Cafajestagem e Ceticismo

Cafajeste.jpg

Um cafajeste e a rela√ß√£o que ele tem com sua(s) mulher(es) √© algo a ser melhor estudado. √Č uma t√≠pica rela√ß√£o humana e pode trazer esclarecimentos quanto ao funcionamento de outros tipos de rela√ß√£o que seres humanos perpetram entre si. Se n√£o, vejamos.

Um cafajeste √© forte. Forte no sentido de que n√£o dissimula algo que n√£o √©. Ele √© cafajeste, age como um, veste-se como um e todo mundo sabe exatamente o que ele √©. Na hip√≥tese remota de uma mocinha ing√™nua ter uma ponta de d√ļvida sobre sua √≠ndole, TODAS as suas amigas (e inimigas tamb√©m) se encarregar√£o de, na primeira oportunidade, alertar a “pobrezinha”, muitas vezes com um prazer m√≥rbido dif√≠cil de explicar, sobre o car√°ter bastante duvidoso da figura com a qual ela est√° se envolvendo. E mesmo assim, e talvez por causa disso, n√£o faltam e, provavelmente, nunca faltar√£o, mulheres aos cafajestes. E por qu√™? Por que algu√©m se envolveria com uma pessoa que sabidamente √© moralmente deplor√°vel? A resposta √© simples: por que uma pessoa assim n√£o deixa margem a d√ļvidas! Viver no devir √© extremamente desconfort√°vel e angustiante. Sabe-se exatamente o que esperar de um cafajeste; e tamb√©m o que n√£o esperar. Sabe-se exatamente no que acreditar e no que desacreditar. √Č seguro.

Mas nem todos os homens são fortes no sentido cafajestiano da palavra. A dissimulação é comum. Uma mulher normal sabe que uma boa dose de ceticismo quanto ao comportamento masculino não é nada mau. Porém, a dose desse ceticismo é que é difícil de acertar. Se pouco, podemos estar deixando passar coisas importantes. Se muito, destruirá a relação por falta de confiança.

Rupert Sheldrake no The Edge escreve que “na pr√°tica, o objetivo do ceticismo n√£o √© a descoberta da verdade, mas a exposi√ß√£o do erro de outras pessoas. Ele desempenha um papel importante na ci√™ncia, na religi√£o, na academia e no senso comum. Mas, precisamos nos lembrar que ele √© uma arma servindo a cren√ßas ou interesses pr√≥prios. Precisamos ser c√©ticos sobre os c√©ticos. Quanto mais militante um c√©tico for, mais forte ser√£o suas cren√ßas.

E Sheldrake descrevendo assim o ceticismo esclarece a cafajestagem: a(s) mulher(es) do cafajeste n√£o almeja(m) a descoberta da verdade. N√£o necessitam provar o erro de ningu√©m. N√£o se utilizam da arma do ceticismo e de suas armadilhas contra si mesmo. (Ser c√©tico sobre os c√©ticos.) N√£o militam e nem alimentam ilus√Ķes. S√£o o que s√£o. E s√£o livres.

Sala de Espera II

gentleman_and_scientist.gif

As respostas foram simplesmente fant√°sticas!! A figura do m√©dico √©, sem d√ļvida, um arqu√©tipo, o que denota de antem√£o as expectativas do paciente em rela√ß√£o ao seu “curador”. O teor das respostas aponta para uma imagem que se enquadra em dois modelos cl√°ssicos.¬†O m√©dico que atende as expectativas pr√©-concebidas de seu cliente estaria mais pr√≥ximo do modelo de um ARTISTA ou de um CIENTISTA?

Ambos t√™m suas excentricidades. O artista, pode ser mais sedutor mas tem a contrapartida de tamb√©m poder ser um pouco mais “enrolador” e evasivo. J√° o¬†cientista, aparentar√° extrema compet√™ncia e confiabilidade, por√©m ter√° muito mais dificuldades de comunica√ß√£o e relacionamento com o paciente.

ARTISTA OU CIENTISTA? De qual modelo o seu médico se aproxima mais? 

 

Sala de Espera

Proponho um exercício ao meu seleto grupo de leitores.

Imagine que você está muito doente e que lhe indicaram um médico(a) muito bom (boa). Você não o(a) conhece e vai ao consultório dele(a) pela primeira vez. Na sala de espera, a secretária chama você e o(a) acompanha até a sala dele(a). A expectativa cresce, pois você se defrontará com uma figura na qual deposita muitas esperanças (talvez todas!) e mal conhece.

A pergunta é: Qual é sua expectativa quanto a aparência desse médico(a)?

A pergunta é sobre a aparência mesmo. Primeira impressão. Não importa o quanto o médico(a) se revele competente depois. Estamos falando da simples e crua aparência externa do médico(a). Tente imaginar qual figura preencheria suas expectativas mais pessoais. Detalhes como idade, tipo de penteado, brincos e tatuagens (ou a ausência deles) seriam benvindos.