mas esta mais próximo do que em um livro, uma revista ou um artigo em jornal. O leitor comenta, ‘curte’, compartilha, te xinga. Com ferramentas relativamente fáceis de usar e gratuitas, você instala um contador de acessos e pronto… tem um monte de informações sobre quem, como onde e quando te lê. É bem mais fácil colocar o blog na trilha certa e saber se seu conteúdo está angariando leitores ou sendo ignorado. Finalmente, quando você tem que escrever um texto curto, que o tamanho mais adequado ao blog, fica um pouco mais fácil se dedicar aos atributos que defendo que o texto tenha na Oficina de Escrita Criativa em Ciência: concisão, coesão, consistência, clareza (precisão) e criatividade.

Pronto, terminei. Espero que eu tenha te convencido. Mas é provável que não tenha. A experiência mostra que não convenço os outros a começarem a escrever assim… tão facilmente.

É uma pena. Entendo que Rubens Figueiredo, um escritor/tradutor/professor que dá aulas de língua portuguesa no turno da noite em uma escola da rede publica do subúrbio de São Paulo tem dificuldade de convencer seus alunos da importância daquilo que ele diz, eu entendo. Mas eu? Eu dou aula para a elite intelectual: alunos de pós-graduação (e professores) das universidades públicas federais. O ‘crème de la crème’. Meus alunos de PG não deveriam ter a dificuldade em ver a importância de escrever e de escrever bem. Mas tem e oferecem grande resistência a tudo que está relacionado com a prática da escrita. E isso me irrita e me entristece.

Discussão - 8 comentários

  1. Daniel disse:

    Bacana. Eu também concordo com você. Além da importância de termos mais e mais divulgação científica em português.
    Acho bacana também blogs mais especializados, que funcionem como um log de pesquisa. Um ótimo que cito é o reference frame, do Lubos Motl, físico de teoria de cordas.

  2. Rogério Pereira da Silva. disse:

    Achei suas infomações muito pertinentes. Acredito na força da escrita.
    Tenho muita vontade de me aperfeiçoar nela, pois considero escrever uma paixão. Considero-me ainda sem o devido preparo para tanto, mas…Vou tentar seguir sua orientação.

  3. Mauro Rebelo disse:

    Sim Daniel, os blogs são perfeitos para serem ‘caderno de protocolo’ abertos a comunidade científica. Ao contrário do que muitos pesquisadores pensam, não só os dados publicados em blogs tem valor legal para comprovarem a precedência na autoria, como as revistas científicas também publicam dados já apresentados na forma de caderno de atividades nos blogs.

  4. Milena disse:

    Mauro,
    Depois de ler todo o texto, com o qual concordo completamente, volto ao seu terceiro parágrafo: por que a sua instrução pode estar errada? Eu identifiquei em todo o seu texto argumentos para ela estar certa…
    Bjokas.

    • Mauro Rebelo disse:

      Muito bem colocado Milena… Acho que não está lá. É porque quando eu digo ‘escrevam um blog’, pode parecer que eu estou pedindo para fazer ‘o meu querido diário’, quando na verdade estou pedindo essas outras coisas todas. Talvez eu tivesse que pedir ‘essas outras coisas todas’.

  5. Luis Brudna disse:

    Perfeito!
    Testei meus limites nos diversos blogs que mantenho. É muito divertido observar como meu texto muda com o tempo. Não necessariamente para melhor.

  6. Gosto desse Blog porque sempre tem posts originais, filosóficos e científicos

  7. nakliyat disse:

    Muito obrigado Eu gosto da literatura, bom trabalho

Envie seu comentário

Seu e-mail não será divulgado. (*) Campos obrigatórios.

Skip to content

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM